A campanha foi iniciada em 2014, com o objetivo de atender as mulheres do campo
A campanha foi iniciada em 2014, com o objetivo de atender as mulheres do campoFoto: Divulgação

A Campanha Violência contra Mulher Não Dá Frutos continua no Agreste, de 15 a 17 de outubro. As unidades móveis da campanha conhecida como o Ônibus Lilás, integrando uma equipe de multiprofissionais farão atendimento jurídico, psicossocial e rodas de diálogo com os diversos segmentos femininos, capacitando e orientando as mulheres para o enfrentamento da violência doméstica e familiar.

A partir desta terça-feira (15), o atendimento se inicia em Taquaritinga do Norte nas Comunidades de Vila do Socorro, às 9h, e Gravatá, às 13h. Na quarta (16) acontece em Jataúban, no Sítio Mimoso, pela manhã (9h), e no Sítio Impoeiras, à tarde (13h). Em Santa Cruz do Capibaribe, o atendimento ocorre no dia 17, nas comunidades de Carrapicho no período da manhã, às 9h, e, às 13h, em Malhadinha. Finalizando o atendimento da semana no dia 18, é a vez do município de Cumaru, com atendimento nas Comunidades de Umari, às 9h, e Pedra Branca, às 13h.

As mulheres acompanhadas de crianças dispõem de recreadoras, disponibilizadas pelo município, para desenvolver atividades lúdicas e pedagógicas com as filhas e filhos menores. Em Pernambuco, a Campanha Violência contra a Mulher Não Dá Frutos articulada com as Gestoras dos Organismos Municipais de Política para as Mulheres vem intensificando o acesso das mulheres rurais às ações disponibilizadas pelas unidades móveis.

A campanha foi iniciada em 2014, com o objetivo de atender as mulheres do campo, da floresta e das águas, residentes em comunidades quilombolas, ciganas, indígenas, assentamentos e acampamentos rurais do Estado de Pernambuco. As comunidades são indicadas através dos movimentos sociais que compõem a Comissão Permanente de Mulheres Rurais de Pernambuco - CPMR/PE.



Projeto de Lei é do deputado Romero Sales Filho (PTB)
Projeto de Lei é do deputado Romero Sales Filho (PTB)Foto: Divulgação

O deputado estadual Romero Sales Filho (PTB) usou o expediente do plenário na tarde de hoje para falar sobre o seu projeto de lei (nº 645/2019), que pede o aumento do prazo de validade dos créditos do VEM para 360 dias sobre o uso dos saldos expirados.

“Este projeto reafirma meu compromisso com os usuários do transporte público. No último mês vivi a realidade de trabalhadores e estudantes que dependem de ônibus e metrô, para reivindicar as denúncias vindas da população. Estive em reunião com o Grande Recife, recebi em meu gabinete gestores de empresa de ônibus, tudo a fim de garantir os diretos dos cidadãos. Então, não poderia permitir que esses milhares de usuários fossem ainda mais penalizados com uma normativa que afeta negativamente suas rendas”, esclarece Sales Filho.



Deputado estadual Joel da Harpa (PP)
Deputado estadual Joel da Harpa (PP)Foto: Anderson Stevens/Arquivo Folha

Agora é lei: bares, restaurantes e casas de espetáculo são obrigados, a partir de agora, a incentivar o combate à violência contra as mulheres. A Lei nº 16.659, de autoria do deputado Joel da Harpa (PP), acaba de ser sancionada e determina que esses estabelecimentos devem afixar cartazes sobre a importância de fazer denúncias para a Polícia Militar e para a Central de Atendimento à Mulher. A nova legislação foi assinada no dia 10 de outubro e publicada no Diário oficial de Pernambuco de sábado (12).

De acordo com a lei, os cartazes devem conter a seguinte frase: “Denuncie a violência contra a mulher. Ligue para o 190 (Polícia Militar) ou 180 (Central de Atendimento à Mulher)”. Devem ser colocados em locais de fácil visualização e com letras destacadas em negrito. Também prevê penalidades para os estabelecimentos que não colocarem os cartazes. As punições são: advertência, multa de R$ 1 mil e cobrança em dobro, em caso de reincidência.
As multas, afirma a lei, devem ter o valor atualizado pelo Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA). A norma deve ser regulamentada pelo governo do estado.

Para Joel da Harpa, a ideia é incentivar os donos de bares e casas de show a colocar esses cartazes nas portas dos banheiros femininos. "Queremos estimular que as mulheres saibam a quem recorrer em caso de violência. A ideia de incluir bares e casas de espetáculo partiu da necessidade de levantar o debate nesses ambientes. São locais onde se consomem bebidas alcoólicas e de grande descontração. São ambientes em que devemos mostrar a importância da prevenção", conclui.

O presidente estadual do Democratas, Mendonça Filho abonou as fichas de filiação do grupo.
O presidente estadual do Democratas, Mendonça Filho abonou as fichas de filiação do grupo.Foto: Divulgação

É da comunidade do Coque, na Ilha de Joana Bezerra, no Recife, a primeira chapa popular coletiva que vai se pré candidatar a uma das vagas da Câmara Municipal do Recife. O grupo, formado por Louro Fernandes, Kátia da Silva, Didiu do Prezeis, Moises da Silva e Dimas Francisco vai concorrer pelo Democratas, nas eleições do próximo ano, com o nome de "Nossa Voz". Nesta segunda (14), o presidente estadual do Democratas, Mendonça Filho abonou as fichas de filiação do grupo.

“Uma honra ter esse grupo conosco, é a voz do povo se fazendo presente, discutindo políticas públicas da cidade. E estamos montando uma chapa forte para a Câmara Municipal do Recife. Já são mais de 35 pré-candidatos de todas a RPAs e segmentos da cidade”, comemorou Mendonça. Segundo o agente comunitário, Louro Fernandes, o grupo surgiu a partir de um movimento dentro da comunidade do Coque e que já alcança outros bairros como o Pina, Cabanga, Roda de Fogo, Coelhos e outros. “É a nossa ansiedade poder contribuir para uma cidade mais justa, mais igualitária e alcançar pessoas de outras comunidades também”, explicou.

Katia, que é agente de saúde explicou que o grupo está dentro das comunidades e conhece os problemas do cotidiano do recifense. “Nosso objetivo é trazer qualidade de vida pro nosso povo que é muito carente e que precisa”, pontuou. Para Didiu, coordenador do Plano de Regularização das Zonas Especiais de Interesse Social, o Prezeis do Coque,

“O povo da comunidade está abraçando essa ideia e eu creio que a gente vai chegar. A gente chegando vai trazer coisas novas não só pro nosso Coque, mas para todo o Recife”.

Segundo Dimas, o povo clama por uma candidatura como a do “Nossa Voz”, que está dentro das comunidades. “Estou muito motivado pois a gente nunca teve um representante e o nosso grupo veio para mudar essa história”.

Moisés, que também é agente comunitário e já foi do Prezeis, explica que a candidatura do grupo vocaliza as necessidades da comunidade. “Nós estamos aqui para que não precise mais ninguém falar por nós, por isso o "Nossa Voz" estará presente dentro da comunidade e da cidade do Recife fazendo história”, detalha.

A pré-candidatura do Nossa Voz é coletiva mas o grupo ainda não decidiu quem encabeçará a chapa para o registro da candidatura. Uma pesquisa popular será realizada pelo grupo para a escolha que deverá ser em Janeiro de 2020.

Audiência Pública na Alepe debateu riscos da privatização da Serpro e Dataprev
Audiência Pública na Alepe debateu riscos da privatização da Serpro e DataprevFoto: Divulgação

A privatização de empresas públicas de informática pode representar uma ameaça à segurança e ao sigilo de dados dos cidadãos brasileiros. Foi o que apontaram os participantes da audiência pública promovida pela Comissão de Administração, nesta segunda (14), por solicitação da deputada Teresa Leitão (PT). O encontro debateu a inclusão do Serviço Federal de Processamento de Dados ( Serpro) e da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência ( Dataprev) na lista do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do Governo Federal, anunciada em agosto.

Fundado em 1964, o Serpro tem mais de 9 mil funcionários e é responsável por cerca de 4 mil sistemas utilizados pelo Governo Federal. Passam por esse órgão declarações de Imposto de Renda, emissão de passaportes e carteiras de motoristas, pagamento do Bolsa Família, registros sobre veículos roubados ou furtados, além de informações da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e do sistema para comércio exterior. Já a Dataprev, com cerca de 3.600 empregados, faz a gestão do sistema nacional de pagamento de aposentadoria e de seguro desemprego. Possui, ainda, registros de nascimento e óbitos, cadastros trabalhistas e detalhes de empresas.

Segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Informática, Processamento de Dados e Tecnologia da Informação de Pernambuco (Sindpd-PE), Sheyla Lima, um dos princípios da gestão da informação é o de que “o dado acompanha o fim”. “Quando, por exemplo, você entrega a declaração do Imposto de Renda, o conteúdo não pode ser utilizado para outras finalidades. Mas não teremos essa garantia se o dado for processado pelo setor privado. Hoje, informação é poder”, explicou a sindicalista, que atua no Serpro há 36 anos.

RIQUEZA - “Perigo dessas informações em mãos erradas é incalculável”, ressaltou Geison Savio Vasconcellos, que é gestor da Dataprev em Pernambuco. Foto: Evane Manço
RIQUEZA – “Perigo dessas informações em mãos erradas é incalculável”, ressaltou Geison Savio Vasconcellos, que é gestor da Dataprev em Pernambuco. Foto: Evane Manço

“Fala-se atualmente que os dados são ‘o novo petróleo’. Não estão enxergando nossas informações como apoio para políticas públicas, mas como extração de riqueza. O perigo desses conteúdos em mãos erradas é incalculável. Dados médicos e sigilos fiscais poderão ser vasculhados, e pessoas podem ser segregadas em função disso”, ressaltou Geison Savio Vasconcellos, que é gestor da Dataprev em Pernambuco.

Representantes sindicais do Serpro também pontuaram que a empresa teve lucro de R$ 457 milhões em 2018, além de ter sido premiada como melhor empresa no setor da Indústria Digital no período pela Revista Exame. “Já a Dataprev faz o pagamento mensal de R$ 35 bilhões para os aposentados sem nunca ter atrasado nem por um dia, porque tem a responsabilidade de uma empresa pública”, salientou Sheyla Lima.

Outros sistemas geridos pelas duas empresas têm importância estratégica para o País, argumentaram os gestores. As medidas de segurança do atual sistema de emissão de passaportes foram desenvolvidas pelo Serpro, exemplificou o analista de sistema da instituição no Recife Reinaldo de Melo Soares. “Foi a nossa regional que criou a tecnologia implantada em 2008. Será que essas informações, assim como a base de dados de quem entra e sai do Brasil, não são estratégicas?”, questionou o especialista. Ele também citou o uso de serviços do Serpro em investigações do Ministério Público Estadual (MPPE).

APOIO - Deputada Teresa Leitão disse que Alepe deve participar das mobilizações contra a privatização de Serpro e Dataprev. “E vamos pedir que o assunto seja levado ao Consórcio Nordeste”, complementou. Foto: Evane Manço
APOIO – Deputada Teresa Leitão disse que Alepe deve participar das mobilizações contra a privatização de Serpro e Dataprev. “E vamos pedir que o assunto seja levado ao Consórcio Nordeste”, complementou. Foto: Evane Manço

Outra questão diz respeito à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, que entrará em vigor em agosto de 2020. “A norma prevê que a transferência de dados de qualquer cidadão para outra empresa ou entidade só poderá ser feita com a autorização do titular. Quero ver quem vai liberar duas informações para a iniciativa privada. Vai gerar uma enxurrada de ações judiciais”, observou Soares.

Ao final do encontro, Teresa Leitão disse que a Alepe deve participar das mobilizações contra a privatização de Serpro e Dataprev. “Vamos formalizar uma solicitação para que o assunto seja levado ao Consórcio Nordeste, no qual já há uma preocupação do secretário-geral Carlos Gabas, que foi Ministro da Previdência. Também pretendemos fazer um dia nacional de mobilização por essas empresas”, pontuou a deputada. “Precisamos investir na comunicação junto à sociedade, fazendo um contraponto à ideologia do atual Governo, para o qual nada que é público presta.”

