Anderson cobra olhar para Jaboatão nos 100 dias de Paulo

Prefeito falou entrevista ao No cafezinho

No Cafezinho entrevista o prefeito de Jaboatão Anderson FerreiraNo Cafezinho entrevista o prefeito de Jaboatão Anderson Ferreira - Foto: Arthur de Souza

Prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira votou no presidente Jair Bolsonaro e considera “até duro” fazer considerações críticas nos cem dias de gestão do chefe do Planalto, mas adverte o seguinte: “Ele tem que deixar essas questões de redes sociais de lado, de indiferença com o Congresso, de picuinha e pensar mais no povo e tentar buscar unidade, procurar saber o que é melhor para o Brasil como o governo que está aí deve procurar saber o que é melhor para Pernambuco”.

Em entrevista ao “No cafezinho”, que vai ao ar, hoje, no YouTube e no portal da Folha de Pernambuco, Anderson fez as referidas colocações ao ser questionado se concordava com o prefeito do Recife, Geraldo Julio, segundo o qual, em cem dias, “não houve nada, nenhuma resposta vinda de Brasília” sobre eventuais repasses do Governo Federal. Ao trazer o assunto para o Estado, Anderson criticou: “O prefeito podia se preocupar também com os 100 dias de Paulo Câmara para os municípios de Pernambuco, o que chegou, até agora, para os municípios, porque, para Jaboatão, também não chegou nada. Acho que os outros municípios também precisavam ter esse tratamento (do Recife)”. E cobrou: “Às vezes, a gente consegue enxergar os defeitos dos outros. Mas não consegue enxergar os defeitos dentro da sua própria casa. Ele faz parte de um partido, que o governador foi reeleito e precisa dar atenção nesses 100 dias de reeleição”. Para Anderson, não é nem um problema de dar atenção só a aliados. “Acho que até os aliados estão insatisfeitos. Acho que ele se preocupa muito com poucas cidades e esquece da grande maioria e o Estado de Pernambuco é muito grande, precisa deixar essas questões partidárias, é aquele discurso que estou falando agora de Jair Bolsonaro, e eu votei nele”, compara.


 

Altas expectativas

 

Do presidente da Amupe, José Patriota, sobre a fala do presidente Jair Bolsonaro na Marcha dos Prefeitos: “Não anunciou nada novo. Teve o apoio ao 1% (majoração do FPM), chamou todo mundo para ajudar o Brasil. Mas o discurso ficou aquém. Medidas concretas em relação à pauta, não escutamos”.
De repente > Ainda na análise de Patriota, “a plateia ficou dividida”. Ele, no entanto, pondera: “A gente tem que ter compreensão e não intolerância. Não terminou a marcha. De repente, ele delegou aos ministros os anúncios”. Mas pontua: “O prenúncio, pela fala dele, não é muito bom”.
No papel > Patriota observou o seguinte: “O presidente fez discurso de improviso”. E registrou: “A gente não sabe, então, o que tinha escrito no papel”. O gestor pondera que, se fosse anúncio importante, ele teria falado.
Palestra > Presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Novo Pacto Federativo, Silvio Costa Filho aborda, hoje, na Marcha em Defesa dos Municípios, a importância do Novo Pacto para a retomada do desenvolvimento de Estados e Municípios.
Bola preta > Os deputados do PSB vão apresentar voto em conjunto pela inconstitucionalidade da Reforma da Previdência na CCJ. Eles questionam 20 dispositivos da proposta do governo, entre eles o regime de capitalização e as novas regras para o BPC e a aposentadoria rural.
Consulta > O presidente da Câmara de Vereadores do Recife, Eduardo Marques, mediou reunião entre os moradores do Detran e técnicos da prefeitura. Na pauta, a definição do projeto modelo para a requalificação de praças. A comunidade foi chamada para apontar prioridades em obras e ações. A consulta será levada a outros espaços públicos.

Veja também

Bolsonaro usa caso de serial Killer para dizer que 'arma é vida' e volta a criticar máscaras
Live presidencial

Bolsonaro usa caso de serial Killer para dizer que 'arma é vida' e volta a criticar máscaras

Autoridades pernambucanas são homenageadas na celebração dos 130 anos do Ministério Público Estadual
Pernambuco

MPPE comemora 130 anos e presta homenagens