Política

Ato pelo impeachment de Bolsonaro deverá ter palco na Paulista e convite a ex-presidentes

Avenida Paulista, em São PauloAvenida Paulista, em São Paulo - Foto: Nelson Almeida/AFP

Partidos de esquerda e centro que sonham com um novo ato "ao estilo Diretas Já" pelo impeachment de Jair Bolsonaro (sem partido) querem montar um palco na avenida Paulista e sonham com a presença de ex-presidentes.

Os organizadores, que se reuniram nesta quarta (15) em Brasília, querem também atrair legendas, movimentos e líderes de direita para a manifestação.

Os atos realizados até aqui ocorreram em cima de caminhões de som, mas a ideia agora é montar um grande palanque físico, para evocar o espírito das manifestações em defesa das eleições diretas na década de 1980.

 

Se possível, esse amplo ato ocorreria já no dia 2 de outubro, mas o mais provável é que ele esteja maduro apenas na manifestação marcada
para 15 de novembro.

Essa data teria forte simbolismo, por ser o feriado da Proclamação da República, o que ofereceria um contraponto aos atos pró-Bolsonaro ocorridos no feriado da Independência, em 7 de setembro.

Há dúvidas ainda se a montagem de um palco na Paulista seria algo permitido pela prefeitura de São Paulo. Caso não seja viável, o plano B é o vale do Anhangabaú, no centro.

Quanto aos ex-presidentes, a expectativa é que poderiam comparecer Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT) e, possivelmente, José Sarney (MDB).

Já a presença de Fernando Collor (Pros) e Michel Temer (MDB) é vista como improvável, dada a proximidade que ambos têm hoje com Bolsonaro.

Veja também

Ministro do STF suspende decisão que tornava Eduardo Cunha elegível
justiça

Ministro do STF suspende decisão que tornava Eduardo Cunha elegível

Whey protein, jaquetas, jet-ski e balões: relembre outras isenções fiscais anunciadas por Bolsonaro
Redução de impostos

Whey protein, jaquetas, jet-ski e balões: relembre outras isenções fiscais anunciadas por Bolsonaro