Casamento

Artistas e políticos começam a chegar ao casamento de Lula e Janja em SP

Dilma, Alckmin, Haddad, Daniela Mercury, Gilberto e Bela Gil estão entre os convidados que já entraram na casa de festas. Na rua, três pessoas gritaram contra o ex-presidente

Lula e JanjaLula e Janja - Foto: Reprodução

O ex-presidente e pré-candidato do PT ao Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva, chegou por volta das 18h30 à casa de festas no bairro do Brooklin, Zona Sul da capital paulista, onde vai se casar com Rosângela Silva, a Janja. A lista de convidados foi restrita, e os primeiros a chegar foram o pré-candidato a vice na chapa de Lula, Geraldo Alckmin, a ex-presidente Dilma Rousseff, o ex-senador Lindbergh Farias, o ex-governador do Maranhão Flávio Dino e o pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PT, Fernando Haddad.

Artistas também já chegaram à festa. Gilberto Gil e sua filha Bela Gil, que foi uma das apresentadoras do lançamento da pré-campanha do petista, Daniela Mercury, Gil do Vigor e a cantora Duda Beat. Antônio Pitanga e a ex-governadora do Rio Benedita da Silva também marcaram presença, assim como os governadores Rui Costa, da Bahia, Fátima Bezerra, do Rio Grande do Norte, e Paulo Câmara, de Pernambuco.

Duas patrulhas da Polícia Militar de São Paulo fazem a segurança na porta da casa de festas. Por volta das 18h30m, três pedestres gritaram "Lula ladrão". Logo depois, um motorista gritou, de dentro de seu carro "Fora, Lula" e também "Fora, Bolsonaro".

Nas redes, perfis ligados à pré-candidatura de Lula estão fazendo uma cobertura em tempo real da festa, em linha com as redes sociais oficiais do ex-presidente, que postaram ontem um vídeo editado com falas de Lula sobre a decisão de casar-se em ano eleitoral sob o argumento de que ele quer assumir tanto "responsabilidade" com a sua mulher quanto "com o Brasil".

Veja também

Pesquisa Opus: Marília com 34% e Miguel avança para segundo, com 13%
Blog da Folha

Pesquisa Opus: Marília com 34% e Miguel avança para segundo, com 13%

Bolsonaro volta a criticar carta pró-democracia: "Pessoal faz uma onda para tentar atingir a mim"
Ato pela democracia

Bolsonaro volta a criticar carta pró-democracia: "Pessoal faz uma onda para tentar atingir a mim"