Vesta Pires destacou que os três anos iniciais do instituto foram primordiais para a estruturação da instituição
Vesta Pires destacou que os três anos iniciais do instituto foram primordiais para a estruturação da instituiçãoFoto: divulgação

O Instituto de Direito Eleitoral e Público de Pernambuco (Ideppe) elegeu, nesta sexta-feira (16), sua nova diretoria para o triênio 2019-2022. A advogada Vesta Pires, ex-secretária-executiva de Assuntos Jurídicos da Prefeitura do Recife, foi escolhida para presidência no lugar de Diana Câmara, que foi fundadora e primeira presidente do instituto. Também compõe a diretoria da entidade o advogado Marcos Lira (procurador Geral de Ipojuca), como vice-presidente, William Pessoa, secretário-geral, e Patrícia Gomes como tesoureira. A escolha foi por consenso e aclamação entre os membros fundadores do IDEPPE.

Vesta Pires destacou que os três anos iniciais do instituto foram primordiais para a estruturação da instituição, que realizou eventos de grande importância, como seminário O Olhar do Tribunal de Contas do Estado e da Justiça Eleitoral sobre a Inelegibilidade. “Entraremos numa nova fase de consolidação do IDEPPE. Na assembleia ordinária que aconteceu agora foi deliberado sobre os próximos passos do instituto, que vai buscar um viés ainda mais acadêmico e planeja apoiar e realizar diversos seminários no próximo triênio, em especial para as eleições 2020”, destacou a nova presidente.

“Encerramos o primeiro triênio com a certeza de que demos os passos iniciais do IDEPPE com firmeza. Passo o bastão para a nova diretoria com a convicção de que o instituto ainda dará importantes contribuições para a sociedade”, afirmou a advogada Diana Câmara.

O objetivo do IDEPPE é promover a difusão, o desenvolvimento e o aperfeiçoamento dos conhecimentos jurídicos, sociais e gerenciais em Direito Eleitoral, Público e Gestão Pública, a fim de contribuir com o amadurecimento do Estado Democrático de Direito e da Administração Pública pernambucana.

Em 2016, o ministro Henrique Neves, do TSE, e o desembargador eleitoral Manoel Erhardt participaram de um evento realizado pelo instituto, em Caruaru.

A solenidade de escolha da nova diretoria, realizada no Hotel Luzeiros, contou com a presença dos membros Laís Brígida, Luiz Petribú, Leonardo Saraiva, Felipe Caraciolo, William Pessoa, Márcio Eduardo, Paulo Simões, Marcos Lira e Patrícia Gomes.

Currículo 

Vesta Pires concluiu o Curso de Direito pela Universidade Cato´lica de Pernambuco e se especializou em Direito Pu´blico. Em sua experie^ncia de 20 anos na a´rea juri´dica atuou na esfera privada e pu´blica. Como advogada militou nas a´reas de Direito eleitoral, ci´vel, sau´de, consumidor, administrativo e constitucional e teve atuac¸a~o em escrito´rio pro´prio, bem como em escrito´rios conceituados de advocacia em Pernambuco.

Na esfera pu´blica ocupou os cargos de Secreta´ria Executiva de Assuntos Juri´dico da Prefeitura do Recife (2014-2016), Gerente Geral do PROCON–Recife (2017) e Assessora Juri´dica na Secreta´ria de Financ¸as da Prefeitura do Recife, por mais de dez anos.

Presidente da Alepe, Eriberto Medeiros; Abdias Melo; presidente do PP e deputado federal Eduardo da Fonte; e a secretária geral do PP, Zélia Matos
Presidente da Alepe, Eriberto Medeiros; Abdias Melo; presidente do PP e deputado federal Eduardo da Fonte; e a secretária geral do PP, Zélia MatosFoto: divulgação

O digital influencer e humorista Abdias Melo, convidado pelo deputado federal Eduardo da Fonte (PP), assumiu o mandato à frente da Presidência LGBT do Progressistas no estado de Pernambuco, com um grande desafio pela frente que é lutar pelos direitos do movimento, defendendo a aceitação, respeito e a igualdade.

Abdias Melo já tem projetos para este ano e comemora o voto de confiança de todos do partido, "Estou extremamente feliz com esse novo desafio. Quero lutar incansavelmente junto ao Partido Progressistas pelos direitos dessa classe tão sofrida", afirma.

Aos 40 anos, o recifense comemora o sucesso de sua carreira de digital influencer onde possui mais de 400 mil seguidores em sua página na internet.


