Governo

Apesar de atraso em início de campanha, Bolsonaro diz que vacinas foram entregues no dia 'D-1'

Em discurso, presidente também resaltou a importancia das Forças Aéreas durante pandemia

O Presidente Jair Bolsonaro, participa da cerimônia comemorativa do 80º aniversário do Comando da Aeronáutica, na Base Aérea de BrasíliaO Presidente Jair Bolsonaro, participa da cerimônia comemorativa do 80º aniversário do Comando da Aeronáutica, na Base Aérea de Brasília - Foto: Allan Santos/PR

Apesar dos atrasos para iniciar a campanha de imunização no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta quarta-feira (20) que as vacinas foram entregues no dia "D-1".
 
Quando ainda não havia previsão segura de quando o país começaria a vacinar a população, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, disse que a vacinação teria início no "dia D e na hora H".
 
"Podemos dizer, como sempre, o papel da nossa Força Aérea. Só no corrente ano, o que fizeram pelo próximo, podemos citar o socorro aos nossos irmãos de Manaus, que passavam momentos difíceis. E a nossa Força Aérea, transportando em suas asas meios materiais e gente para socorrer os nossos irmãos", disse Bolsonaro ao discursar na base aérea de Brasília, na cerimônia alusiva aos 80 anos da FAB (Força Aérea Brasileira).
 
"Também a nossa Força Aérea, nesta primeira parte da entrega de vacinas no Brasil, cumpriu sua missão no dia D-1. Isso é motivo de orgulho, tendo em vista o seu planejamento, a sua organização, o seu patriotismo e o seu sentimento de defesa dos direitos humanos", afirmou Bolsonaro.


A vacinação no país começou por São Paulo no domingo (17), quando o governador João Doria (PSDB) impôs derrota ao governo federal. O Ministério da Saúde só iniciou a distribuição de imunizantes a todos os estados no dia seguinte e, mesmo assim, com atraso no envio a alguns estados.

 

Veja também

Justiça nega pedido de deputado que apalpou colega em SP para barrar investigação
Assédio

Justiça nega pedido de deputado que apalpou colega em SP para barrar investigação

Barroso nega suspensão da PEC da Imunidade, mas pede aperfeiçoamento
IMUNIDADE PARLAMENTAR

Barroso nega suspensão da PEC da Imunidade, mas pede aperfeiçoamento