Antonio Coelho: foco do grupo, em 2020, é Petrolina

Deputado descarta colocar nome à disposição para o Recife

 Antonio Coelho (Dep Estadual pelo DEM) Antonio Coelho (Dep Estadual pelo DEM)  - Foto: Arthur Mota // 21.08.2019

O título de eleitor do deputado estadual Antonio Coelho é de Petrolina e não há pretensão da parte dele de alterar isso tão cedo. Em outras palavras, o parlamentar, umas das lideranças do grupo do senador Fernando Bezerra Coelho, de quem é herdeiro, não mira a corrida majoritária no Recife. “O foco, agora, é todo em Petrolina”, informa o democrata à coluna ao ser questionado se o nome dele estaria à disposição para a disputa pela Prefeitura do Recife. Ao focar na cidade do Sertão do São Francisco, Antonio se refere ao projeto de reeleição de seu irmão e prefeito, Miguel Coelho. Em Petrolina, há expectativa de 2º turno para para o pleito deste ano e ala ligada ao Palácio das Princesas estuda lançar múltiplas candidaturas por lá. Após deixar o PSB, Miguel ainda não anunciou o partido no qual ingressará para concorrer à reeleição, mas deve bater o martelo em breve. Em relação à Capital, Antônio considera o seguinte: “Sempre tem duas teses quando você está querendo destronar um partido que está no poder há algum tempo, numa coalizão entre PT e PSB, que, aqui em Recife, estão no poder há quase 20 anos”. Uma das hipóteses seria, então, na leitura dele, investir em várias candidaturas para forçar um 2º turno. “Então, a gente pode incentivar uma candidatura de Mendonça (Filho), de algum nome do PSDB, de Silvio Costa Filho, por exemplo, do PRB, entre outros partidos da direita ou da centro-direita. O PSL, pelo que tenho escutado, Luciano Bivar também pretende apresentar um nome”, pondera Antonio Coelho. A outra possibilidade seria focar em uma alternativa com mais musculatura e apoio dos vários partidos. “Considero que as duas ideias são válidas”, pontua Antonio, que segue filiado ao DEM, comandado no Estado por Mendonça Filho e está à frente do partido em Petrolina, o que, em tese, impulsiona Miguel a se filiar a outra legenda, ampliando, assim, o raio de apoios para 2020.

Aposta em Carreras
Ao avaliar a hipótese de a oposição ir para corrida de 2020 no Recife com uma candidatura única, Antonio Coelho não descarta a chance de o deputado federal Felipe Carreras deixar o PSB e concorrer à PCR. “Sou otimista de que Felipe pode formar um novo partido ou vir para o MDB, PSDB e encampar voo majoirtário no Recife no próximo ano”, assinala o democrata.
Ímã > Em caso de Carreras migrar, Antonio avalia que estaria aí definido “um cenário com candidatura de oposição forte”. Leia-se: cresceriam as chances de uma candidatura única da oposição.
Ausculta > No esforço pela retomada do crescimento do Nordeste e para destravar projetos em Pernambuco, o deputado Silvio Costa Filho está ouvindo representantes da construção civil, Governo Federal, entre outras entidades do setor produtivo.
Chave > Ontem, em meio a essa movimentação, Silvio Costa Filho se reuniu com o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, ao lado do senador Fernando Bezerra Coelho, para tratar do Minha Casa Minha Vida na região Nordeste.
Vacina > Depois que o PT-PE anunciou uma certa unidade construída na CNB, maior corrente do partido da qual faz parte o ex-presidente Lula, houve quem visse no movimento uma reação aos rumores de que a secretária de Habitação do Recife, Isabella de Roldão, viria a compor uma chapa com João Campos.
Dívida > Entre petistas, se faz uma avaliação que a prioridade para indicar uma vice de João Campos seria do PT e não do PDT, dado xadrez que foi montado em 2018, quando o PT deixou de ter candidatura ao Governo do Estado para apoiar Paulo Câmara.

 

Veja também

Lava Jato de SP chega ao último dia com futuro indefinido sobre investigações
Política

Lava Jato de SP chega ao último dia com futuro indefinido sobre investigações

Marília Arraes já sofre com o fogo amigo do PT
Edmar Lyra

Marília Arraes já sofre com o fogo amigo do PT