Humorista tem 403 mil seguidores e também é empresário do humorista Nido Badoque

Humorista tem 403 mil seguidores e também é empresário do humorista Nido Badoque - Crédito: divulgação/ Instagram

O prefeito Geraldo Julio acompanhou atividades neste sábado
O prefeito Geraldo Julio acompanhou atividades neste sábadoFoto: Andrea Rego Barros/PCR

Chegar junto e oferecer serviços a quem mais precisa são os pilares do projeto Recife em Ação, promovido pela Prefeitura do Recife. O mutirão de serviços aconteceu neste sábado (17), na Escola Municipal Doutor Antônio Correia, no Barro, e reuniu milhares de pessoas do bairro e das localidades vizinhas.

Com os altos índices de desemprego no Brasil, o serviço de intermediação de mão de obra da Agência do Emprego do Recife foi um dos mais buscados. A proposta é ajudar os moradores a ter acesso às oportunidades de trabalho. O prefeito Geraldo Julio participou das atividades e acompanhou os serviços, que também abarcaram ações de saúde, educação, cidadania, vacinação de animais e assistência social.

“São vários serviços aqui no Barro que estamos oferecendo com o apoio da comunidade. Está todo mundo trabalhando junto, saúde, educação, Emlurb. Todas as secretarias chegando junto da população. Já fizemos mais de 50 mutirões como esse e temos aqui mais de mil pessoas aqui neste momento sendo atendidas”, contou o prefeito.

Mirtes dos Santos, 30 anos, acordou cedo para participar do evento. Ela deu entrada na emissão da segunda via da carteira de identidade e da certidão de nascimento. “Essa ação é muito boa, porque muita gente não tem condição financeira de tirar segunda via desses documentos, porque é um custo grande. Eu mesma estou desempregada e procurei o serviço porque é gratuito”, afirmou. Ela também aproveitou para se informar sobre as opções de emprego e se reinserir no mercado.

A Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos participou do mutirão Recife em Ação com o Expresso Recife, onde foram oferecidos serviços de emissão de 150 RGs, com garantia da gratuidade. Também foram atendidos 100 usuários para emissão, a partir da 2ª via, de certidões de nascimento, casamento e óbito, também
gratuitamente.

A dona de casa Maria José de Almeida, 60 anos, levou o neto e o filho para o evento e aproveitou para cuidar da saúde e recuperar documentos. “Fiz glicose, tirei identidade. É bom demais, porque são vários serviços num dia só”.

Serviços - Os mutirões Recife em Ação atendem, em média, 2.500 pessoas com os serviços durante todo o dia. São mais de 45 ações. O projeto é voltado para ações sociais e atividades em áreas vulneráveis do Recife e, entre 2017 e 2018, a Prefeitura realizou mais de 50 em todas as microrregiões da cidade. Cerca de 10 secretarias e órgãos municipais estão envolvidos diretamente nos trabalhos.

Ao longo do dia, a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb) executou uma série de serviços. Houve um reforço dos serviços já realizados na área como drenagem, pavimentação, iluminação pública e limpeza urbana.

Durante a ação, a Emlurb intensificou a manutenção no sistema de drenagem com limpeza e reposição de pré-moldados em diversas vias, além do serviço de tapa-buracos. A Emlurb realizou ainda uma revisão na iluminação da localidade. Todas as demandas de iluminação foram atendidas neste sábado, entre elas na Travessa Deodato Torres com a implantação de 3 postes, 5 luminárias com braços de 1 metro e 180 metros de cabo; Travessa Domingos Teotônio com a implantação de 2 postes, 2 luminárias com braços de 1 metro e 39 metros de cabo; Travessa Germano Guilherme (implantação de 1 luminária com braço de 1 metro e 20 metros de cabo); Rua Padre Diogo Rodrigues (implantação de 1 poste, 1 luminária com braço de 2 metros e 39 metros de cabo); e Rua Otacílio Pessoa (implantação de 1 poste e 1 luminária com braço de 2 metros).

O mutirão também teve reforço na limpeza da área. Ao todo, 39 ajudantes executaram varrição, capinação, coleta e remoção de entulhos. A expectativa é de que sejam coletadas aproximadamente 60 toneladas de resíduos e o custo estimado dessa ação é de R$ 20 mil.

Na área de saúde, foram ofertados serviços de confecção do Cartão do SUS, testagem rápida para HIV, sífilis e hepatites, com orientações sobre infeções sexualmente transmissíveis e distribuição de preservativos.

O caminhão equipado com mamógrafo da PCR também estacionou no local e foram disponibilizadas 40 vagas para a realização do exame. Os profissionais também fizeram aferição de pressão arterial, teste de glicose e vacinação (atualização da caderneta).

Profissionais do Programa Academia da Cidade também participaram do evento, realizando avaliação física das pessoas. Agentes redutores de danos, ligados à Rede de Atenção Psicossocial fizeram abordagens educativas sobre o uso de drogas. E houve espaço para uma exposição com peças artesanais feitas pelos moradores de residências terapêuticas.

