Após 16 anos, gestão do PCdoB chega ao fim em olinda

Antônio Campos e Lupércio irão se enfrentar no segundo turno, em Olinda

“Meu avô essa vitória é para o senhor. Ao meu irmão que foi um grande guerreiro da luta do povo pernambucano”“Meu avô essa vitória é para o senhor. Ao meu irmão que foi um grande guerreiro da luta do povo pernambucano” - Foto: Felipe Ribeiro

Após 16 anos de gestão na cidade de Olinda, o PCdoB não governará o município. A disputa pelo comando do Executivo olindense será travada entre Antônio Campos (PSB), irmão do falecido ex-governador Eduardo Campos, que obteve 55.995 votos, equivalente a 28,17% dos votos válidos, e Professor Lupércio (SD), deputado estadual e vereador mais votado da cidade na eleição de 2012, que conquistou o segundo lugar no primeiro turno, totalizando 46.476 votos, 23,38% dos votos válidos.

Ambos estreantes em disputas majoritárias, Campos e Lupércio derrotaram Isabel Urquisa (PSDB), que ficou em segundo lugar na disputa pela Prefeitura de Olinda em 2012, e Luciana Santos (PCdoB), que governou o município entre 2001 e 2008, tendo apoiado a eleição do atual prefeito, Renildo Calheiros (PCdoB), que governou a cidade desde 2009.

Isabel Urquisa, filha de Jacilda Urquisa, ex-prefeita da cidade, ficou em terceiro lugar conseguindo 36.584 votos, 18,4% dos votos válidos. Por sua vez, Luciana, apontada por analistas como a candidata com mais chances de ir para o segundo turno, ficou na quarta posição, com 32.929 votos, equivalente a 16,57% do total de votos válidos. 

Em seu discurso, proferido no Largo do Amparo, após a apuração dos votos, Antônio Campos homenageou Edu­ar­do Campos e seu falecido avô Miguel Arraes, ex-governador de Pernambuco, além de agradecer o apoio de sua mãe, Ana Arraes (PSB), ministra do Tribunal de Contas da União.

O socialista também anunciou o apoio de Guga (PV), que também concorreu à Prefeitura de Olinda, tendo ficado na última posição. “Quero agradecer a Deus que me deu força nessa luta, a Ana Lucia Arraes de Alencar, minha mãe. Uma mulher que sempre me inspirou, quero fazer uma homenagem a Miguel Arraes de Alencar em seu centenário. Meu avô essa vitória é para o senhor. Ao meu irmão que foi um grande guerreiro da luta do povo pernambucano. Ganhei em uma eleição limpa, sem comprar votos. Discutindo ideias e vou mostrar que temos a melhor proposta. Olinda não quer voltar ao passado e o futuro é 40”, declarou.

Professor Lupércio disse que está aberto a alianças com candidatos derrotados no primeiro turno, mas frisou que faz oposição à gestão do PCdoB, afirmando que não deseja ter o apoio de Luciana Santos no segundo turno. “Tenho maior respeito pela deputada federal Luciana Santos, mas eu não desejo seu apoio. Sou oposição ao PCdoB.

 Entretanto, não faço parte daquela oposição radical. Tenho maneira de fazer oposição, mas minha maneira é mais tranquila em relação ao radicalismo”, comentou Lupércio. Ao ser questionado sobre a possibilidade de se aliar com Isabel Urquisa, Lupércio não respondeu diretamente, mas disse que não teria “dificuldade nenhuma de ter aliança” e que iria buscar “partidos que agreguem”.

Defesa do legado
Em nota, Luciana Santos disse que seu partido não definiu o posicionamento para o segundo turno. Além disso, a ex-prefeita defendeu o legado da administração comunista na cidade. “Ninguém é vitorioso por 16 anos na administração pública sem ter feito ações que melhoraram, de fato, a vida das pessoas da cidade. O compromisso com Olinda permanece e vamos definir a melhor forma de fazer isso”, afirmou.

 

Veja também

Bolsonaro diz que pediu flexibilização de restrições para entrada nos EUA para estudantes
Diplomacia

Bolsonaro diz que pediu flexibilização de restrições para entrada nos EUA para estudantes

Disputa começa a entrar na pauta do eleitor
Edmar Lyra

Disputa começa a entrar na pauta do eleitor