A reunião, no auditório do Ministério Público do município, foi promovida pela Gerência de Penas  Alternativas e Integração Social (Gepais)
A reunião, no auditório do Ministério Público do município, foi promovida pela Gerência de Penas Alternativas e Integração Social (Gepais)Foto: Divulgação

“A importância da aplicabilidade da Política Pública de Medidas e Penas Alternativas como instrumento ressocializador “ foi o tema principal do encontro entre instituições que recebem cumpridores no município de Garanhuns, nessa sexta-feira, 19.

A reunião, no auditório do Ministério Público do município, foi promovida pela Gerência de Penas Alternativas e Integração Social (Gepais), que é vinculada a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH). O objetivo foi realizar integração entre as entidades parceiras , além de oferecer um espaço para discussão sobre a importância das instituições na ressocialização dos cumpridores.

Participaram do evento representantes de 31 instituições parceiras, das 79 cadastradas no município. Atualmente, existem 67 cumpridores na modalidade de prestação de serviços à comunidade distribuídos pela rede local.

Segundo Raquel Brandão, gerente da Gepais, “as reuniões com a rede social parceira são um momento de integração e troca de experiências entre a Gepais, através da Central de Apoio às Medidas e Penas Alternativas (Ceapa) e as entidades, tendo em vista que a política de Alternativas Penais só é possível através dessas parcerias".

André de Paula
André de PaulaFoto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

O presidente estadual do PSD, deputado federal André de Paula, em entrevista à Rádio Folha (FM 96,7), nesta sexta-feira (19), comentou sobre a dificuldade de diálogo do governo Bolsonaro com o Congresso. Segundo ele, se não fosse o protagonismo da Cãmara Federal, a reforma da Previdência sequer iria a votação. 'Vamos votar a reforma apesar de Bolsonaro', avaliou o parlamentar.

Segundo ele, é a falta de interlocução com o Legislativo que tem trazido o que muitos estão chamando parlamentarismo branco, que coloca o Congresso como protagonista das principais reformas do país. "Essa relação tem sido pautada por uma certa tensão e desconfiança. Se isso fluisse melhor nós poderíamos ter avançado muito mais", afirmou o deputado.

Na entrevista, o parlamentar também comentou sobre os 200 dias do governo Bolsonaro, a reforma da Previdência, eleições 2020 e outros assuntos da política nacional e local.

Ouça a entrevista na íntegra:



Representantes de 23 estados marcaram presença no encontro que definiu como meta para as eleições do próximo ano
Representantes de 23 estados marcaram presença no encontro que definiu como meta para as eleições do próximo anoFoto: Mauro Filho

O PSDB Mulher, em parceria com a Fundação Alemã Konrad Adenauer e o Instituto Teotonio Vilela (ITV), promoveram o Workshop de Planejamento Estratégico que discutiu o “Cenário Político Nacional e os Desafios da Representação Feminina”, no Recife. Representantes de 23 estados marcaram presença no encontro que definiu como meta para o próximo ano eleger mais mulheres nas próximas eleições.

A proposta é repetir e ampliar o sucesso que o partido obteve em 2018, de acordo com a presidente nacional do PSDB Mulher, Yeda Crusius. Segundo ela, a bancada feminina na Câmara cresceu 60% em relação à de 2014 e 33% nos estados, enquanto o partido viu seu tamanho diminuir.

Durante o evento, houve um painel com o doutor em Ciência Política na USP e Pró-reitor de Pesquisa e Graduação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Ernani Carvalho. Debateu o cenário político no Brasil, os desafios e as oportunidades do PSDB na conjuntura atual, bem como as perspectivas para as próximas eleições.

Na segunda etapa da programação, a consultora sênior em Gestão com foco em Planejamento Estratégico, Paula Quiroga, promoveu uma série de dinâmicas de grupo, estimulando as presidentes estaduais do PSDB Mulher a identificarem as principais forças, oportunidades, fraquezas e ameaças do movimento político feminino.

O Workshop de Planejamento Estratégico encerrou com uma palestra da 1ª Vice-presidente do PSDB Mulher, Thelma de Oliveira, prefeita da Chapada dos Guimarães (MT).

Nordeste

A coordenadora regional do PSDB Mulher do Nordeste, Iraê Lucena, aproveitou o workshop para reunir as representantes de 9 estados da região. A ideia é tornar o PSDB Mulher uma referência dentro do sistema partidário junto ao movimento e fórum de mulheres, bem como na sociedade brasileira, especialmente nessa região.