Com atuação direta na prevenção, a Vigilância Epidemiológica recrutou profissionais para conversar com os moradores sobre doenças transmissíveis, como coqueluche e sarampo. E as crianças aprenderam os cuidados para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, causador de arboviroses (dengue, chikungunya e zika) por meio da apresentação de um teatro de fantoches. Outros agentes de saúde foram a campo, durante o fim de semana, para identificar e tratar focos do vetor. Gatos e cachorros também foram vacinados contra a raiva.

Já a Secretaria da Mulher aproveitou a ação para divulgar os espaços e serviços voltados para o acolhimento das recifenses e o combate à violência de gênero.

A Secretaria de Educação do Recife preparou diversas atividades para as ações deste sábado. A Diretoria de Ensino de Gestão Pedagógica (DEGP) organizou atividades de contação de histórias e brincadeiras populares e oficina para os pequenos. Já a Unidade de Tecnologia na Educação e Cidadania (UTEC) Utec Jardim Botânico fez uma apresentação das atividades desenvolvidas na unidade de forma lúdica utilizando vídeos e jogos.

Na busca por uma recolocação no mercado de trabalho, o stand da Secretaria de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo (STQE) foi um dos mais procurados. No local, foi feito agendamento para emissão de Carteira de Trabalho. A população também teve acesso às orientações da Sala do Empreendedor sobre temas como formalização de empresas e cursos de aperfeiçoamento.

Iniciativa da Prefeitura do Recife busca chegar junto das comunidades e ofertar serviços de assistência social, saúde, educação, limpeza, manutenção urbana e cidadania

Iniciativa da Prefeitura do Recife busca chegar junto das comunidades e ofertar serviços de assistência social, saúde, educação, limpeza, manutenção urbana e cidadania - Crédito: Andrea Rego Barros/PCR

O evento é uma iniciativa do presidente da Alepe, Eriberto Medeiros,que esteve ao lado do presidente da Fundaj, Antônio Campos
O evento é uma iniciativa do presidente da Alepe, Eriberto Medeiros,que esteve ao lado do presidente da Fundaj, Antônio CamposFoto: Ascom/Alepe

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) abre nesta segunda-feira (19), às 19 horas, a exposição “Nabuco de volta para casa”. Nela, o público conhecerá parte do acervo pessoal inédito do abolicionista, como um diário de Nabuco datado de 1888, ano da abolição da escravatura no Brasil.

Uma sessão solene em comemoração aos 70 anos da Fundaj e aos 170 anos de Nabuco antecederá a exposição. O evento é uma iniciativa do presidente da Alepe, Eriberto Medeiros, e acontece às 18 horas no auditório Sérgio Guerra.

“Temos a compreensão da importância de fazer um resgate da nossa história e Joaquim Nabuco, sem dúvida, tem muito a nos dizer nos dias de hoje como grande homem público que foi para o Brasil. Sua história dialoga com as mudanças da sociedade daquela época e o que queremos é que a Assembleia se comunique com a sociedade, seja através do seu presente como ação, ou do seu passado como inspiração”, destaca Eriberto Medeiros.

A exposição “Nabuco de volta para casa” será instalada no Anexo II da Alepe. O acervo trará a história de Nabuco e seus ideais, celebrando assim a educação por meio do conhecimento. A exposição contará com uma linha do tempo em pequenos textos e fotos do abolicionista, além de painéis ilustrativos. Haverá ainda um bloco com pensamentos de Nabuco ao longo de sua trajetória, além de vitrines com correspondências, cartões postais, diários e manuscritos inéditos.

“Homenagear Joaquim Nabuco, patrono da Fundaj e da Assembleia, no ano em que a Casa comemora sete décadas e o abolicionista 170 anos, é celebrar a educação. Sem educação, a sociedade não avança. O conhecimento é a abolição deste século”, ressaltou o presidente da Fundaj, Antônio Campos.

A Alepe foi uma das casas de Joaquim Nabuco quando ele atuou como político. Em 1887, o abolicionista, diplomata, escritor e jornalista foi eleito deputado, vindo a ser o patrono do Poder Legislativo.

Acervo

Chegou neste ano à Coordenação-Geral de Estudos da História Brasileira Rodrigo Melo Franco de Andrade (Cehibra) da Fundaj o restante do acervo de Nabuco. Foram mais de 5,6 mil itens, remessa que completa a coleção do Cehibra, totalizando 15.411
Documentos históricos. Fotos, livros, cartas, boa parte de cunho pessoal, entre eles álbuns de família e certidões. A primeira doação da família foi feita em 1974.

Com os documentos, a Fundaj concentra quase que a totalidade do acervo de informações coletadas pelo abolicionista ao longo da vida. O arquivo privado de Joaquim Nabuco, uma das coleções mais significativas da Fundaj, foi reconhecido em 2008 como “Memória do Mundo Unesco-Brasil 2008”. O Memória do Mundo foi criado para preservar e dar acesso público a documentos de conhecida importância, a fim de proteger e divulgar a memória coletiva da humanidade.

Sebastião explicou que a jornada vitoriosa iniciou, em 2006, na primeira gestão do governador Eduardo Campos
Sebastião explicou que a jornada vitoriosa iniciou, em 2006, na primeira gestão do governador Eduardo CamposFoto: Ascom

Cumprindo agenda em Serra Talhada, um dos principais compromissos do deputado federal Sebastião Oliveira, nesta sexta-feira (16), foi acompanhar o governador Paulo Câmara durante a inauguração da nova sede da UPE.

O parlamentar, que é formado em medicina pela própria UPE e também foi professor da instituição de ensino, que é uma das mais importantes do estado na área de saúde, relembrou os caminhos trilhados para que a ideia de levar o curso de medicina à Capital do Xaxado saísse do papel para se tornar realidade. Sebastião explicou que a jornada vitoriosa iniciou, em 2006, na primeira gestão do governador Eduardo Campos.

“Muitas mãos ajudaram a construir esse sonho. Tenho orgulho de fazer parte do time, junto com Inocêncio Oliveira e outras lideranças políticas, que trabalhou à época para que Serra Talhada fosse contemplada com uma unidade da UPE. Tive a honra de ter participado da aula inaugural e de voltar aqui, hoje, para participar desta entrega tão importante. Já posso encerrar a minha carreira de homem púbico, com muita honra, dignidade e felicidade. O povo sertanejo não precisa ir longe para se tornar doutor”, ressaltou o emocionado Sebá.

Hospital

Sebastião Oliveira também acompanhou Paulo Câmara na visita ao canteiro de obras do Hospital Geral do Sertão, que já está com 30% dos serviços concluídos. “Como médico e sertanejo fico duplamente feliz por esta iniciativa que vai trazer benefícios a inúmeras famílias pernambucanas. Como homem público, fico honrado em ter contribuído ativamente para que mais esse sonho da população sertaneja se tornasse realidade”, explicou.

Atualmente, a unidade da instituição conta com 111 alunos matriculados e 21 docentes efetivos
Atualmente, a unidade da instituição conta com 111 alunos matriculados e 21 docentes efetivosFoto: Hélia Sheppa/SEI

Serra Talhada – Após vistoriar as obras do Hospital Geral do Sertão - Governador Eduardo Campos, o governador Paulo Câmara inaugurou, nesta sexta-feira (16), o prédio definitivo do campus da Universidade de Pernambuco (UPE), que formou esta semana a primeira turma de medicina. O governador, inclusive, prestigiou a colação de grau dos 20 formandos, na noite desta sexta. A nova estrutura da UPE - que contemplará 24 cidades pernambucanas, além de estudantes dos Estados do Ceará, Bahia e Sergipe - recebeu um investimento de R$ 5,2 milhões. Paulo Câmara assinou, ainda, ordens de serviço para a implantação de sistemas adutores nos campus da UPE, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e do Instituto Federal Sertão de Pernambuco, beneficiando cerca de 14 mil alunos e funcionários.

“É importante destacar que, em meio a tantos desafios, estamos conseguindo avançar em sonhos antigos para a população de Pernambuco. Tomar a decisão de interiorizar o ensino superior e trazer cursos que exigem uma complexidade maior, como o de medicina, e esse sonho se tornar realidade depois de seis anos me deixa muito orgulhoso. Em breve, no inicio de 2020, o Hospital Geral do Sertão terá a primeira etapa entregue e será uma referência importante para o curso de medicina. Também vamos iniciar as residências medicas aqui em Serra Talhada e isso será importante para a fixação dos médicos no interior do Estado. Para mim, não há prioridade maior do que investir na educação”, afirmou Paulo Câmara.

O reitor da UPE, Pedro Falcão, registrou que o momento é de muita alegria e emoção com a interiorização da universidade. “Estamos dando a oportunidade de as pessoas do interior se formarem e se especializarem em suas cidades. O que era um sonho para muitos, hoje é realidade. Com certeza, nossa equipe vai trabalhar para trazer outros cursos superiores”, garantiu.

Atualmente, a unidade da instituição conta com 111 alunos matriculados e 21 docentes efetivos. A inauguração cria condições para a abertura de novos cursos, em especial na área de saúde, caminhando para transformar a região num polo médico. Com 3,3 mil metros quadrados, a nova unidade conta com biblioteca, auditório, área de convivência, almoxarifado, secretaria/escolaridade, laboratórios, salas de aula, salas de professores, sala de coordenação e sala de tutorias.

Entre os municípios beneficiados com a nova estrutura da UPE estão Arcoverde, Belém de São Francisco, Cabrobó, Carnaíba, Caruaru, Ibimirim, Lagoa Grande, Limoeiro, Petrolina, Recife, São José do Egito, Serra Talhada, Surubim, São Lourenço da Mata, Santa Terezinha, Princesa Izabel, além dos estados do Ceará, Bahia e Sergipe (alunos matriculados); São José do Belmonte, Mirandiba, Carnaubeira da Penha, Floresta, Santa Cruz da Baixa Verde, Calumbi, Betânia (municípios circunvizinhos).

O secretário de Ciência e Tecnologia, Aluísio Lessa, frisou a importância de um ambiente universitário no interior do Estado. “Trazer a UPE para Serra Talhada foi um enorme esforço do Governo de Pernambuco. O que estamos fazendo é levar vida à vida das pessoas. Com essa nova estrutura, grandes profissionais da medicina surgirão para melhorar a qualidade da saúde pública da região”, pontuou.

Segundo o pedetista, instituições e programas, já prejudicados por falta de verbas, correm o risco de interromper o funcionamento pela escassez destes recursos
Segundo o pedetista, instituições e programas, já prejudicados por falta de verbas, correm o risco de interromper o funcionamento pela escassez destes recursosFoto: Alexandre Amarante

O deputado federal Túlio Gadêlha (PDT-PE) protocolou, nesta sexta-feira (16), quatro emendas ao projeto de Lei de Crédito Suplementar e Especial (PLN) 18/2019. O objetivo do pedetista é reverter o remanejamento de recursos dos Ministérios da Educação e do programa de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo para a pasta da Defesa.

O pedetista quer evitar que cerca de R$ 10 milhões que seriam destinados à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), à Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e ao Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), além de R$ 459 mil de um programa de erradicação do trabalho escravo, alocado na pasta de Economia, sejam transferidos para a construção de um submarino de propulsão nuclear.

“Este governo tem um projeto explícito de sucateamento da educação pública e de precarização do trabalho, sob o argumento de modernidade. É imoral tirar recursos de áreas estratégicas para o desenvolvimento social e econômico do país para colocar na construção de um submarino”, critica Gadêlha.

Segundo o pedetista, instituições e programas, já prejudicados por falta de verbas, correm o risco de interromper o funcionamento pela escassez destes recursos. “A manutenção deste recurso é de fundamental importância para o funcionamento das universidades e institutos federais de Pernambuco, além da fiscalização de obrigações trabalhistas e as inspeções em segurança e saúde no trabalho”, declara.

O governo encaminhou ao Congresso Nacional, na última semana, um projeto de lei para remanejar R$ 3 bilhões. A ideia é tirar verbas contingenciadas de uma pasta para cobrir despesas de outra. A pasta mais afetada será a da Educação, que perderá cerca de R$ 1 bilhão, prejudicando as universidades e os institutos federais.

O PLN será apreciado na Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização do Congresso Nacional.

O seminário das 13h às 16h na Secretaria Municipal de Educação, localizada na Praça Ismael Gouveia no Centro de Palmares
O seminário das 13h às 16h na Secretaria Municipal de Educação, localizada na Praça Ismael Gouveia no Centro de PalmaresFoto: Divulgação

A Secretaria da Mulher do Estado de Pernambuco (SecMulher-PE), junto ao Comitê Interinstitucional Pró-Lésbica e Mulheres Bissexuais de Pernambuco (CIPLMB-PE), realiza Seminário sobre Violência Contra Lésbicas e Mulheres Bissexuais é Jogo Sujo e o 1º Campeonato de Futsal Feminino. O objetivo é envolver as mulheres dos diversos segmentos sociais, estudantes, gestoras e instituições da Mata Sul, fortalecendo a visibilidade.

No Sábado (17), acontece o seminário das 13h às 16h na Secretaria Municipal de Educação, localizada na Praça Ismael Gouveia no Centro de Palmares. O evento visa promover o debate sobre mulher e esporte, debater sobre a violência contra as mulheres com enfoque na violência das lésbicas e mulheres bissexuais e lembrar o dia 29 de Agosto - Dia da Visibilidade Lésbica. Aberto ao público e a expectativa é de oitenta pessoas dos diversos segmentos sociais, estudantes, trabalhadoras, gestoras municipais e instituições da Mata Sul.

Serão exibidas Mostra de Documentários de produções de mulheres com temas “História das Mulheres Lésbicas de Pernambuco” em homenagem às lésbicas e mulheres bissexuais, que fizeram história no movimento dos anos 80 e “Charque Attack” que trás reflexões sobre desafios e possibilidades políticas para mulheres.

A mesa de Abertura contará com representantes de várias Secretarias, da Câmara Municipal de Palmares, a Associação da Mata Sul de Pessoas LGBTTT (AMAS), também participará o Comissão da Mulher da Ordem dos Advogados de Palmares, Diretoria dos Direitos Humanos e o Núcleo de Estudos de Gênero da Escola Estadual Monsenhor Adílio Américo Galvão Palmares.

Às 15h20 haverá o debate sobre Violência contra Mulher é Jogo Sujo, na perspectiva da inclusão das mulheres no esporte, coordenado por Hewria Maia, da associação da Marta Sul de Pessoas LGBTT (AMAS) e as palestrantes Maria Goreti, Articuladora Nacional da Liga Brasileira de Lésbicas e Fernanda Carvalho, Articulação e Movimento Homossexual do Recife e Região Metropolitana (AHMOR) e Depoimentos de jogadoras do Santa Cruz Futebol Clube.

No domingo (18), se inicia o 1° Campeonato de Futsal Feminino das 08h às 14h, na Escola Estadual Galtemir Lins, localizada na Travessa Nossa Senhora de Lourdes, nº 145 no Centro de Palmares-PE. Serão seis equipes a disputar o torneio das seleções das cidades de Palmares, Jaqueira, Água Preta, Xexeu, Sirinhaém e São José da Coroa Grande.

No domingo, se inicia o 1° Campeonato de Futsal Feminino das 08h às 14h, na Escola Estadual Galtemir Lins, localizada na Travessa Nossa Senhora de Lourdes, nº 145 no Centro de Palmares-PE

No domingo, se inicia o 1° Campeonato de Futsal Feminino das 08h às 14h, na Escola Estadual Galtemir Lins, localizada na Travessa Nossa Senhora de Lourdes, nº 145 no Centro de Palmares-PE - Crédito: Divulgação

Alex Ribeiro
Alex RibeiroFoto: Divulgação Facebook

Por Alex Ribeiro, doutorando em História Política pela Universidade Federal da Bahia,
cientista político pela UFPE, e jornalista.


O debate anti-pt tomou conta das discussões políticas. A criminalização da considerada esquerda e até a ascensão de figuras ligadas a extrema direita, como a eleição do presidente Jair Bolsonaro, são jogadas no colo do Partido dos Trabalhadores.

No entanto, é preciso ir além do senso comum e analisar a origem desse discurso. Como e onde as pessoas formaram opinião no atual cenário nacional? Quais são as redes de relações que foram reproduzidas e absolvidas por boa parte da população? Entre esses mecanismos podemos citar o crescimento dos evangélicos na política; a Operação Lava Jato; o papel dos militares; e a atuação das mídias sociais desde as manifestações de 2013 até as eleições de 2018.

O primeiro ponto é sobre a Bancada Evangélica que ganha cada vez mais protagonismo
no cenário político. Além de estar à frente de algumas Casas Legislativas e prefeituras espalhadas pelo país, o grupo conseguiu eleger 91 congressistas na eleição de 2018, 16 a mais que o pleito anterior, em 2014. O levantamento foi feito pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) com base nos dados disponíveis no portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Atores políticos evangélicos estão sempre presentes nas comunidades. Sem uma política
inclusiva estatal abrangente, os parlamentares deste segmento ingressam nesses locais
tentando resolver os problemas infra estruturais e sociais. Além disso, os eleitores deste
grupo são movidos pela motivação bíblica pregada, sobretudo, nos cultos e até “o medo
de desagradar a Deus” por não escolher um representante religioso. E a preferência dos
evangélicos por Bolsonaro ganhou força nesses espaços. Lideranças religiosas apontaram o atual presidente como um aliado de Deus, da preservação da família que
estava ameaçada por conta do “perigo do comunismo”.

O segundo ponto são os vazamentos de diálogos revelados pelo Intercept, a chamada
Vaza Jato, comprovando que a Operação Lava Jato tinha como principal alvo o PT. O
grupo foi responsável por mobilizar organizações como o Vem Pra Rua até contra o
Supremo Tribunal Federal. O VPR abrigou discursos de extrema direita. Os dois, Vem
Pra Rua e Lava Jato se tornaram aliados. E o principal líder desses magistrados, o então
juiz Sérgio Moro, virou ministro de Jair Bolsonaro. A soma e o resultado são simples de
entender.

O método da Lava Jato foi um dos principais fatores para o atual presidente ganhar mais
força e chegar ao Palácio do Planalto. A Vaza Jato mostra que a não apreensão do celular do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, ator político responsável pela abertura do processo do impeachment de Dilma Rousseff (PT); os vazamentos seletivos do ex-ministro Antonio Palocci contra o PT, principalmente durante a eleição de 2018; o veto a entrevista do ex-presidente Lula, que se encontra preso em Curitiba, durante o mesmo pleito; e até da divulgação ilegal de conversa entre o próprio Lula e Dilma foram instrumentos imprescindíveis para a derrocada do Partido dos Trabalhadores e, por consequência, do sentimento de criminalização da esquerda.

Vale lembrar que a Vaza Jato não deve ser remetida apenas ao Intercept. Este possuí parceria com outros veículos como a Revista Veja, o El País, a Folha de São Paulo e o Portal UOL, o que enfraquecesse a narrativa de mensagens adulteradas dos diálogos no aplicativo Telegram entre os representantes da Lava Jato. Só se apostar que quase toda a imprensa atua a favor da corrupção, o que não é difícil diante da aversão duvidosa e sem critério aos meios de comunicação.

