Após ser flagrado recebendo R$ 500 mil, Rocha Loures chega ao Brasil

Sem falar com a imprensa, o parlamentar entrou em um táxi branco com seu advogado e foi embora sob gritos de "ladrão"

Rocha LouresRocha Loures - Foto: Brizza Cavalcante/Câmara dos Deputados

Após participar de homenagem ao prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), em Nova York (EUA), o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) desembarcou nesta sexta-feira (19) no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (Grande SP).

Loures deixou o aeroporto por volta das 7h30, um pouco mais de uma hora depois de seu voo JJ 8081, da TAM, pousar, às 6h20. Sem falar com a imprensa, o parlamentar entrou em um táxi branco com seu advogado e foi embora sob gritos de "ladrão".

O advogado Daniel Kignel o aguardava na área de desembarque e disse que primeiro iria conversar com seu cliente e se inteirar dos fatos para depois indicar os rumos do parlamentar.

Auxiliar dos mais próximos do presidente Michel Temer, Rocha Loures foi acusado por Joesley Batista, dono da JBS, de ter recebido R$ 500 mil de propina em março em São Paulo. Segundo reportagem do jornal "O Globo", Joesley Batista havia pedido a Temer ajuda para resolver uma disputa relativa ao preço do gás fornecido pela Petrobras à termelétrica EPE.

Para resolver o problema, o presidente indicou o deputado Rocha Loures, que teria oferecido a Joesley cargos em órgãos como o Cade, a CVM (Comissão de Valores Monetários), a Receita Federal, o Banco Central e a Procuradoria Fazendária Nacional -ele deveria indicar conhecidos.

O deputado foi assessor especial da Presidência até março, quando voltou à Câmara no lugar do ministro da Justiça, Osmar Serraglio. Segundo a delação, Loures atendeu à solicitação de Joesley e, em troca, recebeu a promessa de receber R$ 500 mil semanais por 20 anos. Rocha Loures teve a prisão decretada nesta quinta (18).

A entrega do que seria a primeira parcela foi monitorada pelos investigadores, em abril deste ano. As fotos mostram Loures se encontrando com Ricardo Saud, diretor da JBS e um dos sete delatores, em São Paulo. O deputado aparece nas imagens pegando uma mala em que estariam R$ 500 mil.

Veja também

Com a chegada da vacina, missão dos prefeitos é tranquilizar população
Carlos Britto

Com a chegada da vacina, missão dos prefeitos é tranquilizar população

João Doria segue eleitoralmente distante de Bolsonaro
Edmar Lyra

João Doria segue eleitoralmente distante de Bolsonaro