As tucanas definiram suas prioridades para garantir a ampliação do número de mulheres eleitas na região. Entre elas, a instalação do PSDB Mulher nos principais municípios nordestinos, interiorizando suas ações na busca de novas lideranças políticas para estimular candidaturas femininas nas eleições de 2020.

Decidiram ainda promover uma campanha estadual de filiação de mulheres até o fim deste ano. Paralelamente, elas pretendem estimular ações junto às bancadas femininas municipais e estaduais em defesa da ética na política.

Marília Arraes
Marília ArraesFoto: Arthur de Souza

A deputada federal Marília Arraes (PT-PE) usou as redes sociais para reagir às recentes declarações do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Em café da manhã com correspondentes internacionais, ele afirmou negou que exista fome no país. "Falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira. Passa-se mal, não come bem. Aí eu concordo. Agora, passar fome, não", disse em café da manhã com correspondentes internacionais", disse.

A parlamentar não poupou Bolsonaro em sua postagem. "Enquanto os governos do PT tiraram o Brasil do Mapa da Fome, reduzindo em 82% o percentual da população em situação de subalimentação, as medidas tomadas por Temer, após o golpe de 2016, e o desmonte das políticas públicas imposto por Bolsonaro, podem levar o país, novamente, à miséria. É inaceitável um Presidente da República afirmar que a fome no Brasil é mentira. É um escárnio com quem sofre as consequências da miséria, que mata, adoece e compromete o futuro do Brasil", postou.

Confira:

marília

Crédito: Reprodução/Instagram

João Campos (PSB-PE) será o subrelator da Comexmec
João Campos (PSB-PE) será o subrelator da ComexmecFoto: Rodolfo Loepert


O deputado federal João Campos divulgou, em seu perfil do Instagram, que passou a ocupar a subrelatoria na Comissão Externa de Acompanhamento do MEC (Comexmec) da Cãmara Federal. O parlamentar postou uma foto de uma visita que fez a uma escola no município de Ouricuri, no Sertão.

"Integramos a comissão para debater a inclusão de forma permanente do fundo na Constituição, mas ainda assim, isso é apenas uma melhoria que buscamos. Não vamos descansar enquanto a educação integral não for uma realidade, enquanto o produto intelectual do nosso povo não for devidamente valorizado", diz João Campos na postagem.

Confira:

joão campos

Crédito: Reprodução/Instagram



"Essa semana assumi a sub-relatoria dedicada a acompanhar o ensino superior e a pesquisa, lá na Comexmec. Ainda assim, não existe uma "área" mais importante da educação, da base ao ensino superior, nossa pauta é a melhoria do sistema educacional brasileiro como um todo!

Na foto, estou com os alunos da EREM São Sebastião, no município de Ouricuri. Aqui em Pernambuco a educação foi e continua sendo uma prioridade. Saímos do 21° lugar para o 1° na avaliação do IDEB. É bom, mas não é suficiente.

O FUNDEB tem prazo de validade e se vê órfão neste governo, integramos a comissão para debater a inclusão de forma permanente do fundo na Constituição, mas ainda assim, isso é apenas uma melhoria que buscamos. Não vamos descansar enquanto a educação integral não for uma realidade, enquanto o produto intelectual do nosso povo não for devidamente valorizado.

Como diria meu pai: "No dia em que os filhos do pobre e do rico, do político e do cidadão, do empresário e do trabalhador, estudarem na mesma escola... nesse dia o Brasil será o País que queremos. Tem muito a ser feito e essa foto é um #tbt de #NossasLutas. Simbora!", diz a legenda do post.

1ª Jornada de Direitos Humanos para Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) da Região Metropolitana do Recife ocorre no Hotel Amoaras Resort, em Paulista
1ª Jornada de Direitos Humanos para Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) da Região Metropolitana do Recife ocorre no Hotel Amoaras Resort, em PaulistaFoto: Divulgação

Continua durante todo o dia desta sexta (19) e sábado (20) a 1ª Jornada de Direitos Humanos para Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) da Região Metropolitana do Recife.  O evento tem o objetivo de qualificar gestores, administradores, funcionários e todas as pessoas envolvidas no cotidiano das ILPIs, visando garantir o atendimento mais adequado e humanizado as pessoas idosas residentes nas instituições, além de favorecer e promover a criação de uma rede de proteção aos direitos da pessoa idosa.

As Instituições de Longa Permanecia para Idosos (ILPIs) prestam um serviço relevante para a sociedade ao acolher, em caráter residencial, pessoas idosas com idade igual ou superior a 60 anos que escolhem viver em comunidade ou até que não têm mais contato com a família.

