Foram encontrados 273 resultados para "Abril 2018":

Governador Paulo Câmara (PSB) fez a entrega nesta segunda-feira (30)
Governador Paulo Câmara (PSB) fez a entrega nesta segunda-feira (30)Foto: Aluisio Moreira/SEI

O governador Paulo Câmara (PSB) realizou a entrega, nesta segunda-feira (30), no Quartel do Derby, no Recife, de 165 novas motocicletas à Polícia Militar de Pernambuco (PMPE). Os veículos serão utilizados na Região Metropolitana (RMR) e integram o primeiro lote de um conjunto de 700 motos que serão entregues ao longo dos próximos 90 dias. O investimento para a aquisição dos novos veículos é de R$ 20,3 milhões, viabilizados por financiamento do BNDES.

"Sabemos que o trânsito está cada vez maior nas grandes cidades, então, o uso das motos vai dar agilidade e possibilitar reações mais rápidas no trabalho da polícia. Os resultados (redução dos índices) já estão ocorrendo, mas nós esperamos que, com ações como essas, eles aconteçam de maneira ainda mais rápida, para que a população tenha cada vez mais a segurança necessária no seu ir e vir", destacou o governador.

As motocicletas são do modelo Honda XRE 300 cilindradas e serão utilizadas pelos batalhões de Olinda (1º BPM), Centro do Recife (16º), Boa Viagem (19º), Espinheiro (13º), Apipucos (11º), Várzea (12º), Prazeres (6º), Jaboatão Centro (25º), Paulista (17º), São Lourenço da Mata (20º) e Cabo de Santo Agostinho (18º).

A entrega das motocicletas vem na sequência da formatura de 1.281 novos policiais, ocorrida na semana passada. Durante o curso de formação, eles receberam treinamento específico com instrutores da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam). Esses novos profissionais executarão a Operação Quadrante de Segurança, que tem como objetivo a redução dos índices de CVPs e o combate à prática de delitos nas Áreas Integradas de Segurança (AIS) do Grande Recife.

Recadastramento biométrico
Recadastramento biométricoFoto: Divulgação/Tribunal Superior Eleitoral

Perto do prazo final da regularização da situação eleitoral, que se encerra no dia 9 de maio e que permitirá que o cidadão vote nas eleições de outubro, o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) aumentou o horário de atendimento dos cartórios eleitorais de todo o Estado. Agora, o horário é das 8h às 16h. A iniciativa tem o intuito de oferecer um melhor atendimento e aliviar a correria.

O dia 9 de maio também é a data limite para o eleitor com deficiência ou mobilidade reduzida solicite transferência para uma seção eleitoral com acessibilidade. Além disso, é o prazo final para que os presos provisórios e os adolescentes internados, que não possuírem inscrição eleitoral regular, sejam alistados ou requeiram a regularização de sua situação para votar no pleito de outubro próximo.

Danilo Cabral é deputado federal pelo PSB-PE
Danilo Cabral é deputado federal pelo PSB-PEFoto: Mandy Oliver/Folha de Pernambuco

A demora na definição do nome que vai encabeçar a chapa de oposição na eleição deste ano já começa a ser usada pela base aliada do governador Paulo Câmara (PSB) para demonstrar a fragilidade do grupo. Na visão do deputado federal Danilo Cabral (PSB), por exemplo, o bloco oposicionista está “desnorteado” e “batendo cabeça”.

Segundo o socialista, a candidatura de Paulo Câmara à reeleição está posta e, por isso, a chapa governista não passa pelo mesmo problema. “O tempo é nosso aliado. Quem tem pressa é a oposição que, aliás, continua desnorteada. Isso mostra como está a situação do outro lado”, colocou o parlamentar.

Leia também
Oposição trabalha “anúncio coletivo” da chapa
Compasso de espera: nem governo nem oposição têm chapas fechadas
Em pesquisa, PSB avalia imagem de Joaquim Barbosa
Ciro Gomes diz não ter receio da candidatura Joaquim Barbosa
O PSB esquece Lula e vai atrás de Joaquim Barbosa


Na sua visão, a oposição é quem precisa definir seus nomes. “Até a gora, estão batendo cabeça e se isso está acontecendo é porque eles sabem que a parada é dura. Poucos tem coragem cívica para disputar uma eleição onde se pode sair derrotado. O problema da oposição é esse. Estão escolhendo quem vai perder. E como ninguém quer perder, para não perder o mandato, ficam nessa indefinição”, acrescentou.

Barbosa
De acordo com Danilo Cabral, a candidatura presidencial do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa (PSB), está perto de se consolidar. “Ele é a alternativa que o PSB vai apresentar. E as dissidências internas que o partido tinha estão cada vez mais se dissipando”, disse.

“Beto Albuquerque, que foi candidato a vice de Marina Silva e se colocava como uma candidatura do partido, hoje é um dos maiores defensores da candidatura de Joaquim. No Espírito Santo, o governador Renato Casagrande hoje já defende abertamente a candidatura de Joaquim. O próprio processo em São Paulo teve um diálogo. Márcio França recebeu Joaquim Barbosa também e sabe do potencial que Joaquim apresenta em São Paulo. Ele já é o terceiro lugar no estado”, explicou.

Acesse o Podcast Folhape e confira a íntegra da entrevista com Danilo Cabral:

Eletrobras
EletrobrasFoto: Divulgação

A comissão especial que analisa o projeto de privatização da Eletrobras (PL 9463/18) realiza nova audiência pública nesta quarta-feira (2). Desta vez serão ouvidos o diretor do Instituto de Desenvolvimento Estratégico do Setor Energético, Roberto Pereira d'Araújo, e o secretário-adjunto de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Ildo Wilson Grudtner. A audiência será realizada a partir das 14h30, em local a definir.

Prioridade
O projeto de privatização da Eletrobras é uma das principais pautas do governo na Câmara dos Deputados. O Executivo esperar arrecadar R$ 12,2 bilhões com a venda de ações da empresa. Pelo modelo proposto, parte do capital da estatal será vendido. O governo manterá a maior parte das ações (entre 40 e 49%), mas deixará de ser o acionista majoritário.

Como tem enfrentando resistências para aprovar a proposta, inclusive na base aliada, o governo retirou do Orçamento deste ano a previsão de arrecadação dos R$ 12,2 bilhões. A medida, segundo o Ministério do Planejamento, é preventiva.

“O governo apresentou o projeto sem nenhuma discussão com a sociedade, que será fortemente impactada pela medida”, critica o deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), que pediu a realização do debate.

Medida provisória
Também tramita no Congresso Nacional uma medida provisória (MP 814/17) que abre caminho para a privatização da Eletrobras e de subsidiárias. O texto está em análise em comissão mista.

Joaquim Barbosa
Joaquim BarbosaFoto: Divulgação

Buscando medir a adesão do brasileiro à possível candidatura presidencial do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, o PSB encomendou uma pesquisa de opinião, que está em curso e deve ser concluída ainda nesta semana. O partido pretende aferir se o apoio ao socialista cresce quando seu nome é associado à sua imagem. A iniciativa acontece logo após a divulgação do resultado do estudo feito pelo Barômetro Político do Estadão, que mostrou uma melhora da imagem do presidenciável, desde sua filiação.

A pesquisa, que já está em campo em todo o território nacional, servirá como mais um parâmetro para consolidação da candidatura de Barbosa, que já é vista por alguns setores do PSB como irreversível. Segundo socialistas, as resistências que surgiram com a ascensão do ex-ministro começam a ser superadas. É o caso do governador de São Paulo, Márcio França, que pretendia viabilizar o apoio do partido à candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB), mas teria dado sinais de que incentivará a candidatura própria.

Leia também
'No Cafezinho' entrevista Tadeu Alencar
Ciro Gomes diz não ter receio da candidatura Joaquim Barbosa
PSB marca reunião para ambientar Joaquim Barbosa na política


De acordo com o levantamento do Barômetro Político do Estadão, divulgado na última quarta-feira (25), a desaprovação ao ex-presidente do STF caiu de 42% para 36%, enquanto a aprovação oscilou de 38% para 40%.

A sigla também prepara um novo encontro entre Joaquim Barbosa e a bancada do PSB. Socialistas aguardam a confirmação da agenda do ex-ministro, para viabilizar a reunião em Brasília, nos próximos dias. No último dia 26, o líder do partido na Câmara, deputado Júlio Delgado (MG), leu um manifesto em defesa da candidatura de Barbosa. O documento afirma que a sua filiação representa “a defesa e a pratica da ética republicana”, necessária em um momento em que “a sociedade demonstra um profundo descrédito com a política e com os seus agentes".

Luiz Inácio Lula da Silva
Luiz Inácio Lula da SilvaFoto: Reprodução/Facebook

A prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), para além dos seus efeitos jurídicos, representou uma verdadeira virada de mesa no jogo político das eleições deste ano. Primeiro lugar nas pesquisas presidenciais, mesmo após as condenações impostas pelo juiz Sérgio Moro e o Tribunal Regional Federal da 4 Região (TRF4), o chefe do Executivo é considerado uma peça chave na disputa eleitoral por conta da sua liderança tão carismática quanto polêmica.

Nesta série de reportagens, dividida em duas partes, a Folha de Pernambuco procurou lideranças do campo de esquerda e da direita para analisar o impacto da reclusão do líder petista para as duas pontas clássicas da disputa eleitoral, que ficaram ainda mais enfatizadas diante da polarização, cada vez mais radical, da sociedade brasileira.

Nesta primeira parte, lideranças das agremiações esquerdistas analisam o impacto da saída de cena do maior líder que seu campo político viu surgir nos últimos anos. A vereadora Marília Arraes (PT), o dirigente nacional do PDT Túlio Gadêlha e o vereador Ivan Moraes (PSOL) abordam o impacto da prisão do petista nas eleições deste ano no Brasil e em Pernambuco, além de opinar sobre as melhores estratégias para enfrentar a disputa.



Leia também
PT abandona lema 'eleição sem Lula é fraude' e adota a assinatura 'Lula livre'
Moro diz que há mais provas, além das delações, contra Lula
Líder do PT na Câmara mantém inspeção na carceragem de Lula, em Curitiba

Antônio Campos, advogado
Antônio Campos, advogadoFoto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

O advogado Antônio Campos protocolou, nesta segunda-feira (30), uma ação popular contra a mudança da bandeira tarifária da conta de luz de verde para amarela, que gera custo adicional nas contas de energia já a partir de maio. Campos usa como argumentação na ação o "desvirtuamento" da utilização das bandeiras tarifárias por parte da Aneel que, segundo ele, não tem servido a finalidade que se propõe, sendo detectado por auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU).

Na ação, o advogado relata que auditoria do Tribunal de Contas da União constatou que o Sistema de Bandeiras Tarifárias aplicado nas contas de luz "não cumpre os objetivos para o quais foi criado: sinalizar os custos reais de geração de energia, tornar as contas mais transparentes e alertar o consumidor sobre o aumento na tarifa, levando a um consumo consciente e diminuindo a demanda energética".

Segundo Antônio Campos, um dos motivos alegados pela Aneel para mudança da bandeira tarifária seria o fim do período úmido e a menor incidência de chuvas que teriam levado a redução dos reservatórios das hidrelétricas do Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste. Para o advogado, "tal argumento não procede".

Antônio Campos ainda cita que o mês de abril, em Pernambuco, foi o mais chuvoso nos últimos sete anos. A ação pede a suspensão da mudança da bandeira tarifária que traz mais custo ao consumidor, que acaba de ter um aumento anunciado das tarifas elétricas.

Corpo de Bombeiros
Corpo de BombeirosFoto: Divulgação

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) vai homenagear, com um Grande Expediente Oficial, os 130 anos do Corpo de Bombeiros de Pernambuco. A solenidade está marcada para a próxima quinta-feira (3), às 10h30, no auditório Sérgio Guerra. A homenagem foi solicitada pelo deputado estadual Aluisio Lessa (PSB).

A criação do atual Corpo de Bombeiros coincide com a chegada a Pernambuco, procedente do Rio de Janeiro, do seu primeiro comandante, Capitão Joaquim José de Aguiar, que então expediu sua primeira ordem do dia. A data considerada de sua criação é 20 de outubro de 1887.

Eriberto Rafael (PTC)
Eriberto Rafael (PTC)Foto: Anderson Barros/Imprensa Câmara do Recife

A Prefeitura do Recife encaminhou à Câmara Municipal um Projeto de Lei que versa sobre abertura de linha de crédito. Segundo o documento, que autoriza o Poder Executivo a abrir Crédito Especial, o valor de R$ 506 mil deve ser usado no pagamento do pessoal da Assessoria Especial do prefeito, aquisição de material de consumo, terceirização de serviços jurídicos, entre outros. O PLE foi recebido na Comissão de Finanças e Orçamento na última sexta (27) e deve ser discutido na comissão somente na próxima semana - já que terça (1º) não tem expediente por conta do feriado.

O vereador Eriberto Rafael (PTC), líder do governo na Casa José Mariano, ficou responsável pela relatoria da matéria. Caso aprovado na comissão, a pauta segue para apreciação do plenário. Este projeto de lei requer adequação das leis do PPA que está em vigência - lei 18.432, de 18 de dezembro de 2017 e da LOA - Lei 18.433, de 18 de dezembro de 2017.

De acordo com o vereador Rinaldo Júnior (PRB), líder da oposição e também membro da comissão de finanças, o PLE pode afetar o orçamento do município. “O governo vai pegar emprestado para pagar pessoal, tendo 5,6 mil cargos comissionados, extra-quadro, em vez de enxugar a máquina vai se endividar para pagar o que já está inchado”, declarou. Ainda segundo ele, “quando a gente fala em prioridades, a gente vê o governo se endividando para pagar o pessoal e esquecendo os servidores ”.

LDO
A Lei de Diretrizes Orçamentárias também terá o vereador Eriberto Rafael como relator e, do mesmo modo, foi encaminhada pelo Executivo Municipal e recebida na comissão de finanças na última sexta-feira. Ela trata das prioridades e metas da administração pública e também orienta a elaboração da LOA em setembro.

Oscar Barreto
Oscar BarretoFoto: Hesíodo Góes/Arquivo Folha

O tesoureiro do PT Recife, Demetrius Fiorante, foi eleito para o cargo de presidente municipal e deve reforçar a ala petista que briga por aliança partidária com o PSB. O racha interno do diretório da Capital pernambucana ficou evidenciado com o pedido de desfiliação do ex-presidente Osmar Ricardo - que, com a saída, provocou a necessidade de uma eleição para um mandato-tampão até 2019. Tendo mudado para o PCdoB, Ricardo acompanhou a migração do ex-prefeito João Paulo, mas deixou no PT seus aliados. A disputa estava sendo considerada acirrada por conta da pré-candidatura da vereadora Marília Arraes (PT) ao Palácio do Campo das Princesas.

A competição para o cargo de presidente do diretório do Recife aconteceu no último sábado. Além de Fiorante, concorreu o dirigente estadual Felipe Cury, um dos entusiastas da candidatura própria do PT e mais especificamente, um dos apoiadores da vereadora Arraes.

Leia também:
Humberto Costa: "Não vou em qualquer situação"


A eleição - indireta e decidida pelo voto de 44 diretorianos - vem na sequência das declarações do senador Humberto Costa, de que a justificativa para uma aliança com os socialistas se dava pelo fato da legenda estar “fragilizada” em Pernambuco. A vitória de Fiorante foi considerada folgada: mais de dois terços dos votos, segundo afirmou o vice-presidente Oscar Barreto. De acordo com ele, o pedido formal de aliança com o PSB ainda deve ser entregue ao diretório estadual. “Vai ser feita essa semana”, garantiu Barreto. Com o resultado positivo para os apoiadores da coligação, o grupo de Humberto sai fortalecido.

Apesar disso, Barreto também argumenta que as eleições para o diretório recifense - que acabou elegendo seu candidato - não considerou a discussão dos petistas sobre as eleições a governo. “A eleição termina em outubro e a gestão continua até o ano que vem”. No entanto, o vice-presidente admitiu que existem movimentações internas. “É claro que há um movimento de várias lideranças de confirmar essa importância de aliança. Há um movimento, claro, eu faço parte desse movimento inclusive”.

Após este pleito, os petistas têm evitado declarações polêmicas que evidenciem ainda mais o racha interno no partido. De acordo com o presidente estadual da sigla, Bruno Ribeiro, espera-se uma relação tranquila com o diretório do Recife. Bruno também reforçou que as questões referentes a alianças estão sendo discutidas sem considerar o cenário local e ressaltou o projeto nacional do partido.

comece o dia bem informado: