Foram encontrados 254 resultados para "Maio 2019":

Líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB) e governador Paulo Câmara (PSB) acompanharam a inauguração ao lado do presidente Jair Boslonaro (PSL)
Líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB) e governador Paulo Câmara (PSB) acompanharam a inauguração ao lado do presidente Jair Boslonaro (PSL)Foto: Divulgação

Após a agenda no Recife, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), seguiu para Petrolina, no Sertão de Pernambuco, onde inaugura o residencial Morada Nova, pelo Minha Casa Minha Vida (PMCMV), do Governo Federal em parceria com a Caixa Econômica Federal, na tarde desta sexta-feira (24). É a primeira entrega de casas no Brasil do programa no Governo Bolsonaro. A escolha de Petrolina teve muita influência do líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), que tem seu reduto eleitoral no município.

O empreendimento, destinado a famílias com renda de até R$ 2,6 mil (Faixa 1,5 do MCMV), recebeu investimento de R$ 47,2 milhões. Mais de 1.800 pessoas serão beneficiadas com a entrega das 472 unidades habitacionais. Além da presença do presidente, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara; o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto; e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, participam da inauguração.

Leia também:
Jair Bolsonaro chega ao Recife e segue para o IRB
Aos governadores, Bolsonaro vincula sucesso do plano para o NE à reforma da Previdência
Manifestantes pró e contra Bolsonaro se concentram em frente ao IRB
Bolsonaro apela a governadores pela 'reforma mãe' da Previdência

Morada Nova

Localizado na Avenida Marechal Hermes da Fonseca, no bairro Antônio Cassimiro, o residencial é composto por 472 casas. Cada casa tem área privativa de 47m², divididos em 2 quartos, sala, banheiro, cozinha e área de serviço, com piso cerâmico em todos os ambientes. As unidades estão avaliadas em R$ 105 mil.

Atendendo às exigências de qualidade do programa, o residencial é equipado com infraestrutura completa, pavimentação, redes de água, esgotamento sanitário, drenagem, energia elétrica e disponibilidade de acesso ao transporte público.

Minha Casa Minha Vida
No Brasil, o programa já beneficiou mais de 16,3 milhões de pessoas, com a entrega de 4,08 milhões de moradias em todo o país. Já em Pernambuco, foram entregues mais de 136,2 mil unidades, beneficiando mais de 544 mil pessoas. Em Petrolina, o PMCMV já beneficiou mais de 64,4 mil pessoas com a entrega de 16 mil unidades habitacionais.

Prefeito de petrolina Miguel Coelho presenteou o presidente durante a cerimônia.

Prefeito de petrolina Miguel Coelho presenteou o presidente durante a cerimônia. - Crédito: Divulgação / Prefeitura de Petrolina



Bolsonaro chegou em Petrolina, na tarde desta sexta (24) para inaugurar habitacional

Bolsonaro chegou em Petrolina, na tarde desta sexta (24) para inaugurar habitacional - Crédito: Divulgação / Prefeitura de Petrolina

Reunião da Sudene com o presidente Jair Bolsonaro
Reunião da Sudene com o presidente Jair BolsonaroFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

No Recife, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), criticou a fala do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que afirmou que o sucesso do Plano de Desenvolvimento para o Nordeste depende da aprovação da reforma da Previdência. Ambos participaram nesta sexta-feira (24), no Instituto Ricardo Brennand (IRB), no bairro da Várzea, na Zona Oeste do Recife, de reunião do Conselho Deliberativo da Sudene. O encontrou marcou o lançamento do plano e contou com a presença dos governadores de todos os estados do Nordeste, de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Antes da apresentação do plano, Bolsonaro vinculou o sucesso da medida à proposta de reforma da Previdência que tramita no Congresso. "Sem a reforma da Previdência não podemos sonhar nem botar em prática parte do que estamos propondo neste momento", afirmou. Essa fala foi rebatida por Rui Costa, que afirmou não gostar de condicionar ações e investimentos à reforma. "Isso não é bom nem para a aprovação da reforma pois fica parecendo que você está fazendo uma troca. A previdência é algo tão importante para a nação que não pode ser permutada ou trocada por qualquer outra ação", afirmou o petista.

