Política

Anderson defende contenção de gastos em Jaboatão

“Teremos muitos desafios pela frente, mas procuramos montar um secretariado com disposição e capacidade de implementar nossos compromissos de campanha.

Diogo Moraes (PSB)Diogo Moraes (PSB) - Foto: Divulgação

 

Ciente das dificuldades que herdará, diante do arrocho financeiro, o prefeito eleito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PR), defendeu, ontem, a contenção de gastos para os próximos quatro anos. Durante cerimônia de posse, o republicano avaliou que o momento é de dificuldade, mas encarará o desafio com muito otimismo. Assim como já vinha defendendo no período de campanha, Ferreira afirmou que a contenção passa fundamentalmente pelo enxugamento da máquina com a nomeação de auxiliares compromissados.
“Teremos muitos desafios pela frente, mas procuramos montar um secretariado com disposição e capacidade de implementar nossos compromissos de campanha. Nossa meta é administrar a cidade com a máquina enxuta, economizando no custeio e aplicando os recursos nas áreas prioritárias. Foi isso que ouvimos nas ruas e será isso que faremos na nossa gestão”, assegurou o republicano que, antes de assumir o comando do município, já havia anunciado três grandes medidas de contenção.
A primeira diz respeito ao projeto de reforma administrativa, enviado e aprovado na Câmara dos vereadores. Pela proposta, o republicano reduziu de oito para sete o número de secretarias e de 33 para 24 as secretarias executivas. O plano também prevê a redução de 40% dos cargos comissionados e a extinção de carros oficiais para prefeito, vice e secretários. Na Câmara de Jaboatão dos Guararapes, o gestor contará com total apoio dos parlamentares para implementar as ações. Assim como ocorreu na gestão do ex-prefeito Elias Gomes (PSDB), na Casa Legislativa, Ferreira terá o apoio dos 27 vereadores eleitos.

Legislativo
A contenção de gastos também será uma medida a ser seguida pelo Legislativo municipal. Oficializado no comando da Câmara Municipal, o vereador Adeildo da Igreja (PSDB) afirmou, durante discurso de posse, que pretende reduzir aproximadamente 100 cargos comissionados. O quantitativo representará um corte de 30% das despesas com pessoal na Casa que tem 360 funcionários. “Os vereadores vão passar por aperto, tudo por causa de uma cidade melhor que queremos. Vamos pagar um preço alto, mas vamos fazer uma redução”, informou o tucano.

 

Veja também

Raquel Lyra reafirma candidatura de Daniel Coelho, mas diz ter "muito carinho por Túlio Gadêlha"
ELEIÇÕES 2024

Raquel Lyra reafirma candidatura de Daniel Coelho, mas diz ter "muito carinho por Túlio Gadêlha"

Técnicos do TCU entendem que Lula pode ficar com relógio de R$ 80 mil
PATRIMÔNIO

Técnicos do TCU entendem que Lula pode ficar com relógio de R$ 80 mil

Newsletter