O terceiro ponto é a volta dos militares a cena política. Nos últimos anos este grupo saiu
dos quartéis para expor suas opiniões contra governantes como os ex-presidentes Michel Temer (PMDB), Dilma e Lula. A possibilidade de soltura moveu membros das Forças Armadas. Pelo discurso da ordem até contra os “comunistas”, este grupo esteve em evidência e com um certo apelo público. Tanto é que em alguns protestos ocorridos após as manifestações de 2013 o grito pelo retorno dos militares estava presente, mesmo que quase silenciosamente.

O maior exemplo ocorreu na greve dos caminhoneiros em 2018 quando não existia mais
o receio de levantar faixas em prol dos militares no poder. Isso refletiu na eleição do mesmo ano. Pessoas que se declaravam membros das Forças Armadas, sendo da ativa, reserva ou reformados, mais que dobraram sua participação no Congressos. O número em 2014 era de 10 membros, em 2018 chegou a 22. Sem contar, a presença deste grupo em outras Casas Legislativas do país. O apreço de parte da população fica evidente quando 45% dizem “confiar muito” nos militares, segundo pesquisa do instituto Datafolha, divulgada em abril de 2019.

O último ponto é sobre as redes sociais. Nestes espaços os ataques à esquerda são ainda
maiores. Apostando em notícias dúbias, duvidosas e teorias de conspiração sem sentido,
os argumentos são sempre de associar a corrupção a “esquerda”, colocando no mesmo
conjunto petistas, “socialistas” e “comunistas”. O argumento de “expulsar os vermelhos
do país” feito por Bolsonaro não foi à toa durante a campanha de 2018. Ainda neste mês
de agosto o presidente discursou afirmando que vai “varrer os comunistas do Brasil”.

Essa associação proposital vai ao ataque também de personagens que sequer são citados em investigações. Serve para qualquer um que for considerado de esquerda, seja Jean Wyllys, o deputado David Miranda, casado com o editor do Intercept Gleen Greenwald, e até a Marielle Franco, morta provavelmente por milicianos e repudiada por qualquer grupo e pessoas de extrema direita.

A guerra nas redes se tornou ódio de classes atingindo até professores que tecem críticas
ao governo. Essa prática de linchamento virtual ganhou força ainda em 2012 quando Jair Bolsonaro espalhou vídeos acusando falsamente professores considerados de esquerda de distribuir “kit gays” nas escolas para converter as crianças a homossexualidade. Com isso, o atual presidente descobriu o caminho para conseguir ter mais popularidade. As mídias são a causa do seu sucesso pelas suas declarações polêmicas, e que devem continuar por todo o seu mandato.

Essas reproduções do presidente Bolsonaro nas redes foram ajudadas por algoritmo do
Youtube. Segundo o jornal norte-americano New York Times, esta ferramenta foi a responsável pela disseminação da ideologia da extrema-direita no Brasil o que levou a
eleição do social-liberal. Nela surgiram grupos, como o Movimento Brasil Livre (MBL), que tinham como um dos seus objetivos deturpar fatos e de condenar pessoas e grupos ligados a esquerda.

As atitudes de Bolsonaro foram levadas aos meios televisivos ainda quando era deputado federal. Programas de caráter humorístico podem até ter tido a intenção de
trazer à tona um personagem jocoso, mas o atual presidente se tornou a saída para a moralização da política e o fortalecimento do discurso a favor da valorização dos costumes e do conservadorismo.

Esses exemplos podem ser considerados dispositivos que se configuram como consideráveis centros de produção de sentido. É aqui que as representações sociais de aversão a esquerda marcam o pensamento social e atingem boa parte da população. É só ligar os pontos: grupos da Lava Jato são ligados a grupos de direita, que vão as ruas desde 2013 e tiveram como principal alvo a presidente Dilma. E com a saída da petista, outros grupos ganharam protagonismo contra a corrupção como os militares e
evangélicos.

Foi a tempestade perfeita que ajudou no crescimento da extrema direita, na qual a
atuação do PT pode ter ajudado – com o petrolão, mensalão, e a política econômica
frágil -, mas diante da ordem do discurso não pode ser considerada protagonista, e
muito menos a vítima de todo o processo de construção que levou a extrema direita ao
poder.

Em todo caso associar o PT ao autoritarismo é negar que esses mecanismos citados não
ajudaram a eleger Bolsonaro. É como se os discursos políticos realizados pelo Partido dos Trabalhadores também não fizessem parte de outras legendas no decorrer da história da redemocratização do país. É como se outras siglas não tivessem personagens
investigados em casos de corrupção, como se tivesse num segundo grau de importância.

A responsabilidade do extremismo da direita é de diversos grupos sociais que utilizaram
estratégias para se tornarem os protagonistas na cena política. E agora a máquina de
ódio é a reprodução do poder do Brasil.

Luciana acompanhou o governador Paulo Câmara, nas últimas quarta e quinta-feira, em viagem ao Sertão de Itaparica e do Moxotó
Luciana acompanhou o governador Paulo Câmara, nas últimas quarta e quinta-feira, em viagem ao Sertão de Itaparica e do MoxotóFoto: Ascom

A vice-governadora Luciana Santos (PCdoB) aproveitou o início do Seminário Todos Por Pernambuco, nesta semana, para convocar a população a contribuir com sugestões que ajudem a promover o fortalecimento da mulher no mundo do trabalho. Dentro da plataforma digital participa.pe.gov.br, os internautas agora têm uma área específica para sugerir propostas sobre o tema. Basta procurar a categoria “Mulher, Trabalho e Renda” e deixar uma contribuição ao debate.

As ideias lançadas no site servirão de subsídio para a atuação do Grupo de Trabalho (GT) sobre Mulheres e Mercado de Trabalho, criado pelo decreto nº 47.386 de 30 de abril de 2019 e coordenado pela vice-governadora. A ideia é envolver toda as esferas do governo e da sociedade em um grande pacto pela inserção e valorização das mulheres no setor produtivo.

“A geração de emprego é um compromisso do governador Paulo Câmara, que me autorizou montar o GT para discutir a promoção do emprego e da geração de renda para as mulheres. A luta pela emancipação das mulheres passa pela sua autonomia financeira. Por isso, queremos ouvir a população sobre ideias e propostas que ajudem nosso GT a apontar políticas de fomento ao emprego e ao empreendedorismo feminino”, disse Luciana, ao participar do lançamento da 4ª edição do Todos Por Pernambuco, na última quarta (14), em Floresta, Sertão de Itaparica.

O grupo de trabalho quer ouvir as demandas e sugestões das e para as mulheres. Para isso, vai promover fóruns de discussão com setores específicos da sociedade. Além disso, vai aproveitar os encontros do Todos Por Pernambuco e das Conferências Municipais de Mulheres, para recolher informações e propostas. O canal de comunicação digital, dentro do participa.pe.gov.br, vai ampliar o alcance do diálogo.

Agenda pelo Sertão

Luciana acompanhou o governador Paulo Câmara, nas últimas quarta e quinta-feira, em viagem ao Sertão de Itaparica e do Moxotó, dentro da programação do Todos por Pernambuco.

Na ocasião, a vice-governadora também participou, em Petrolândia, da inauguração da implantação da Rede de Distribuição de Água na Comunidade da Serrota. Em Floresta, conheceu o Memorial Conceição Cahú, que reúne vasto acervo sobre a artista plástica pernambucana, uma das melhores desenhistas do Brasil na técnica de bico de pena e uma das poucas mulheres a publicar trabalhos com destaque na grande imprensa brasileira, como charges, histórias em quadrinhos e ilustrações.

Já no município de Arcoverde, Luciana visitou a Praça Linear Portal do Sertão e participou do descerramento da placa de lançamento da pedra fundamental do Shopping Arcoverde, que irá gerar mais de 600 empregos neste primeiro momento das obras.
“O Sertão é terra de povo forte, temperado na adversidade. Resultado disso é uma região com tantas vocações e possibilidades. Gerar emprego é potencializar as vocações econômicas. E isso o governo tem procurado fazer”, disse.

Ela destacou que, apesar do ambiente desfavorável no governo federal, em Pernambuco, a ordem é não se contaminar pelo clima de falta de esperança. “Estamos vivenciando tempos tenebrosos, de ameaças e retrocessos, seja na educação, nas políticas para os indígenas e em todas as políticas que digam respeito aos direitos dos mais pobres e vulneráveis. A gente está vendo que vai faltar dinheiro verde-amarelo. Mas o governador tem dito que o governo não vai se contaminar por esse ambiente e, aqui, não cortaremos um centavo para a educação, pelo contrário”, afirmou.

Luciana avaliou ainda que o governo federal tem agravado a crise política no país, com repercussões sobre a economia. “O próprio núcleo do governo todos os dias cria mais instabilidade, semeando ódio e preconceito. Um dos preconceitos é contra os ‘paraíbas’. Aqui, somos todos paraíbas, orgulhosos de sermos nordestinos. E, aqui, Pernambuco vai manter o ritmo forte de investimentos, prosperidade e atendimento a quem mais precisa”, defendeu.

Luciana avaliou ainda que o governo federal tem agravado a crise política no país, com repercussões sobre a economia

Luciana avaliou ainda que o governo federal tem agravado a crise política no país, com repercussões sobre a economia - Crédito: Ascom

comece o dia bem informado: