Ayres Britto defende Lava Jato e diz que operação é irreversível

O magistrado ressaltou que não pode faltar a um integrante do Supremo Tribunal Federal reputação ilibada e notável saber jurídico

Ex-ministro do STF, Ayres BrittoEx-ministro do STF, Ayres Britto - Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O ministro aposentado do STF (Supremo Tribunal Federal) Carlos Ayres Britto defendeu nesta segunda-feira (13) a Operação Lava Jato e disse que a ação é irreversível. "O Brasil, a partir da Ação Penal 470 [o mensalão], deu um tranco na cultura da impunidade de pessoas postadas nos andares de cima da sociedade, e a Lava Jato segue nessa direção", disse ele, ao receber o Prêmio FGV de Direitos Humanos, na sede da Fundação Getulio Vargas. As informações são da Agência Brasil.
"Inflexão histórica de que a Ação Penal 470 [o mensalão] é verdadeiramente representativa, sequenciada pela igualmente necessária e emblematicamente irreversível Operação Lava Jato", afirmou.

Ao ser questionado sobre a indicação do então ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, para o cargo de ministro do Supremo, Ayres Britto elogiou a atuação de Moraes, mas fez ressalvas."Do ponto de vista pessoal, me dou muito bem com ele, que tem livros publicados, é da área do direito constitucional. Porém, pela militância mais político-partidária, de ocupação de cargos, não como teórico, mas como ocupante de cargos do organograma estatal a partir de São Paulo, prefiro aguardar um pouco", disse o ministro aposentado do STF. O Senado aprecia nesta semana a indicação de Moraes.

O magistrado ressaltou que, como manda a Constituição, não pode faltar a um integrante do Supremo Tribunal Federal reputação ilibada e notável saber jurídico. "Além disso, coragem para assumir a própria independência perante os outros poderes e internamente para não se deixar manobrar, manipular por nenhum outro ministro da Casa", completou. "Como o ministro Teori [Zavascki] fazia, primando pela assertividade". Moraes foi indicado para o lugar de Teori, que morreu em janeiro em um acidente aéreo em Paraty (RJ).

Ayres Britto foi relator de processos de grande repercussão como o reconhecimento da união homoafetiva e a constitucionalidade do uso de células-tronco embrionárias em pesquisas científicas.

Ele voltou a descartar a possibilidade de assumir cargo público sobre as informações de que foi cogitado para assumir o Ministério da Justiça. "Entendo que está de bom tamanho minha trajetória pela vida pública oficial, formal. Optei por servir a minha sociedade, ao Brasil por outro modo".

Veja também

Em live, Bolsonaro cita denúncia de vídeo de astrólogo que faz acupuntura em árvores
LIVE

Em live, Bolsonaro cita denúncia de vídeo de astrólogo que faz acupuntura em árvores

Após três anos falando em fraude eleitoral, Bolsonaro assume não ter prova e cita astrólogo
Live

Após três anos falando em fraude eleitoral, Bolsonaro assume não ter prova e cita astrólogo