Assessor de Eduardo Bolsonaro chefiará Secom, diz Bebianno

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, decidiu indicar Floriano Barbosa para o cargo de chefe da Secom

Gustavo BebiannoGustavo Bebianno - Foto: EVARISTO SA / AFP

O futuro ministro da Secretaria-Geral, Gustavo Bebianno, afirmou nesta segunda-feira (10) que a Secom (Secretaria de Comunicação Social) sairá de sua estrutura e passará para a gestão da Secretaria de Governo.

Segundo Bebianno, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, decidiu indicar Floriano Barbosa para o cargo de chefe da Secom.

Barbosa é assessor do gabinete de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), um dos filhos do presidente eleito.

De acordo com o futuro ministro, Barbosa foi escolhido por ser publicitário e ter experiência com comunicação. Ele auxilia Eduardo na edição de vídeos divulgados em suas redes sociais.

Inicialmente, os planos eram de que a Secom ficasse subordinada à Secretaria-Geral, e fosse comandada pelo general Floriano Peixoto.

Bebianno disse que o general Floriano Peixoto atuou apenas de forma preliminar na pasta, fazendo um 'pente-fino' nos contratos de comunicação do governo.

"Floriano Peixoto não ficaria na Secom. Ele estava fazendo pente-fino na Secom para gente ter um ponto de partida", disse, acrescentando que o general é muito próximo a ele e será o secretário-executivo de sua pasta.

Com as mudanças, Bolsonaro esvaziou a estrutura atual da Secretaria-Geral, que tem vinculadas a ela a Secom e o PPI (Programa de Parcerias de Investimentos).

Os dois órgãos passarão para a gestão do general Carlos Alberto dos Santos Cruz, escolhido pelo eleito para comandar a Secretaria de Governo.

Santos Cruz também atuará na articulação política, função que vai compartilhar com o futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Segundo Bebianno, Bolsonaro ainda vai escolher um assessor especial, que atuará como porta-voz de seu governo.

A Secom foi alvo de disputa interna. O presidente eleito chegou a dizer que escolheria um de seus filhos, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), para comandar a pasta, mas após críticas de nepotismo desistiu da indicação e Carlos deixou de atuar diretamente nas redes sociais do pai.

Veja também

Candidato de Bolsonaro na Câmara, Lira deve ser recebido por Covas em SP
Política

Candidato de Bolsonaro na Câmara, Lira deve ser recebido por Covas em SP

Pazuello faz reunião com embaixador da China para discutir crise das vacinas
Vacinas

Pazuello faz reunião com embaixador da China