Leia também:
Bolsonaro apela a governadores pela 'reforma mãe' da Previdência
'Ninguém é obrigado a continuar como ministro', diz Bolsonaro sobre declaração de Guedes


Rui ainda propôs um debate sobre os pontos da reforma. "Cabe um debate sério, consistente e mediado. [Nós, governadores do Nordeste] Já divulgamos um documento divulgando a nossa posição. Nenhum país relevante adotou o sistema de capitalização. E [nos que adotaram] o resultado é desastroso", acrescentou Costa.

Um dos principais tópicos da proposta da reforma, o sistema de capitalização, também foi rebatido pelo governador da Bahia. "Retirando esse ponto facilita muito o diálogo, pois os outros itens você pode modular. Capitalização não tem como modular: ou você implanta ou não implanta".

O governador baiano fez um balanço positivo da reunião e comemorou aprovações favoráveis aos estados nordestinos. "Esse plano é resultado da escuta com os governadores. [Foi sancionada] a proposição que os estados gostariam: aprovar 30% do valor do FNE [Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste] para ser executado pelos governos dos estados em obras de infraestrutura", concluiu Rui Costa.

Presidente Jair Bolsonaro (PSL)
Presidente Jair Bolsonaro (PSL)Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Em entrevista coletiva após reunião com governadores no Conselho Deliberativo da Sudene (Consel), no Instituto Ricardo Brennand, nesta sexta (24), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) falou sobre o principal foco do governo, que é a aprovação da reforma previdenciária. "É um projeto que eu chamo de 'reforma mãe'. Se não fizer isso, ninguém vai querer investir em nosso país. É um apelo que nós fazemos. A gente não tem partido político. A União não está bem e a maioria dos Estados e municípios também não", afirmou.

Bolsonaro destacou que a aprovação da reforma transcende bandeiras partidárias e cobrou dos governadores mais empenho junto aos seus parlamentares aliados."Eu e a esquerda somos de escolas antagonistas, mas estamos ligados agora pelo mesmo objetivo. Eu tenho certeza que os governadores e todos os prefeitos do Brasil torcem pela aprovação da reforma da Previdência. O que não pode acontecer é essas pessoas torcerem pela aprovação e não fazerem que os parlamentares a quem elas têm acesso votem favorável à mesma. Aí complica a situação. Tem gente que torce, e não estou dizendo todos, pra que a reforma seja aprovada, mas com o voto dele contrário", apontou.

Na abertura do encontro, o presidente já havia defendido a reforma da Previdência, condicionando o sucesso do Plano de Desenvolvimento para o Nordeste, lançado esta sexta-feira, à aprovação da PEC;

Na coletiva, o presidente também comentou sobre recentes declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que deixaria o governo caso a reforma da Previdência não seja aprovada.

Presidente da República, Jair Bosonaro (PSL)
Presidente da República, Jair Bosonaro (PSL)Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O presidente Jair Bolsonaro comentou, em coletiva de imprensa após a reunião do Conselho Deliberativo da Sudene com governadores, nesta sexta-feira (24), no Instituto Ricardo Brennand, no Recife, as recentes declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que deixaria o governo caso a reforma da Previdência não seja aprovada.

"Ninguém é obrigado a continuar como ministro meu. Logicamente, ele tá vendo uma catástrofe e é verdade, concordo com ele, se nós não aprovarmos uma reforma realmente muito próxima a que nós enviamos para o parlamento. Paulo Guedes não é um vidente e nem precisa ser pra entender que o Brasil será um caos econômico sem a provação dessa reforma", afirmou.

Leia também:
Guedes diz que reforma da Previdência deve ser aprovada em até 90 dias
Em tom de brincadeira, Guedes corrige Bolsonaro sobre Previdência

Grupos de apoiadores e opositores do presidente nas proximidades do IRB
Grupos de apoiadores e opositores do presidente nas proximidades do IRBFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Pequenos grupos de apoiadores e opositores ao presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) se concentram nas imediações do Instituto Ricardo Brennand (IRB), no bairro da Várzea, na Zona Oeste do Recife, na manhã desta sexta-feira (24). Com gritos a favor e contra o chefe do Executivo nacional, as dezenas de pessoas presentes manifestaram-se no local com gritos, cartazes, faixas e camisas amarelas e vermelhas.