Mais de 80 profissionais dos municípios da RMR e de outras regiões participam da formação. “Queremos promover a qualificação trazendo temas como políticas públicas de atenção à pessoa idosa e as modalidades de atendimento, a humanização dos cuidados, o cumprimento às normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, o respeito à legislação vigente e aspectos gerenciais e administrativos”, explica a coordenadora do Programa do Idoso do Centro de Desenvolvimento e Cidadania (CDC), Elizângela Martins. O CDC é umas das entidades realizadoras do evento.

Além do CDC, a jornada conta com a parceria do Núcleo de Gerontologia Social do Hospital Universitário Oswaldo Cruz da Universidade de Pernambuco (NAISCI/UPE) e tem o apoio do Ministério da Mulher, da Família e Direitos Humanos.

De acordo com estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), de 2010, a grande maioria das instituições brasileiras é filantrópica, 65,2%, incluindo neste conjunto, as religiosas e leigas. As privadas constituem 28,2% do total. Apenas 6,6% das instituições brasileiras são públicas ou mistas, predominando as municipais. Já o Censo SUAS de 2014 detectou 1.451 ILPIs no Brasil inteiro, sendo 180 delas na região Nordeste. A região do Brasil com maior números de ILPIs é o Sudeste (842), seguido pelo Sul (242). O Centro-Oeste tem 156 instituições e o Norte apenas 35.
  
 
Programação
 
19/07 – Das 8h ‪às 18h‬
A Mesa Temática 01, das 9h ‪às 10h20‬, será sobre Políticas Públicas de atenção à Pessoa Idosa e as Modalidades de Atendimento, com a participação da assistente social e coordenadora geral do Naisci/Huoc/UPE, Sálvea de Oliveira Campelo e Paiva; da assistente social e residente do Programa de Cuidados Paliativos da UPE, Danielle Menezes de Lima e da psicóloga e presidente da Gerontologia da SBGG-PE, Cirlene Francisca Sales da Silva.

A Mesa Temática 02, das ‪10h40‬ ‪às 12h‬, será sobre Instituições de Longa Permanência para Pessoas Idosas, Rede de Assistência Social e Controle Social e contará com as palestras de Karla Maria Bandeira, assistente social do Hospital Universitário Oswaldo Cruz; Ana Nery de Melo Santos, presidente do CDC e Luzia Cristina da Silva Dutra, psicóloga da secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco.

A Mesa Temática 03, das 14h ‪às 15h20‬ será sobre Humanização no Cuidado, Envelhecimento Ativo - Conceito e Fundamento e aspectos biopsicossociais do envelhecimento, com palestra da médica da família da Prefeitura do Recife, Maria de Fátima Nepomuceno e da terapeuta ocupacional e coordenadora do Naisci/Huoc/UPE, Tatiana Lins Carvalho.

Depois de uma apresentação cultural do Grupo de Ciranda do Centro Cultural e de Inclusão Produtiva da Pessoa Idosa de Olinda, a Mesa Temática 04, das 16h ‪às 18h‬, será sobre a Promoção de Vínculos Familiares e Comunitários para a Pessoa Idosa, com a participação de Mauricéa Tabósa Ferreira Santos, terapeuta ocupacional e  gerontóloga pela SBGG-PE e Inalda Neves Baptista, coordenação do Centro Cultural e de Inclusão Produtiva da Pessoa Idosa de Olinda.
 
‪20/07 – Das 8h às 16h‬

Depois de uma apresentação cultural do Grupo de Idosos Viver Bem, entre as 09 ‪às 10h20‬, a Mesa Temática 05 será sobre Normatizações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e legislações sobre cuidado e acessibilidade (RDC nº 283/2005): regulamento técnico para funcionamento; fiscalização das entidades; principais problemas sanitários relacionados aos cuidados e atendimento integral aos idosos residentes. O tema contará com as palestras de Margarida Maria Carreiro de Barros, médica geriatra do Instituto de Pesquisa da Terceira Idade (IPETI); Margarida Maria Santos Silva, enfermeira também do IPETI e de Verônica Cristina Braynner dos Santos, psicóloga da Secretaria de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos de Olinda.

Das ‪10h40‬ ‪às 12h‬, haverá a Conferência “Aspectos da Gestão Administrativa e Financeira em ILPIs: Sustentabilidade, Patrocínio/Doações e Prestação De Contas”, com a participação de ANA NERY DOS SANTOS MELO, presidente do CDC e Elizangela Maria Martins, coordenação de Projetos do CDC.

Entre ‪as 14h‬ e 16h, haverá a conferência de encerramento com o balanço e avaliação do evento.
 
