CPI da Covid

Após contato da defesa, depoimento de Wizard na CPI é remarcado para 30 de junho

Carlos WizardCarlos Wizard - Foto: Divulgação

A CPI da Covid remarcou para o dia 30 de junho o depoimento do empresário Carlos Wizard. A informação foi confirmada ao blog da jornalista e comentarista da GloboNews Ana Flor pelo presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM).

Wizard era convocado a depor à CPI na condição de testemunha, apontado como um dos supostos integrantes do "gabinete paralelo" que aconselhava o presidente Jair Bolsonaro a defender "tratamento precoce" e medidas ineficazes no combate à pandemia.

Na sexta (18), o relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB-AL), transformou em investigados Wizard e outras 13 pessoas. 

Segundo o blog, advogados do empresário entraram em contato com a CPI nesta segunda-feira (21) para acertar uma nova data. O depoimento de Wizard estava marcado para a última quinta (17), mas ele não compareceu e informou estar nos Estados Unidos.

O empresário solicitou um depoimento virtual à comissão, mas teve o pedido negado na ocasião, a exemplo de outros depoentes que pediram o recurso.

Na sexta (18), agentes da Polícia Federal foram à casa de Wizard e a empresas ligadas à família do empresário, com a autorização de condução coercitiva concedida pelo ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF).

O empresário, no entanto, não está no Brasil. A Justiça Federal também já autorizou que o passaporte de Carlos Wizard seja apreendido quando ele retornar ao Brasil.

 

Veja também

Ministro defende privatização dos Correios em pronunciamento
CORREIOS

Ministro defende privatização dos Correios em pronunciamento

TSE abre inquérito sobre acusações de supostas fraudes em urnas e pede para STF investigar Bolsonaro
Investigação

TSE abre inquérito sobre acusações de supostas fraudes em urnas e pede para STF investigar Bolsonaro