Para reforçar a segurança, policiais militares fazem um cordão de isolamento separando os grupos de lados opostos. Uma pequena confusão foi registrada entre manifestantes e PMs no caminho do IRB. O conflito foi logo contido após a chegada do Batalhão de Choque.

Leia também:
Bolsonaro e governadores se reúnem no Conselho da Sudene
No Recife, Fátima Bezerra diz que financiamento de plano para o NE precisa ser discutido
Renan Filho critica, no Recife, 'samba de uma nota só' pela Previdência de Bolsonaro


O presidente Bolsonaro participa de reunião com o Conselho Deliberativo (Condel) da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). No encontro, Bolsonaro lança Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), nesta que é sua primeira viagem oficial à região desde que tomou posse, no último 1º de janeiro.

Reunião do Conselho deliberativo da Sudene com o presidente Jair Bolsonaro, ministros e governadores.
Reunião do Conselho deliberativo da Sudene com o presidente Jair Bolsonaro, ministros e governadores.Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Após a visita ao acervo do Instituto Ricardo Brennand (IRB), na Várzea, na manhã desta sexta (24), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e governadores do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo participaram de reunião no Conselho Deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste - Sudene (Condel), realizada no próprio IRB, na Zona Oeste do Recife. Ao anunciar o Plano de Desenvolvimento para o Nordeste, principal pauta do encontro, Bolsonaro deixou claro que o sucesso da medida vai depender da aprovação da reforma da Previdência.

Estiveram no encontro, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), os ministros Osmar Terra (Cidadania), general Santos Cruz (Secretaria da Presidência), General Heleno (GSI), além dos governadores Rui Costa, Flávio Dino, Romeo Zema, Camilo Santana, João Azevedo, Wellington Dias, Fátima Bezerra, Renan Filho e Belivaldo Chagas. O governador Renato Casagrande (ES) não foi citado na apresentação. O líder do governo no Senado Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) também participou do encontro.

Em sua fala, Bolsonaro elogiou a apresentação dos jovens da Orquestra Criança Cidadã e pediu união da classe política. "É um exemplo pra todos nós, políticos, se nos unirmos, independente de agremiação política e partidária, para atingirmos o objetivo maior que é o futuro de nosso Brasil. O que nós queremos e vocês querem aqui presentes, com toda a certeza, é que nossos filhos sejam melhores do que seus respectivos pais porque só assim nós temos a certeza que venceremos etapas para colocar o Brasil no lugar de destaque que ele merece".

"Nós queremos, sim, apesar do pouco que o Brasil tem, tendo em vista a situação que encontramos economicamente, fazer o possível para ajudar o povo do Nordeste", disse o presidente. Discurso reforçado pelo ministro do Desenvolvimento Regional Gustavo Canuto. "Sem o desenvolvimento do Nordeste, não haverá o desenvolvimento do Brasil", afirmou Canuto.

Antes de apresentar o Plano de Desenvolvimento do Nordeste, o presidente fez questão de vincular o sucesso dessa medida à proposta de reforma da Previdência que tramita no Congresso. "Sem a reforma da Previdência não podemos sonhar nem botar em prática parte do que estamos propondo neste momento", afirmou. Antes da reunião, Renan Filho (MDB) havia criticado justamente a prioridade da pauta da reforma da Previdência em detrimento de outras agendas para o país. 

Leia também:
Renan Filho critica, no Recife, 'samba de uma nota só' pela Previdência de Bolsonaro
No Recife, Fátima Bezerra diz que financiamento de plano para o NE precisa ser discutido
Bolsonaro e governadores se reúnem no Conselho da Sudene


O prefeito Geraldo Julio fez uma fala em nome dos gestores municipais do país, pedindo uma revisão do Pacto Federativo. "As prefeituras também vivem essa crise e também a dificuldade de receita e têm pressões e necessidade de apresentação de mais serviços. Um exemplo disso é que aqui, no Recife, a gente recebeu das escolas particulares mais de 12 mil alunos que vieram para a escola pública. É mais professor, mais sala de aula, mais fardamento e mais merenda. A mesma coisa com o SUS. Aqui no Recife, pouco mais de 110 mil pessoas sairam dos planos de saúde pro Sistema Único de Saúde", relatou. "O Brasil precisa muito de uma revisão do Pacto federativo", defendeu Geraldo Julio.

Já o governador Paulo Câmara (PSB) procurou proferir uma fala mais conciliadora e institucional. "Esse nosso encontro de hoje reúne mais do que gestores públicos do nosso país. Estão reunidos aqui, sobretudo, nós, governadores do Nordeste, de Minas Gerais e do Espirito Santo, as expectativas do povo de toda uma região. Milhares de brasileiros. Uma população com a qual todos nós temos um compromisso firmado. É uma oportunidade histórica, senhor presidente, de estarmos juntos, em torno da Sudene, que nasceu com um claro propósito. Uma instituição criada pela força de uma missão: o combate às desigualdades e o equilíbrio regional necessário para um país visto como uma nação justa e pátria de todos", discursou.

Paulo ainda apontou os desafios que precisam ser vencidos pelo poder público, destacando o importante papel da Sudene. "Ao longo de décadas, apesar dos avanços recentes, ainda se convive com flagelos como a seca, a falta de oportunidades, a infraestrutura insuficiente e a instabilidade econômica. Estamos aqui em total convergência diante desse quadro", disse.

Do Recife, Bolsonaro viaja na tarde desta sexta-feira para Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Lá, ele inaugura o residencial Morava Nova, do Programa Minha Casa Minha Vida. Está prevista a saída de Petrolina para as 16h05, quando seguirá para o Rio de Janeiro.

Reunião do presidente Jair Bolsonaro e governadores com Conselho Deliberativo da Sudene

Crédito: Arthur Mota / Folha de Pernambuco



Ouça o áudio com a fala do presidente na íntegra:

Governador de Alagoas, Renan Filho (MDB)
Governador de Alagoas, Renan Filho (MDB)Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O governador de Alagoas, Renan Filho (MDB), é um dos convidados presentes na agenda do presidente Jair Bolsonaro (PSL) esta sexta-feira no Recife. Antes da chegada da comitiva presidencial, ele falou com jornalistas e criticou a agenda imposta pelo Governo Federal até agora, com foco total na reforma da Previdência em detrimento de outras ações importantes.

"O que atende a expectativa dos governadores do Nordeste é uma agenda para novos investimentos, para a retomada do crescimento, uma agenda acessória à reforma da Previdência. O Brasil não pode parar", comentou Renan Filho.

Segundo ele, os governadores concordam com a necessidade da reforma, só pedem que outras agendas sejam levadas em conta. "Nós somos a favor da reforma da Previdência, já assinamos uma carta, inclusive, dizendo isso. Nós não somos a favor é da retirada dos direitos dos mais pobres. Isso precisa ser levado sempre em consideração como ressalva. Mas o Brasil precisa fazer uma reforma da Previdência que eleve um pouco a idade mínima e que combata privilégios. Agora o que o país não pode é ter uma agenda única, um 'samba de uma nota só'. Precisa ter mais coisa pra retomar o protagonismo", avaliou.

Leia também:
Jair Bolsonaro chega ao Recife e segue para o IRB
No Recife, Fátima Bezerra diz que financiamento de plano para o NE precisa ser discutido

"Ninguém trocará ajuda da reforma da Previdência se ela tirar o direito dos mais pobres. A gente não abre mão. Que ela não trate de maneira brutal trabalhador rural, aposentados, professoras em detrimento de professores e os governadores têm se posicionado em relação a isso", frisou Renan.

Sobre a agenda com os governadores no Nordeste, o governador disse desconhecer qual anúncio fará o presidente. "A gente ainda não sabe direito qual o anúncio, não sei se vocês já sabem, mas eu ainda não sei, vamos ver", disse, revelando quais são suas expectativas para a agenda. "Esperamos que o Governo Federal, sobretudo com a presença do presidente Bolsonaro, apresente qual a agenda esperada para o Nordeste em dois momentos. Primeiro, até a reforma da Previdência. E, depois, posteriormente à reforma, porque a gente precisa ter uma agenda própria para o que o Nordeste mantenha o que aconteceu no século XXI, que é a população crescer mais do que o restante do país", cobrou.

Agenda para o Nordeste - Segundo o governador, ainda não houve nenhum anúncio de impacto para beneficiar a região. "Proposta que agradasse não saiu nem em reuniões com os governadores nem em outras. Na verdade está difícil agradar. O Brasil vive uma crise muito dura e precisa ter soluções para ela", afirmou. Ele disse que espera uma agenda da retomada do crescimento, da geração de emprego, da redução do inidvidamento do país. "Essas agendas são fundamentais para que o país volte a sentir que pode crescer", disse.

"Na verdade, não só investimentos. O que o Nordeste precisa é de uma agenda de retomada de crescimento do país e o que a região especificamente reinvindica é o direito de continuar crescendo mais do que o restante do país, como aconteceu ao longo do século XXI para reduzir as desigualdades. É isso que a gente pede. Investimento é importante, mas não é só isso. A gente precisa de outras alternativas pra retomar o crescimento, gerar emprego e o brasileiro sentir esperança. Nós tivemos eleições em outubro do ano passado e a marca principal do início do ano é que a esperança diminui. Nós precisamos ver a esperança voltar a crescer", pontuou.

Manifestações de domingo - Renan questionou os atos pró-Bolsonaro convocados por apoiadores para o próximo domingo (26). "Sinceramente não tô vendo. Eu não vi nenhuma convocação ainda. É estranho manifestação pró-governo, né? A gente não vê isso normalmente. Manifestação é pra reinvindicar. Saiu uma pesquisa recente do XP que diz que a há uma rejeição maior do que a aprovação e tem uma manifestação a favor do governo que é mais rejeitado do que aprovado. É no mínimo estranho. Então, vamos acompanhar".

Mesmo com as críticas, Renan Filho disse esperar que o governo reaja e possa tomar boas decisões. "Eu sou governador do estado e governadores tem que trabalhar e torcer pra que o governo acerte. Ele tem errado muito, mas temos que torcer pra que ele acerte porque quando o governo erra muito, todo mundo paga", ponderou.

Governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), ao lado de outros governadores do Nordeste
Governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), ao lado de outros governadores do NordesteFoto: Governo de Sergipe/Divulgação

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), veio ao Recife para participar do lançamento do Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), nesta sexta-feira (24). A reunião, que conta com a presença do presidente da República Jair Bolsonaro (PSL), reúne governadores de todos os estados ligados à Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Em entrevista aos veículos da imprensa antes do início da reunião, Fátima declarou suas impressões sobre o plano.

"Não adianta ter boas ideias e um plano bonito sem financiamento, sem orçamento", disse. "A ideia do plano de desenvolvimento para o Nordeste é extremamente necessária e oportuna. Agora, precisamos discutir, além do conteúdo programático do plano, o financiamento", acrescentou.

Leia também:
Renan Filho critica, no Recife, 'samba de uma nota só' pela Previdência de Bolsonaro
Bolsonaro lança Plano Regional de Desenvolvimento para o Nordeste
Jair Bolsonaro chega ao Recife e segue para o IRB


A petista ainda adiantou uma proposta dos governadores para auxiliar o desenvolvimento da região. "Uma das principais propostas que o Fórum de Governadores do Nordeste traz é destinar 30% do Fundo Nacional de Desenvolvimento para o Nordeste para os estados".

com informações de Paulo Veras, da Editoria de Política

Bolsonaro segue para o IRB
Bolsonaro segue para o IRBFoto: Leo Malafaia/Folha de Pernambuco

O presidente Jair Bolsonaro desembarcou, por volta das 9h20 desta sexta-feira, na base aérea do Cindacta III, no Recife,  e já se encaminha para a primeira agenda do dia na capital pernambucana, a visita ao acervo do Instituto Ricardo Brennand, na Várzea. Lá, ele será recepcionado pela Orquestra Criança Cidadã.

Depois dessa primeira agenda, Bolsonaro participa para uma reunião do Conselho Deliberativo da Sudene - Condel, às 10h45, também no IRB. No local, há forte aparato de segurança e pequenas movimentações de grupos pro e contra Bolsonaro. Jornalistas estão isolados numa área, sem acesso direto aos convidados, como os governadores.

Leia também:
Bolsonaro lança Plano Regional de Desenvolvimento para o Nordeste

Depois Bolsonaro embarcará, às 13h, para Petrolina, no Sertão, onde inaugura o Residencial Morada Nova do Programa Minha Casa, Minha Vida, além de anunciar um incentivo da Caixa Econômica federal para a fruticultura da região. Por fim, às 16h, está programado o embarque para o Rio de Janeiro, do Aeroporto Senador Nilo Coelho.

Forte aparato de segurança foi montado para receber o presidente no Instituto Ricardo Brennand

Forte aparato de segurança foi montado para receber o presidente no Instituto Ricardo Brennand - Crédito: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco


 

 

reunião do governador Paulo Cãmara (PSB) com o ministro Sérgio Moro, na Seplag.
reunião do governador Paulo Cãmara (PSB) com o ministro Sérgio Moro, na Seplag.Foto: Hélia Scheppa/PSB

Aprimeira parceria confirmada entre o Governo de Pernambuco e o Governo Federal é a inclusão do município do Paulista, localizado na Região Metropolitana do Recife, na seleta lista do Programa Nacional de Combate à Violência. O projeto será implementado, em caráter piloto, nos municípios com alto índice de homicídios em cada região do País. São eles: Cariacica, no Espírito Santo; Ananindeua, no Pará; São José dos Pinhais, no Paraná; Paulista, em Pernambuco, e Goiânia, única capital da lista.

O programa será lançado oficialmente pelo Governo Federal no dia 28 de maio, com início das atividades previsto para 1º de julho. As cidades escolhidas devem receber cerca de R$ 200 milhões para a aplicação. A experiência deverá acontecer ao longo de três meses, com possibilidade de renovação, e contará com a Força Nacional, as policias Federal (PF) e Rodoviária Federal (PRF), que darão suporte às polícias civis e militares. A parceria já havia sido discutida no dia 28 de março, durante a estada do secretário Nacional de Segurança Pública, general Guilherme Teófilo.

Ao fim do encontro de ontem, o governador Paulo Câmara (PSB) comentou sobre a oportunidade. “É uma ação integrada, que não envolve apenas repressão, mas também a prevenção e a presença do Estado. A gente ficou de conversar mais. Vamos avaliar os resultados com a ação em Paulista”, explicou. “Será uma ação articulada pela redução dos homicídios naquela região. É piloto para termos de condições, mas, na frente, esperamos fazer em outras localidades”, contou Câmara.

O governador também sinalizou o interesse de cooperação com o governo Bolsonaro. “A gente espera que isso possa ter um desdobramento e trabalhar em conjunto. O que vier de ajuda do Governo Federal, principalmente nas questões do tráfico de drogas e de armas é importante para Pernambuco”, disse. Ações nos presídios e a presença de inteligências como a PF e PRF foram lembradas. “São ações permanentes, que estaremos sempre conversando com o Governo Federal, dentro de uma pauta realmente de buscar reduzir o número de homicídios em todo o Estado.”

Na segunda-feira, uma delegacia comunitária será implementada no bairro de Maranguape I. De acordo com o capitão Manassés, do 17º Batalhão da Polícia Militar de Paulista, uma das exigências do Governo Federal foi uma contrapartida de cunho social. “A estratégia tem como referência o modelo policial japonês Koban, que propõe uma parceria entre a comunidade e a polícia. Cerca de 17 policiais militares e 10 guardas municipais tiveram aulas sobre políticas comunitárias, gestão no atendimento, direitos humanos e práticas de ensino para lidar com a comunidade”, explicou.

comece o dia bem informado: