Ex-deputado federal e um dos pré-candidatos do PSOL à Prefeitura do recife, Paulo Rubem Santiago
Ex-deputado federal e um dos pré-candidatos do PSOL à Prefeitura do recife, Paulo Rubem SantiagoFoto: Caio Danyalgil/Folha de Pernambuco

O ex-deputado federal e um dos pré-candidatos do PSOL à Prefeitura do Recife, Paulo Rubem Santiago, reforçou a decisão da legenda de lançar um nome para disputar a capital pernambucana, em entrevista à Rádio Folha (FM 96,7), nesta quarta-feira (4). "Já é uma decisão consolidada no PSOL termos canditaura própira no Recife e nas poroinciapa capitais no Brasil", afirmou.

Paulo Rubem era um dos três nomes do PSOL que pleiteavam disputar no Recife. Com a retirada da candidatura de Zé Gomes, que decidiu apoiá-lo, ele disputa internamente a candidatura com Severino Alves, que preside a legenda em Pernambuco. Ele consideou um acerto da legenda em apostar em Dani Portela na disputa ao Governo do Estado em 2018.

"Foi importante nós lançarmos a canidatura de Dani Portela. No Recife tivemos 10% dos votos. Nós estamos tranquilos. o queé importante num mandato é nãoperder a autonomia", disse. Segundo ele, o recifense sente a necessidade de renovação, pois hpa 20 anos é gpovernado pelos mesmos partidos.

Confira a entrevista completa:

Procurador-geral do Estado apresenta experiências de Pernambuco em arbitragem em Conferência da Câmara Internacional de Comércio
Procurador-geral do Estado apresenta experiências de Pernambuco em arbitragem em Conferência da Câmara Internacional de ComércioFoto: Divulgação

O procurador-geral do Estado de Pernambuco, Ernani Medicis, ministrou palestra nesta terça-feira (3), à tarde, na 1ª Conferência da Corte Internacional de Arbitragem da Câmara Internacional de Comércio (CCI) para o Nordeste, realizada no auditório do RioMar Trade Center. O procurador-geral falou sobre “Experiências e perspectivas da arbitragem no âmbito da Administração Pública do Estado de Pernambuco”, em mesa composta pelo procurador do Estado Leonardo Cunha e pela advogada Silvia Bueno, e mediada pela secretária-geral adjunta da Corte de Arbitragem da CCI, Ana Serra e Moura.

O evento, que teve apoio do Centro de Estudos Jurídicos da Procuradoria Geral do Estado de Pernambuco (PGE-PE), é o primeiro de uma série que a Corte realizará para discutir experiências da prática jurídica de arbitragem nos estados nordestinos. A CCI (ou ICC na sigla em inglês) é a maior organização empresarial mundial, com 6 milhões de empresas e associações em 130 países. A Corte Internacional de Arbitragem, estabelecida em 1923, é a entidade que administra as arbitragens da CCI em todo o mundo e conta com 176 membros de 104 países.

Ernani Medicis falou sobre as quatro experiências em arbitragem envolvendo o Estado de Pernambuco: sobre o Terminal de Contêineres de Suape, em 2009; sobre o aumento do custo do ICMS sobre a venda de gás natural envolvendo a Termopernambuco e a Copergás, em 2010; sobre a parceria público-privada para construção e exploração do Presídio de Itaquitinga, em 2015; e sobre os custos de conclusão da Arena Pernambuco, iniciada em 2015 e atualmente em estágio pericial. “Mesmo tendo sido encarada inicialmente com desconfiança, posso afirmar, pelos resultados obtidos, pela celeridade e especialidade, que a resolução de conflitos pela arbitragem está hoje internalizada na cultura da advocacia pública pernambucana”, disse Ernani Medicis.

