A-A+

7 de setembro

Ato da oposição em SP terá campanha de doação de alimentos em reação à fala de Bolsonaro sobre fuzis

Campanha pede que os participantes da manifestação levem 1 kg de alimento não perecível

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) - Foto: EVARISTO SA / AFP

Em reação ao raciocínio externado por Jair Bolsonaro de que são idiotas aqueles que dizem que é melhor comprar feijão do que fuzil, os movimentos de oposição ao presidente decidiram incorporar uma campanha de doação de alimentos às manifestações de 7 de setembro marcadas para o vale do Anhangabaú, em São Paulo.

Com a palavra de ordem "Não queremos fuzil, queremos feijão", a campanha pede que os participantes da manifestação levem 1 kg de alimento não perecível. O ponto de coleta ficará na esquina da rua Líbero Badaró com a avenida São João, no centro de São Paulo.



Além disso, aproximadamente 12 toneladas de alimentos já doados por pequenos agricultores e assentamentos da reforma agrária serão distribuídos pelos movimentos, mas não no local.

O 7 de setembro terá uma ação simbólica em referência a esses alimentos, que serão enviados para as pessoas vulnerabilizadas socialmente nos dias subsequentes.

As manifestações de 7 de setembro em São Paulo estão sendo organizadas pela Campanha Nacional Fora Bolsonaro, que congrega diversos movimentos de oposição ao presidente, e pelo Grito dos Excluídos, tradicional levante promovido no feriado da Independência por alas da Igreja Católica em todo o país.

A campanha, formada por partidos, movimentos sociais e centrais sindicais que fazem oposição ao governo, esteve à frente de outras quatro mobilizações desde março.

Veja também

PSDB retoma prévias, registra problemas com iPhone e tem mais de 2 mil votos na primeira hora
Eleições 2022

PSDB retoma prévias, registra problemas com iPhone e tem mais de 2 mil votos na primeira hora

Um dia após Moro, Bolsonaro faz novo aceno a militares
Eleições 2022

Um dia após Moro, Bolsonaro faz novo aceno a militares