A-A+

CPI da Covid

'Alguém prevaricou dentro da CGU. Se não foi o senhor, algum servidor foi', diz Omar a Rosário

O presidente da CPI lembrou que o órgão teve notícias de irregularidades em 2020, mas não comunicou o fato à Presidência da República

CPI da Pandemia ouve o ministro da CGU, Wagner RosárioCPI da Pandemia ouve o ministro da CGU, Wagner Rosário - Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Em depoimento à CPI da Pandemia, no Senado, nesta terça-feira (21), o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU),Wagner Rosário, disse que o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Ferreira Dias, acusado de cobrar propina para a compra de vacinas, foi investigado pela operação Hospedeiro da CGU. Mas, questionado por Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o ministro admitiu que outros integrantes da pasta não sofreram averiguações. É o caso do ex-ministro Eduardo Pazuello, do ex-secretário-executivo Elcio Franco e do ex-assessor Marcelo Blanco.

Omar Aziz (PSD-AM) criticou o fato de a CGU não ter tomado providências contra ações indevidas de Roberto Ferreira Dias no Ministério da Saúde. O presidente da CPI lembrou que o órgão teve notícias de irregularidades em 2020, mas não comunicou o fato à Presidência da República.

"A CGU fez operação em outubro do ano passado, mas Roberto Ferreira Dias só foi exonerado depois de [o policial militar Luiz Paulo] Dominguetti dizer que ele [Dias] pediu um dólar por vacina. Sete meses depois. Alguém prevaricou dentro da CGU. Se não foi o senhor, algum servidor foi", disse a Wagner Rosário.

Ao vivo:

Veja também

Doria busca brechas nas regras de prévias do PSDB ante pressão de Eduardo Leite
eleições 2022

Doria busca brechas nas regras de prévias do PSDB ante pressão de Eduardo Leite

Prefeita de Serra Talhada rechaça rusga com Luciano Duque: " Fofoca"
CARLOS BRITTO

Prefeita de Serra Talhada rechaça rusga com Luciano Duque: " Fofoca"