Sobre as perspectivas, ele citou o aperfeiçoamento da Lei Estadual 15.627/2015, que regulamenta o juízo arbitral para solução de litígio envolvendo o Estado de Pernambuco, e o projeto de lei 693/2019, aprovado na tarde desta terça-feira no Plenário da Assembleia Legislativa e que institui a Câmara de Negociação, Conciliação e Mediação da Administração Pública Estadual. Entre as atribuições da Câmara, está sugerir ao procurador-geral do Estado, quando for o caso, a arbitragem de controvérsias não solucionadas por negociação, conciliação ou mediação.

O evento contou com a presença do coordenador do CEJ, César Caúla; da ouvidora da PGE-PE, Socorro Brito; da procuradora-chefe da Procuradoria da Fazenda Estadual, Fernanda Maranhão; da procuradora-chefe adjunta da Procuradoria de Apoio Jurídico-Legislativo ao Governador, Maria Cristina Tavares; e dos procuradores do Estado Adriana Crizóstomo, Taciana Xavier e Rodrigo Tenório.

Projeto Cidade Pacífica foi apresentado e discutido com parlamentares, na Cãmara Federal.
Projeto Cidade Pacífica foi apresentado e discutido com parlamentares, na Cãmara Federal.Foto: Divulgação




20/11/2019 - O procurador-geral de Justiça de Pernambuco, o promotor Francisco Dirceu Barros, e o chefe de Gabinete da Procuradoria-geral de Justiça (PGJ-PE), o promotor Paulo Augusto de Freitas, participaram de audiência pública na Câmara dos Deputados, em que o projeto Cidade Pacífica foi apresentado e discutido com parlamentares.

A reunião ocorreu na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e teve a participação da conselheira Nacional de Justiça, Maria Tereza Uille Gomes; coordenador de Políticas Municipais de Segurança Pública da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), Gustavo Souza Rocha; o promotor de Justiça do Distrito Federal e Territórios, Antônio Henrique Graciano Suxbeger, representando o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP);e o prefeito do município de Gravatá , cidade que está em primeiro lugar no ranking do Cidade Pacífica, Joaquim Neto.

“Todas as organizações públicas precisam ter um novo olhar para a segurança pública. Não é somente prender aquele que comete o delito, mas também é articular ações e desenvolver interação com as diversas instituições e órgãos públicos. A prevenção é a ferramenta que consolida a política de segurança e melhora a sensação do cidadão”, disse o procurador-geral de Justiça de Pernambuco, Francisco Dirceu Barros durante sua apresentação.

Um dos destaques apontados por ele é o estabelecimento de diálogo que o Cidade Pacífica promove. “Um dos principais eixos do projeto é a Mesa Municipal de Segurança. Nós do Ministério Público colocamos todos os atores envolvidos para dialogar e construir saídas. São as igrejas, as escolas, professores, donos de estabelecimentos comerciais, que sentam juntos e encontram soluções para as peculiaridades de cada município. Além dos nove eixos que construímos, diversas cidades, elaboraram outros eixos e estão implementando no escopo de suas ações”, disse o PGJ.

“O Cidade Pacífica é uma nova forma de trabalhar do Ministério Público de Pernambuco, que sai de uma postura demandista para ter um papel de protagonista no diálogo a fim de construir uma solução sólida para o combate à violência e a promoção da segurança”, disse o chefe de Gabinete da PGJ-PE, o promotor de Justiça Paulo Augusto de Freitas. Ao longo da apresentação do projeto que foi realizada ele pontuou a necessidade de desenvolver mecanismos de atração de recursos para aprimorar as ações que são desenvolvidas. “É preciso que pensemos a proposta de encaminhamentos de recursos federais aos municípios para que seja possível investimentos cada vez mais relevantes”, reforçou.



“O papel do município é vital na promoção da segurança pública. Na esfera estadual, contamos com o Pacto pela Vida, que tem foco maior na repressão, com as ações das polícias, cabendo aos municípios a colaboração nesse processo por meio de adoção de medidas preventivas. O MPPE entendeu essa importância dos gestores municipais no processo de construção da cultura de paz e foi conversar com prefeitos para propor atitudes simples e de baixo custo, mas que podem modificar a vida da população. Essa é a base do projeto Cidade Pacífica”, finalizou Paulo Augusto.

"Essa nossa audiência irá dar uma grande contribuição com País. O Brasil precisa observar essa experiência de Pernambuco e seguir o exemplo do MPPE. O Cidade Pacífica precisa fazer parte de uma agenda de segurança pública nacional", disse o deputado federal, um dos autores do Requerimento nº 130/2019, que convocou a reunião.

Ele saudou, ainda, a postura que vem sendo tomada pelo MPPE na atuação nos municípios brasileiros. "Precisamos seguir essa conduta do procurador-geral de buscar soluções dialogadas com todos os segmentos da sociedade. Construindo com altivez e solidez soluções integradas duradouras", reafirmou o deputado.

Representando o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, o coordenador de Políticas Municipais de Segurança Pública da Senasp, Gustavo Souza Rocha, realizou uma ampla apresentação onde apontou questões relevantes do cenário nacional de segurança. “A causa principal de homicídios, por exemplo, são: violência interpessoal, gangues, consumo de drogas, álcool e violência doméstica. Estamos investindo, ainda mais, a integração com o poder judiciário, a integração de dados e, principalmente o diálogo. O cidade Pacífica é um exemplo de ação integrada e o Ministério Público de Pernambuco tem trabalhado diferente a questão dos municípios, sendo parceiro ao cuidar da vida e das pessoas”, disse ele.


O representante do Conselho Nacional do Ministério Público cobrou dos parlamentares a necessidade de criar mecanismos que melhorem o diálogo institucional entre os entes públicos envolvidos na pauta. “Segurança pública é um problema multinível e multifuncional e que precisa de interação e diálogo constante, como vem fazendo o MP de Pernambuco. A gente precisa ter mais pluralidade de dados e ainda mais transparência nas ações que são desenvolvidas pelo Executivo”, disse o promotor de Justiça do Distrito Federal e Territórios, Antônio Henrique Graciano Suxbeger.

A conselheira do CNJ destacou a importância do projeto e como o Cidade Pacífica dialoga com a Agenda 2030, traçada pela Organização das Nações Unidas (ONU). "Precisamos ter um diálogo integrado, conversando sobre ações que precisam ser pensadas como o MPPE vem fazendo. Esse projeto é uma referência importantíssima que vem de Pernambuco e deve ser disseminada e implementada em todo o Brasil", disse ela. Durante o evento, ela realizou convite para que o PGJ possa realizar apresentação do projeto no CNJ.

Parlamentares fizeram participação durante a exposição que foi realizada, com sugestões para de disseminação do projeto. "Quero parabenizar o MPPE e o PGJ pela postura de diálogo e parceria demonstrando grande espírito público. Vamos trabalhar para encaixar o Cidade Pacífica no novo pacto federativo. Esse projeto precisa ser encarado como uma política nacional, a ser implementada em todo o Brasil", disse o deputado federal pernambucano Silvio Costa. Ele convidou o MPPE para fazer apresentação do projeto na próxima Confederação Nacional dos Municípios. “Precisamos apresentar ao Brasil essa iniciativa que está dando certo”, reforçou.

GRAVATÁ - O prefeito de Gravatá, Joaquim Neto, realizou a apresentação de como o Cidade Pacífica melhorou a segurança na cidade e trouxe melhorias em diversas áreas. “A segurança é um problema de todos e o MPPE tem sido um grande parceiro. O promotor de Justiça da nossa cidade foi lá na prefeitura conversar conosco, acompanhou todo o processo de implementação e faz o monitoramento das ações. Cobra a nossa atuação, aponta questões que podem ser melhoradas”, disse ele.

O secretário municipal de Segurança Pública de Gravatá, Wilson Barros, complementou a apresentação do prefeito, esmiuçando o passo a passo de implementação. “Além do Cidade Pacífica, temos outros projetos que rodam junto com o MPPE, que é o caso do Educação Contra a Corrupção e o Voltei”, apontou o prefeito.

Prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), em entrevista à Rádio Folha
Prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), em entrevista à Rádio FolhaFoto: Alfeu Tavares / FolhaPE


Em entrevista ao programa do Bocão na Rádio Folha (96,7), na manhça desta quarta-feira (4), o prefeito do Recife Geraldo Julio (PSB) destacou o compromisso do Recife em promover o debate sobre as consequências das mudanças climáticas. Geraldo preside o ICLEI - Governos Locais pela Sustentabilidade para a América do Sul, rede global de mais de 1.750 governos locais e regionais cujo compromisso é o desenvolvimento urbano sustentável.

"Existe um levantamento internacional de risco em função das mudanças climáticas e da emergência climática que o mundo vive, e esses estudos dizem que Recife é uma das 16 cidades do mundo que vão mais ter consequências", advertiu o prefeito que elencou o aumento do nível do mar e as consequêntes inundações e alagamentos, o calor excessivo, entre oas maiores consequências para a capital pernambucana.

"Todas essas coisas vão acontecendo e as pessoas muitas vezes não têem a informação de que isso é consequência das mudanças climáticas", disse Geraldo. O prefeito lembrou que a ONU colocou o assunto no núcleo do debate Global.

Leia também:
'É uma eleição que vai discutir quem está com o povo e quem é contra', diz Geraldo Julio
Geraldo faz balanço da gestão e critica Bolsonaro: 'Governa de costas para o povo'


Acordo de Paris

Geraldo Julio traçou um paralelo entre o governo de Donald Trump, nos Estados Unidos e o governo brasileiro e as reações dos governos locais brasileiros e norte-mericanos em refutar o Acordo de Paris sobre a necessidade de reduzir a emissão de gases do efeito estufa para conter o aquecimento global. "Infelizmente tem países que os governo nacionais ignoram isso e enfrantam a ciência e a verdade", avaliou.

"O Govenro americano acabou de notificar a ONU e dizer que vai sair do acordo de Paris. Os governo locais nos Estados Unidos esão fazendo o inverso, estão aprovando leis rígidas para poder evitar as emissões de gases do efeito estufa e conseguir cumprir as metas do acordo de Paris e evitar essas tragédias que podem acontecer, alías algumas já estão acontecendo. Aqui é a mesma coisas. O governo nacional é contra, mas os governo locais têm compromisso", pontuou Geraldo.

"Recife foi a primeira cidade brasileira a reconhecer a emergência climática global. Mutas cidades do mundo está fazendo isso também. E nós fomos a primeira cidade a colocar no currículo dos meninos das escolas as mudanças climáticas. Aqui no Brasil tem gente comprometida com essa causa porque ela mexe com a vida das pessoas", frisou o prefeito.

Geraldo lembrou que Recife reazlizou recentemente a primeira conferencia brasileira do clima, enviolvendo prefeitos, governadores e especialistas no assunto. "O Recife sediou essa discussão aqui no país, muito embora o Brasil tenha negado a realização da COP no país", criticou.

Prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), em entrevista à Rádio Folha
Prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), em entrevista à Rádio FolhaFoto: Alfeu Tavares / FolhaPE

A falta de investimentos em políticas sociais e as medidas do governo de Jair Bolsonaro que atingem a população mais pobre do país foram alvo de questionamentos do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), na manhã desta quarta-feira (4), em entrevista exclusiva ao programa do Bocão na Rádio Folha (96,7) e à reportagem da Folha de Pernambuco. Geraldo apresentou diversas ações de sua gestão em contraponto ao Governo Federal.

"É um governo que tem uma posição muito clara contra o povo. Corta na educação, corta na assistencia social, reduz o orçamento do Bolsa Famíllia. Imagine só achar que em um tempo como esse de crise econômica e de desemprego vai diminuir o orçamento do Bolsa Família. É claro que isso vai empobrecer os mais pobres", apontou o prefeito. Segundo ele, o Recife tenta suprir essa ausência de políticas com programas de geração de renda como o Chegando Junto, onde as próprias mães são contratadas para cuidar dos filhos de toda a comunidade, num espaço de convivência com assistentes socais, enquanto os pais buscam o sustento da família.

"Acabou de fazer uma reforma da Previdência tirando do Regime Geral as pessoas do INSS que têm uma média de aposentadoria no Brasil de R$ 1.200,00. Então, reduzir remuneração de quem ganha R$ 1.200,00 não é resolver a situação do país, pelo contrário. Então é aumento da desigualdade, governando de costas para o povo. Um governo em que todos os posicionamentos são contra a população, sobretudo a população mais pobre. É por isso que a gente faz oposição, porque a gente é a favor do povo", afirmou.

Leia também:
Geraldo Julio destaca importância do debate sobre mudanças climáticas
'É uma eleição que vai discutir quem está com o povo e quem é contra', diz Geraldo Julio

O prefeito citou algumas medidas do governo Bolsonaro que afetam a população mais pobre, a exemplo do preço do gás e da carne, do sucateamento e aumento contínuo da passagem do Metrô do Recife, que é responsabilidade da União, dos cortes na assistência social, dentre outras."É por isso que a gente está fazendo ações concretas de ajudar a população a vencer um tempo em que o Governo Federal prometeu gerar emprego para todo mundo, disse que o Brasil ia entrar nos trilhos e a gente não está vendo esse emprego, não chegou emprego para ninguém e a gente está aqui lutando junto com a população", frisou o prefeito.

"É isso que vem de Brasília. De lá não vem emprego nem investimento em educação, saúde e assitência social, não vem nada. Então, diante desse quadro, com a crise prolongada e um governo federal que não está olhando para a população, a gente tem que cuidar das necessidades básicas das pessoas. É por isso que chega o nosso programa Chegando Junto. É olhar a realidade, o mundo reral. Vamos falar aqui do mundo real. Disseram lá em Brasília que não tem mais fome no Brasil. É de quem não conhece o país. É de quem não conhece a vida real que a gente sabe e vê nas ruas no Brasil inteiro", finalizou.

Balanço da gestão

Entre as realizações nos sete anos de governo, geraldo Julio citou a construção de 100km de ciclovias e ciclofaixas, aumentando em 300% a participação desse modal na cidade, a reforma da Avenida Conde da Boa Vista, que deve ser entregue até a metade de 2020, antecipando o prazo previsto inicialmente, a implantação do programa Ilumina Recife para combater a violência nos bairros, as ações nos morros, a Construção do Hospital do Idoso, com previsão de entrega em 2020, as Upinhas, a ampliação do número de Centro Comunitário da Paz (Compaz), entre outras ações.

"A gente tesá trabalhando para atender as demandas da população. Quando a gente faz um espaço de convivência que acolhe as crianças que estavam indo para o trabalho com os pais e em que a próprias mães são contratadas para esse espaço de convivência, a gente está cuidadando da vida daquela família e as ações são para isso. Para ajudar a vencer esse tempo de crise", disse. 

Segundo o prefeito, em 2020 a população do Recife poderá avaliar sua gestão e decidir se quer continuidade a esse projeto. "Naturalmente, durante o processo eleitoral as administrações são observadas. E a gente tem uma administração já fechando o 7º ano e iniciando o 8º ano com muito otimismo. Temos obras importantes para entregar como o Hospital Eduardo Campos, o Hospital da Pessoa Idosa, duas unidades do Compaz, obras nos morros, nas vias. Tem muita coisa acontecendo na cidade e isso tem deixado a gente muito animado para 2020", destacou geraldo.

Geração de Renda

Geraldo Julio destacou um projeto de geração de renda que está sendo desenvolvido na rede municipal de ensino e envolvendo as comunidades. "Se não tem emprego a gente está trabalhando para gerar renda para as pessoas. Por exemplo, nas escolas, a gente está pagando as pessoas do próprio bairro, o pai e a mãe do aluno que vai lá e ganha uma diária de 50 reais. A gente já está com 2000 pssoas que receberam diárias. Esse recusross faz circular a economia do bairro. Se tem serviço nas escolas quem vai fazer são essas pessoas que estão desempregadas", destacou.

Deputado estadual Joel da Harpa (PP)
Deputado estadual Joel da Harpa (PP)Foto: Anderson Stevens/Arquivo Folha

Preocupado com o futuro dos policiais e bombeiros militares, o deputado Estadual Joel da Harpa está em Brasília desde o início da semana. Ele está acompanhando de perto a movimentação do Projeto de Lei 1.645/2019 que reestrutura a carreira e a previdência dos militares federais e ainda espelha essas regras com as que vão vigorar para os militares estaduais.

Nesta terça-feira, a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) aprovou a proposta sem qualquer alteração em relação ao texto que veio da Câmara, evitando com isso uma nova análise por parte dos deputados. O texto segue para o Plenário do Senado. “Estamos fazendo levantamento quanto a Integralidade, paridade, promoção imediata e a nova alíquota que será descontada. A tropa está muito ansiosa é existem diversas dúvidas”, explica o parlamentar.

Segundo o Projeto de Lei 1.645/2019, os ativos, inativos e pensionistas passarão a recolher 14% nos proventos para o sistema de seguridade. O texto também aumenta o tempo de serviço mínimo para aposentadoria de 30 para 35 anos e reduz o rol de dependentes e pensionistas. A permanência em cada posto também ficará mais longa.

A celebração marcou também o anúncio de novas iniciativas, a revista digital Inovação e Desenvolvimento e o edital Tecnova II
A celebração marcou também o anúncio de novas iniciativas, a revista digital Inovação e Desenvolvimento e o edital Tecnova IIFoto: Divulgação

A Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco (FACEPE) comemorou os seus 30 anos de atividades nesta terça-feira (3), em evento na sede da entidade, reuniu antigos e atuais membros da instituição e importantes nomes da comunidade científica. A celebração marcou também o anúncio de novas iniciativas, a revista digital Inovação e Desenvolvimento e o edital Tecnova II.

Presidente da FACEPE no anos 90, o ex-ministro de Ciência e Tecnologia Sérgio Rezende falou da satisfação em fazer parte da data comemorativa. "Eu fico emocionado em ver o quadro de Sebastião Simões, um dos precursores da ideia de Miguel Arraes de colocar a ciência no cotidiano do povo com a FACEPE e Secretaria de Ciência e Tecnologia de Pernambuco. Ao longo desses 30 anos, a instituição beneficiou a população e se notabilizou por suas ações de fomento à ciência e tecnologia", declarou.

Ciente da responsabilidade de manter vivo o legado da FACEPE, o presidente Fernando Jucá destacou que a missão da instituição segue sendo a de gerar benefício para o povo por meio da pesquisa e desenvolvimento científico: "É uma alegria muito grande dar continuidade ao trabalho tão bem feito pelos meus antecessores. A FACEPE está de portas abertas para a sociedade, visando gerar desenvolvimento econômico e social de todo o investimento aplicado em ciência e tecnologia", afirmou.

Um dos responsáveis pelo processo atual de valorização da instituição, o secretário Aluísio Lessa destacou o impacto positivo que possuem as iniciativas da FACEPE. "Aqui, foram desenvolvidas soluções pioneiras para o Brasil, como o combate às arboviroses. Recentemente, diante do desastre ambiental do óleo que assola as praias do Nordeste, a instituição entrou em ação para minimizar os danos ao meio ambiente e à população. São 30 anos de muitas vitórias e avanços científicos", comentou.

Em tempos onde o Governo Federal tem atacado a ciência, a tecnologia e a inovação, a vice-governadora Luciana Santos ressaltou o quanto a democracia é importante para a área. "A democracia é necessária para a ciência. Ela se afirma mais como uma necessidade histórica quando se tem os bens da democracia. E a Facepe é a demonstração cabal disso. Ela só existiu a partir do momento de redemocratização do país, quando Miguel Arraes decidiu fundá-la", concluiu.

Revista digital e edital Tecnova II

As comemorações também reservaram espaço para o lançamento da revista digital Inovação e Desenvolvimento, que será publicada com trabalhos e pesquisas da Facepe a cada quatro meses. E o edital Tecnova II, em parceria com Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), para o desenvolvimento de novos produtos por parte de empresas de inovação.

Prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), em entrevista à Rádio Folha
Prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), em entrevista à Rádio FolhaFoto: Alfeu Tavares / FolhaPE

O prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), após entrevista ao programa do Bocão na Rádio Folha (FM 96,7), na manhã desta quarta-feira (4), conversou com a reportagem da Folha de Pernambuco sobre as perspectivas para as eleições municipais de 2020. Segundo o socialista, o debate nacional deve pautar as campanhas pelo País.

"Eu acredito que o debate nacional vai fazer parte de todo o processo eleitoral do país em todos os municípios brasileiros. São cerca de 5.600 municípios e, em todos, o debate nacional sem dúvida nenhuma vai acontecer porque é um governo que tem uma posição muito demarcada de governar contra a população, sobretudo a população mais pobre", avaliou.

Geraldo acredita que a perda dos direitos sociais e a falta de políticas sociais serão levadas à reflexão para o eleitor. "É uma eleição que certamente vai discutir quem está com o povo e quem é contra o povo. Essa, certamente, será uma das discussões mais importantes que vai acontecer em 2020", disse o prefeito.

Leia também:
Geraldo faz balanço da gestão e critica Bolsonaro: 'Governa de costas para o povo'
Geraldo Julio destaca importância do debate sobre mudanças climáticas


Eleições 2020
Apesar de o PSB já trabalhar o nome de João Campos para a sucessão municipal no Recife e de outros partidos aliados em 2018 terem se colocado na disputa, o prefeito preferiu não antecipar o debate sobre a eleição. "É muito cedo para discutir ainda a articulação política. O PSB e a Frente Popular têm uma tradição de fazer isso mais perto do processo eleitoral, sobretudo nesse tempo de uma crise prolongada, em que as pessoas estão desempregadas, precisando de renda e de trabalho. O foco agora é na gestão, no trabalho", afirmou.

Sobre a manutenção da aliança com PT que se consolidou em 2018, apesar do desejo da deputada federal Marília Arraes (PT) de sair candidata no Recife -, reforçado pela presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann -, Geraldo disse que a postura do PSB será de tentar agregar os partidos, mas não interferir nas decisões de cada agremiação. "O comportamento do PSB nas articulações que vão acontecer vai ser igual a todas as vezes que a gente fez. A gente convida a todos que fazem parte da Frente Popular a participar do processo eleitoral conjuntamente e cada partido toma a sua decisão. E, em 2020, será assim de novo. Mas não fizemos nenhuma conversa ainda sobre a eleição de 2020", disse.

Senador Humberto Costa - PT/PE
Senador Humberto Costa - PT/PEFoto: Alessandro Dantas/Senado

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, reagiu com indignação ao projeto de lei apresentado pelo governo Jair Bolsonaro que libera empresas de cumprir cota de vagas para trabalhadores com deficiência. Para Humberto, a proposta é cruel, preconceituosa e excludente.

“Nesta terça (03), temos o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, mas, infelizmente, não temos o que comemorar em termos de política pública. O governo do presidente Jair Bolsonaro mostrou mais uma vez o seu desprezo pelas camadas mais vulneráveis da população brasileira. Sua ofensiva contra minorias não tem limite. Agora, ele ameaça o emprego de cerca de 440 mil pessoas com deficiência em todo o país”, afirmou.

Pelo projeto do governo, em vez de as empresas contratarem funcionários com deficiência, elas poderão pagar dois salários mínimos mensais à União para acabar com a obrigação. O dinheiro seria gerenciado pelo governo e, em tese, aplicado em projetos nessa área.

“Como se não bastasse querer taxar desempregados, Bolsonaro agora cria projeto para que as empresas deixem de contratar pessoas com deficiência e engordem as contas do governo. Em contrapartida, promete criar projetos, mas sem nenhuma garantia de que essas pessoas conseguirão emprego. Cerca de 24% da população brasileira têm alguma deficiência. A gente deveria estar discutindo novos projetos de inclusão e não o contrário”, afirmou Humberto.

A proposta do governo diz que também pretende estimular a contratação de pessoas com o que chamou de deficiência grave. “Essa é mais uma medida excludente. Quem é que vai definir quem é mais ou menos deficiente? Vão querer mercantilizar em cima disso também?”, questionou Humberto

O projeto de lei recebeu críticas também de entidades da área. A Associação Nacional dos Membros do Ministério Público de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência e Idosos (Ampid) divulgou nota em que diz que o projeto descumpre Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e frustra os objetivos da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência.

O evento faz parte da primeira etapa em que os diretórios tucanos de todo o Brasil
O evento faz parte da primeira etapa em que os diretórios tucanos de todo o BrasilFoto: Divulgação

O PSDB de Pernambuco realizará nesta quarta-feira (4), às 10h, o Congresso Estadual 2019 na sede do partido, no bairro do Derby, em Recife. O evento faz parte da primeira etapa em que os diretórios tucanos de todo o Brasil realizam encontros estaduais preparatórios para o Congresso Nacional do PSDB, que acontece no próximo sábado, 7, em Brasília.
  
“Este é o momento de ouvir nossos filiados e simpatizantes pernambucanos para juntos construirmos diretrizes e propostas que serão levadas para o Congresso Nacional, onde será decidido o futuro do PSDB. Vamos aproveitar a ocasião para também firmar um novo momento em Pernambuco, fortalecendo nossas bases para chegarmos prontos e fortes em 2020”, destaca a presidente estadual do PSDB, a deputada Alessandra Vieira.

A programação contará com apresentação e debate com o prefeito de Gravatá, Joaquim Neto, sobre Segurança; com a prefeita de Lagoa do Carro, Judite Botafogo, sobre a Política Social e Participação da Mulher na Política; vereador André Régis sobre Educação; do secretário geral da Diversidade Tucana Nacional e presidente da Diversidade Tucana em Pernambuco, Lucas Barros, sobre Segmentos do PSDB; e do professor de Economia da UFPE, Ricardo Chaves sobre Desenvolvimento Econômico e Serviço Público.

Na ocasião, também ocorrerá o ato de filiação do pré-candidato a prefeito de Palmares, Alexandre Leão e do pré-candidato a prefeito de Goiana, Walter do ETP, do pré-candidato a prefeito de Escada, Irmão Lailton, do pré-candidato a prefeito em Parnamirim, Paulinho Tem de Tudo. Além da presidente estadual, deputada Alessandra Vieira, também estarão presentes prefeitos, vereadores, pré-candidatos de 2020, lideranças pernambucanas tucanas, filiados e simpatizantes do PSDB.

Serviço – Congresso Estadual do PSDB em Pernambuco 2019

Data: 04/12/2019
Hora: 10h
Local: Rua Viscondessa do Livramento, 226, bairro do Derby, Recife.

assuntos

comece o dia bem informado: