Após votação das dez medidas, clima na Lava Jato é de 'ressaca total'

Parlamentares aprovaram emendas que derrubam pontos importantes do pacote original e incluem a punição de magistrados e membros do Ministério Público por abuso de autoridade

Deputada estadual Priscila Krause (DEM) é autora do projetoDeputada estadual Priscila Krause (DEM) é autora do projeto - Foto: Mariana Carvalho/Divulgação

Na manhã seguinte à votação do projeto das dez medidas anticorrupção na Câmara dos Deputados, procuradores e membros da força-tarefa da Operação Lava Jato dizem viver um "clima de ressaca", desânimo e revolta com a desfiguração da lei.

Leia mais:
Câmara desfigura pacote anticorrupção do Ministério Público
Ministério Público não apoia o que restou das 'dez medidas', diz Janot
“Não se calará a Justiça”, diz Cármen Lúcia sobre medida aprovada na Câmara


Os parlamentares aprovaram na madrugada desta quarta (29) uma série de emendas que derrubam pontos importantes do pacote original e incluem a punição de magistrados e membros do Ministério Público por crime de abuso de autoridade.

Esse ponto específico é um dos que mais preocupa a força-tarefa, e foi considerado pelo procurador Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa de Curitiba, uma "lei da intimidação".

"Foi um recado claro aos procuradores e ao [juiz Sergio] Moro", diz um investigador.

A emenda aprovada nesta madrugada prevê punição criminal a membros do Ministério Público que proponham ações de improbidade "de maneira temerária", ou "com finalidade de promoção pessoal ou por perseguição política". O texto também pretende classificar como crime de abuso de autoridade a manifestação de juízes e promotores em qualquer meio de comunicação de opinião sobre processos, próprios ou de terceiros.

Em nota ainda antes da votação, a força-tarefa afirmou que a proposta era "uma tentativa de aterrorizar" o Ministério Público e o Judiciário, numa "evidente retaliação contra grandes investigações".

O juiz Sergio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato, também já se posicionou contra a proposta, afirmando que o projeto, por seu caráter vago e subjetivo, pune o juiz por interpretar a lei.

Os procuradores darão uma entrevista coletiva às 16h desta quarta, para comentar a votação.

Veja também

Campanha eleitoral: PF intercepta carreata e prende participantes, em Salgueiro
Eleições 2020

Campanha eleitoral: PF intercepta carreata e prende participantes, em Salgueiro

Bico em campanha eleitoral gera renda na pandemia
Eleições 2020

Bico em campanha eleitoral gera renda na pandemia