Presentes à audiência pública, os deputados federais Carlos Veras (PT-PE) e Túlio Gadelha (PDT-PE) afirmaram que o Governo Federal pretende retirar do Congresso Nacional o debate sobre a privatização, tentando realizá-las por decreto. “Não vamos abrir mão do poder de legislar e debater esse tema”, registrou Veras. A reunião também teve a participação dos deputados Isaltino Nascimento (PSB), Diogo Moraes (PSB) e Antônio Moraes (PP), que preside o colegiado de Administração Pública da Alepe e abriu os trabalhos.

Frentes de Trabalho que levam o nome do ex-governador de Pernambuco já superou  1500 postos de trabalho criados. Programa Gera Cidadania vai ofertar atividades para crianças no contraturno escolar, com renda para os oficineiros
Frentes de Trabalho que levam o nome do ex-governador de Pernambuco já superou 1500 postos de trabalho criados. Programa Gera Cidadania vai ofertar atividades para crianças no contraturno escolar, com renda para os oficineirosFoto: Andrea Rego Barros / PCR

As Frentes de Trabalho Miguel Arraes, do Programa Chegando Junto, inspiradas nos programas sociais criados pelo ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes na década de 1980, agora são uma política pública formalizada. Na manhã desta segunda-feira (14), na Creche-Escola Eduardo Campos (Ibura), o prefeito Geraldo Julio e os secretários de Educação e Saúde Bernardo D'Almeida e Jailson Correia, respectivamente, assinaram o decreto que formaliza a iniciativa. O ato também marcou o lançamento do programa Gera Cidadania, também do Chegando Junto, e a assinatura do decreto que contou com participação da secretária de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos Ana Rita Suassuna.

Rodeado pela comunidade, o prefeito Geraldo Julio falou sobre o legado deixado por Miguel Arraes. “O tempo que o Brasil está passando é muito difícil, desemprego muito prolongado, as pessoas precisando de trabalho e renda. A Prefeitura vem fazendo sua parte com o Chegando Junto e agora as Frentes de Trabalho chegam ao Ibura, gerando mais oportunidades. Até o final do ano vamos distribuir mais de R$ 3 milhões, com os pagamentos de diária para os trabalhadores”, afirmou o prefeito. Geraldo Julio também falou sobre o lançamento do Gera Cidadania, que chega para reforçar os projetos do Chegando Junto. “O Gera Cidadania são atividades culturais, esportivas de dança, teatro, com as crianças, que vamos oferecer nas associações comunitárias, no contraturno escolar, trazendo mais cultura e cidadania para esses jovens”, pontuou.

Na ocasião, a Creche-Escola Eduardo Campos marcou a 137° unidade escolar a aderir as Frentes de Trabalho. Criado com o objetivo de gerar empregabilidade de moradores das comunidades do entorno dos equipamentos públicos municipais, contratando, por diária, para serviços de manutenção dos mesmos, o programa já disponibilizou mais de 1.500 postos de trabalho, entre vagas nas Unidades de Saúde e de Ensino do Município, uma injeção de R$ 438 mil na economia.

Na Educação, o foco são os pais e responsáveis de alunos que estejam desempregados. São oferecidas vagas em modalidades de serviço como capinação e jardinagem; organização escolar; animação cultural; e pintura. A diária é de R$ 50 e cada pai ou responsável pode trabalhar em dias alternados e realizar serviços até seis vezes ao mês.

Na Saúde, os postos de trabalho são disponibilizados para moradores que vivem no entorno das unidades, e podem prestar serviços nos mutirões de limpeza. A Secretaria de Saúde também tem realizado mutirões de consultas especializadas. Ao todo, mais de duas mil pessoas que aguardavam na fila de espera já foram atendidas em especialidades como traumato-ortopedia, cardiologia, otorrinolaringologia, entre outros. O próximo mutirão de consultas será realizado no dia 26 deste mês.

Lula Arraes, filho do ex-governador Miguel Arraes, esteve presente na assinatura do decreto e falou sobre a felicidade de participar da ocasião. “ Um grande problema do Brasil é a desigualdade social, e o desemprego é um dos pilares dessa desigualdade. A economia brasileira jogou fora do mercado milhões de pessoas e estas pessoas estão passando fome. Fico muito contente que o Recife ter uma resistência contra isso. O prefeito Geraldo Julio é atento a necessidade do povo e esse trabalho é encantador”, pontuou Arraes.

Chirleide Silva é mãe de três crianças que estudam na Escola Jardim Monte Verde, também no Ibura e é uma das beneficiadas pelas Frentes de Trabalho. “Este projeto foi uma ajuda e tanto para pais e mães desempregados. Além de podermos ganhar uma renda, podemos estar juntos dos nossos filhos, ajudá-los e também ajudar os filhos dos outros pais que não podem estar junto”, comentou a mãe, que trabalha na área de organização escolar, na unidade de ensino.

Sobre o Programa Gera Cidadania, Ana Rita Suassuna, secretária de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos contou com será o funcionamento. “O programa que vai trabalhar com criança e jovens, com formação e capacitação em diversas áreas, além gerar renda para os oficineiros. No momento são 51 oficineiros mais o edital já está aberto para a contratação de mais pessoal “, destacou Ana Rita.

O Programa começará com 51 oficineiros habilitados para dar aulas em turnos da manhã (8h30 as 10h30), tarde (14h30 as 16h30) e noite (19h as 21h), somando 120 horas aulas para cada uma das modalidades - dança, artes visuais, teatro, patrimônio cultural, artesanato, literatura, audiovisual, música, jogos. entre outras - que serão realizadas nas seis Regiões Político Administrativas do Recife (RPAs). As oficinas a serem promovidas em espaços comunitários têm a proposta de combater situações de risco para crianças e adolescentes, proporcionando atividades nos contraturnos escolares dos estudantes. Quem quiser participar das oficinas, oferecidas em todas as Regiões Político Administrativas (RPAs) do Recife, pode procurar os Centros de Referência em Assistência Social - Cras mais próximo ou uma associação de seu bairro. A previsão é que 2,7 mil crianças e jovens participem das oficinas até o final de dezembro.

Lucas Gabriel Férrer, morador da Bomba do Hemetério, se inscreveu como oficineiro no Gera Cidadania na área de patrimônio imaterial/capoeira. "É uma ótima oportunidade para crianças e jovens. Desenvolvi minha arte como aluno de Capoeira, além de ser uma chance para nós oficineiros porque o desemprego no país tá grande", falou.

Chegando Junto - Lançado em junho pelo prefeito Geraldo Julio, o programa vai abarcar diversos projetos em diferentes áreas, voltado sempre para a população mais carente da cidade. As ações serão divididas entre as áreas de assistência à população e apoio à geração de renda. Entre os programas já iniciados estão, além das Frentes de Trabalho Miguel Arraes e do Gera Cidadania, o Renda por App, os minicursos profissionalizantes dentro das comunidades, os mutirões de saúde e o Pertencer – Espaço de Convivência. A Prefeitura do Recife vai abrir ainda um abrigo público municipal e dois restaurantes populares, voltados para a população em situação de rua.


Plenário da Alepe
Plenário da AlepeFoto: Luiza Alencar

A Assembleia legislativa de Pernambuco faz a sua 117ª Reunião Ordinária, nesta segunda-feira (14). Na Ordem do Dia consta a apreciação de requerimentos e indicações feitas pelos parlamentares estaduais. Uma das indicações é a de número 2535/2019, do deputado Delegado Erick Lessa (PP), com um apelo ao Governo do Estado no sentido de criar um posto policial no bairro do Alto do Moura, em Caruaru, para melhorar a segurança na localidade, que é um conhecido ponto turístico.

Assista em tempo real:

Várzea, Jardim São Paulo, Barro, Iputinga são alguns dos bairros atendidos com plantio de espécies como ipê-rosa, mororó, sibipiruna, pau-ferro e angico branco
Várzea, Jardim São Paulo, Barro, Iputinga são alguns dos bairros atendidos com plantio de espécies como ipê-rosa, mororó, sibipiruna, pau-ferro e angico brancoFoto: Divulgação

A Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SMAS), com o programa Bora Plantar? já plantou neste ano 883 novas árvores solicitadas pelos moradores através do serviço gratuito de plantio pelo telefone 156, canal de comunicação que viabiliza o planejamento de arborização urbana. De terça (15) a sexta-feira (18), a cidade vai ganhar 51 novas árvores requisitadas por residentes de 12 bairros. Estão no roteiro: Várzea, Jardim São Paulo, Barro, Iputinga, Areias, Afogados, Mangueira, Mustardinha, San Martin, Bongi, Imbiribeira e Boa Viagem. Em cada local, a equipe de arborização da SMAS iniciará o plantio às 9h.

Os critérios do Manual de Arborização da Cidade, como a presença de fiação elétrica e largura do calçamento, espécies adequadas para cada localidade, além de questão paisagística são levados em consideração para realizar o planejamento de cada localidade. Ao ligar para o 156, o solicitante abre um protocolo para análise e, a partir daí, técnicos ambientais da SMAS vão até o logradouro para a avaliação da área sugerida pelo morador. Todo o processo demora em média 20 dias e é gratuito.

Para o planejamento adequado da arborização urbana é necessário definir as espécies arbóreas mais apropriadas às condições específicas de cada local a partir de seus usos e funções, bem como, de eventuais obstáculos e elementos conflitantes. Esse procedimento, além de promover as melhores condições de desenvolvimento e conservação das árvores, contribui para a prevenção de possíveis acidentes e transtornos à mobilidade, visa reduzir gastos de manutenção e procura evitar futuras remoções de árvores inseridas em locais inapropriados.

“Toda solicitação recebida por nossa equipe de arborização é analisada para prevenir e reduzir os riscos e danos à vegetação. A nossa missão é contribuir para a adequação da arborização na cidade do Recife com foco no resgate das espécies nativas para o equilíbrio biológico, a recuperação e a manutenção da paisagem”, ressalta o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Neves Filho.

Durante esta semana, serão espalhadas pela cidade mudas de ipê-rosa, mororó, ipê-roxo, ipê-amarelo, ipê branco, angico-branco, sibipiruna e pau-ferro. A equipe de arborização da SMAS é responsável, desde a abertura de alegrete, berço, colocação de adubo, plantio até o tutoramento das mudas.

Atualmente, existem 250.176 mil árvores em logradouros públicos da capital pernambucana. Entre 2013 e 2018, foram plantadas 56.624 árvores, prioritariamente nativas da Mata Atlântica. Em 2019 foram plantadas 10.883 árvores, sendo 10 mil apenas em uma semana durante a Maratona Verde e 883 solicitadas por moradores através do programa Bora Plantar?.

Calendário de plantio - 15 a 18 de outubro

Terça-feira / 15 de outubro - 9h às 16h
Plantio de 10 mudas de ipê rosa, roxo e amarelo nos bairros da Várzea, Barro e Jardim São Paulo.

Quarta-feira / 16 de outubro - 9h às 16h
Plantio de 12 mudas no bairro da Iputinga.

Quinta-feira / 17 de outubro - 9h às 16h
Plantio de 15 mudas de sibipiruna, ipê-roxo, pau-ferro, angico branco, ipê-branco e sabonete nos bairros Mustardinha, Mangueira, Afogados, Areias e Jiquiá.

Sexta-feira / 18 de outubro - 9h às 16h
Plantio de 14 mudas de ipê amarelo, roxo, branco e rosa nos bairros de San Martin, Bongi, Imbiribeira e Boa Viagem.

Sobre o Projeto Bora Plantar? - A Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SMAS), oferece à população o projeto “Bora Plantar?", que faz parte do Plano de Arborização da Capital e visa ordenar e planejar o plantio de árvores no município. O projeto atua de duas maneiras: através do 156 e de acordo com o planejamento da SMAS, que terá como critérios os locais com baixa cobertura do verde e elevada temperatura de superfície, além de vias com rotas cicláveis.

Ao ligar para o 156, o solicitante abre um protocolo para análise e, a partir daí, técnicos ambientais da SMAS vão até o logradouro para uma avaliação e escolha das espécies a serem plantadas na área sugerida pelo morador. Todo o processo demora em média 20 dias e é gratuito. Na vistoria é analisada a área do plantio, se há presença de tubulações, distância de outras árvores e qual porte e espécie devem ser utilizados.

Comissão de Meio Ambiente da Alepe se reunião com diretoria da agremiação.
Comissão de Meio Ambiente da Alepe se reunião com diretoria da agremiação.Foto: Wesley D’Almeida

A Comissão de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Assembleia Legislativa de Pernambuco se reuniu, nesta sexta-feira, com o presidente Rômulo Meneses do Galo da Madrugada. O presidente Wanderson Florêncio (PSC) e a vice Priscila Krause (DEM) querem firmar parceria com o tradicional bloco de carnaval para desenvolver iniciativas que chamem atenção da sociedade para a preservação dos nossos recursos naturais.

“A Comissão está firmando essa parceria para que possamos, com essa ação inédita, avançar na preservação do nosso meio ambiente. Ficamos muito felizes em saber que a sociedade civil está em engajada nesse projeto. Festas populares são uma excelente oportunidade para despertar o interesse das pessoas para esse tema que é de grande importante para todos”, afirmou Wanderson Florêncio.

O Galo da Madrugada apostará no tema da sustentabilidade para a edição 2020 do Carnaval, inclusive já lançou selo temático sobre o assunto. O objetivo é utilizar a música e a festa para buscar a conscientização da importância de um assunto que está em evidência.

“Ações como essas merecem ser parabenizadas e enaltecidas. Através de cartazes, faixas e mensagens dos artistas podemos conscientizar a população de que é possível brincar o carnaval preservando o nosso meio ambiente”, disse Priscila Krause.

Deputado estadual Antônio Coelho (DEM) visitou a Folha de Pernambuco
Deputado estadual Antônio Coelho (DEM) visitou a Folha de PernambucoFoto: Rafael Furtado / Folha de Pernambuco

Em visita à Folha de Pernambuco, na manhã desta segunda-feira (14), o deputado estadual Antônio Coelho (DEM) comentou sobre a renovação do campo da oposição em Pernambuco. Segundo o parlamentar, a derrota nas urnas em 2018 promoveu mudanças naturais nos partidos, que estão ganhando novos quadros e, segundo o deputado, devem renovar mandatos em cidades estratégicas.

"Eu estou bastante animado com esse momento da oposição. Miguel é um bom quadro e a oposição está se fortalecendo. Tem Marcelo Gouveia em Paudalho, Anderson (Ferreira) e Raquel (Lyra), então acho que a gente vai conseguir renovar o mandato desses grandes quadros", frisou. Antônio destacou a atuação de seu pai, o senador Fernando Bezerra Coelho e do deputado federal Raul Henry para ampliar filiações em cidades do interior e da Região Metropolitana. Elencou filiações de nomes competitivos em várias cidades como o de Totonho Valadares, em Afogados da Ingazeira e nomes em outros municípios como Pesqueira, Bonito e Panelas.

"Acho que a gente está conseguindo atrair novos quadros para a oposição. A insatisfação com o Governo do Estado é alta e se a oposição saiu enfraquecida da eleição ela está fortalecendo através da polítca e do diálogo pós-eleição. Depois de 2020 a gente vai ter uma nova oposição, a gente vai ter mm novo DEM, um novo MDB, com partidos mais novos para apresentar um novo quadro em 2022", vislumbrou.

Antônio Coelho visitou o presidente Eduardo Monterio e a diretoria da Folha de Pernambuco acompanhando seu irmão, o prefeito de Petrolina Miguel Coelho. Também participaram do encontro os diretores do jornal Paulo Pugliesi (executivo), José Américo Góis (operacional) e Mariana Costa (administrativa) e jornalistas da casa.

comece o dia bem informado: