Política

Anderson cobra olhar para Jaboatão nos 100 dias de Paulo

Prefeito falou entrevista ao No cafezinho

No Cafezinho entrevista o prefeito de Jaboatão Anderson FerreiraNo Cafezinho entrevista o prefeito de Jaboatão Anderson Ferreira - Foto: Arthur de Souza

Prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira votou no presidente Jair Bolsonaro e considera “até duro” fazer considerações críticas nos cem dias de gestão do chefe do Planalto, mas adverte o seguinte: “Ele tem que deixar essas questões de redes sociais de lado, de indiferença com o Congresso, de picuinha e pensar mais no povo e tentar buscar unidade, procurar saber o que é melhor para o Brasil como o governo que está aí deve procurar saber o que é melhor para Pernambuco”.

Em entrevista ao “No cafezinho”, que vai ao ar, hoje, no YouTube e no portal da Folha de Pernambuco, Anderson fez as referidas colocações ao ser questionado se concordava com o prefeito do Recife, Geraldo Julio, segundo o qual, em cem dias, “não houve nada, nenhuma resposta vinda de Brasília” sobre eventuais repasses do Governo Federal. Ao trazer o assunto para o Estado, Anderson criticou: “O prefeito podia se preocupar também com os 100 dias de Paulo Câmara para os municípios de Pernambuco, o que chegou, até agora, para os municípios, porque, para Jaboatão, também não chegou nada. Acho que os outros municípios também precisavam ter esse tratamento (do Recife)”. E cobrou: “Às vezes, a gente consegue enxergar os defeitos dos outros. Mas não consegue enxergar os defeitos dentro da sua própria casa. Ele faz parte de um partido, que o governador foi reeleito e precisa dar atenção nesses 100 dias de reeleição”. Para Anderson, não é nem um problema de dar atenção só a aliados. “Acho que até os aliados estão insatisfeitos. Acho que ele se preocupa muito com poucas cidades e esquece da grande maioria e o Estado de Pernambuco é muito grande, precisa deixar essas questões partidárias, é aquele discurso que estou falando agora de Jair Bolsonaro, e eu votei nele”, compara.


 

Altas expectativas

 

Do presidente da Amupe, José Patriota, sobre a fala do presidente Jair Bolsonaro na Marcha dos Prefeitos: “Não anunciou nada novo. Teve o apoio ao 1% (majoração do FPM), chamou todo mundo para ajudar o Brasil. Mas o discurso ficou aquém. Medidas concretas em relação à pauta, não escutamos”.
De repente > Ainda na análise de Patriota, “a plateia ficou dividida”. Ele, no entanto, pondera: “A gente tem que ter compreensão e não intolerância. Não terminou a marcha. De repente, ele delegou aos ministros os anúncios”. Mas pontua: “O prenúncio, pela fala dele, não é muito bom”.
No papel > Patriota observou o seguinte: “O presidente fez discurso de improviso”. E registrou: “A gente não sabe, então, o que tinha escrito no papel”. O gestor pondera que, se fosse anúncio importante, ele teria falado.
Palestra > Presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Novo Pacto Federativo, Silvio Costa Filho aborda, hoje, na Marcha em Defesa dos Municípios, a importância do Novo Pacto para a retomada do desenvolvimento de Estados e Municípios.
Bola preta > Os deputados do PSB vão apresentar voto em conjunto pela inconstitucionalidade da Reforma da Previdência na CCJ. Eles questionam 20 dispositivos da proposta do governo, entre eles o regime de capitalização e as novas regras para o BPC e a aposentadoria rural.
Consulta > O presidente da Câmara de Vereadores do Recife, Eduardo Marques, mediou reunião entre os moradores do Detran e técnicos da prefeitura. Na pauta, a definição do projeto modelo para a requalificação de praças. A comunidade foi chamada para apontar prioridades em obras e ações. A consulta será levada a outros espaços públicos.

Veja também

Justiça nega pedido de Gabriel Monteiro para suspender processo que pode terminar em sua cassação
Conselho de Ética

Justiça nega pedido de Gabriel Monteiro para suspender processo

PGR arquiva um dos pedidos de Bolsonaro contra Moraes, mas evita analisar mérito do caso
Procuradoria-Geral da República

Aras arquiva pedido de Bolsonaro contra Alexandre Moraes