Após decisão de Gilmar, juiz da Lava Jato solta cunhado de Marcelo Odebrecht

O magistrado atendeu decisão de quarta-feira (4) do ministro Gilmar Mendes

Marcelo OdebrechtMarcelo Odebrecht - Foto: Cicero Rodrigues / World Economic Forum

O juiz Luiz Antonio Bonat determinou nesta quinta-feira (5) a soltura do ex-diretor jurídico da Braskem, empresa do grupo Odebrecht, Mauricio Ferro, cunhado de Marcelo Odebrecht.O magistrado atendeu decisão de quarta-feira (4) do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

O ministro retirou da 13ª Vara Federal de Curitiba a competência para atuar em atos envolvendo a 63ª fase da Operação Lava Jato e transferiu o caso para Brasília. Ele entendeu que a investigação não está diretamente relacionada aos desvios na Petrobras.

Assim, o advogado Nilton Serson, alvo da mesma etapa da investigação, também será solto. Ambos estavam presos em Curitiba desde o dia 21 de agosto.Outras medidas impostas contra eles, como restrição de bens e valores e retenção de passaportes, também foram revogadas.

Leia também:
Equipe da Lava Jato na PGR pede demissão coletiva em protesto contra Dodge
Juízes da Lava Jato trabalham 'a 4 mãos' após saída de Moro


Na decisão, Bonat destacou que a reclamação julgada por Mendes é procedente somente em relação ao caso envolvendo o ex-ministro Guido Mantega, mas apontou que a decisão "declarou a nulidade dos atos decisórios" com a suspensão das medidas impostas em Curitiba, caso da prisão de Ferro e dos demais atingidos na mesma fase da Lava Jato.

Veja também

Presidente da OAB diz que convocará sessão para debater omissões de Bolsonaro na pandemia
POLÍTICA

Presidente da OAB diz que convocará sessão para debater omissões de Bolsonaro na pandemia

Jovem preso em Minas por tuíte sobre Bolsonaro diz que publicação tinha tom de piada
Lei de Segurança nacional

Jovem preso em Minas por tuíte sobre Bolsonaro diz que publicação tinha tom de piada