Serviço:

1ª Jornada de Direitos Humanos para (ILPI) Instituições de Longa Permanência para Idoso na Região Metropolitana no Recife
Data: 18, 19 e ‪20 de Julho de 2019‬
Local: Hotel Amoaras Resort, Rua da Amoaras, 525 - Maria Farinha, Paulista, Pernambuco | Telefone: ‪(81) 3436-1221‬

dep. Wolney Queiroz (PDT-PE)
dep. Wolney Queiroz (PDT-PE)Foto: Divulgação

As declarações do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, de que o deputado federal Túlio Gadêlha será o candidato do partido na disputa pela Prefeitura do Recife no próximo ano, segue uma orientação do partido para fortalecer os quatros da legenda, segundo o também deputado federal Wolney Queiroz, que preside a sigla no Estado. De acordo com Queiroz, o nome do parlamentar não é o único apto a concorrer. Para o dirigente estadual, a secretária de Habitação do Recife, Isabella de Roldão, "é um nome que pode vir a ser lançado pelo partido". No entanto, ele considera que a discussão, neste momento, "é prematura".

"Essa fala de Lupi é uma fala coerente com o que o PDT reiterou na sua convenção: o indicativo de fortalecer as candidaturas nas cidades com mais de 200 mil eleitores. Então, Lupi, enquanto presidente nacional, tem o dever de ser coerente com essa posição do partido que é de ressaltar os seus quadros para que eles se coloquem na disputa municipal, principalmente as capitais. Não há nenhuma novidade", explicou Wolney. "O PDT tem Túlio, que pode ser candidato, tem Isabella de Roldão, que já foi pré-candidata a prefeitura do Recife e foi candidata a vice-governadora em uma missão do partido, dada no ano passado, é secretária municipal de Habitação e também é um nome que pode vir a ser lançado pelo partido", acrescentou.

Para Wolney, o PDT tem mais de um nome e "é bom que isso ocorra" porque signica que o partido tem quadros aptos, mas que isso será debatido no momento oportuno, em "meados de 2020", quando se discutirá a oportunudade de lançar candidatura majoritária.

Aliança

O presidente estadual do PDT também comentou sobre a aliança da legenda com o PSB - atualmente o partido tem cargos tanto na gestão do governador Paulo Câmara, quanto do prefeito Geraldo Júlio. "Não há de se antecipar uma discussão de ter ou não candidato com mais de um ano para a disputa. O PDT, hoje, tem aliança com PSB a nível estadual e no âmbito municipal, também. Nós fazemos parte do governo, assim como outros partidos, como o PT, por exemplo, também tem essas mesmas participações no governo e discutem internamente a oportunidade ou não de ter uma candidatura a prefeito. A hora agora é de cuidar dos mandatos", garantiu Wolney.

"O PDT tem que trabalhar para fazer uma boa gestão à frente dessas duas secretarias, Túlio tem que fazer um bom mandato, eu tenho que fazer um bom mandato, não adianta a gente ficar antecipando eleições para não atrapalhar os trabalhos que nós temos que desenvolver atualmente", complementou.

Deputado federal Fernando Monteiro (PP) enumerou visitas e emendas parlalemtares que destinou este ano
Deputado federal Fernando Monteiro (PP) enumerou visitas e emendas parlalemtares que destinou este anoFoto: Divulgação

Às vésperas do recesso legislativo, o deputado federal Fernando Monteiro (PP-PE) faz um balanço de sua atuação parlamentar. Ele afirma ter ultrapassado os 60 mil quilômetros rodados pelo interior do Estado somente neste primeiro semestre de 2019. Desde o início do segundo mandato na Câmara dos Deputados, em fevereiro, Fernando esteve em 37 municípios pernambucanos de todas as regiões do Estado. Na maioria deles, mais de uma vez. Somando-se a isso os atendimentos a prefeitos no gabinete em Brasília e no escritório político, em Recife, o deputado estima ter atendido 67 municípios.

“Ouvir as pessoas é, sem dúvidas, a melhor forma de aprender sobre a nossa terra e o nosso povo. E isto é o que eu mais tenho feito”, orgulha-se o parlamentar.  Nos primeiros seis meses deste ano, Fernando assinou convênio para o início das obras da nova adutora de Serra Talhada, orçada em R$ 1,5 milhão, e inaugurou a adutora Caetés-Capoeiras, beneficiando mais de 15 mil pessoas que tinham água num dia e ficavam outros sete dias sem. Em Santa Maria da Boa Vista, destravou as obras para revitalização da Adutora do Rio Garças. “O acesso à água é a bandeira deste segundo mandato. Onde pudermos atuar, será nossa prioridade”, confirmou.

Na Câmara, o parlamentar protocolou projeto de lei que cria a Zona Franca do Sertão do São Francisco e outro que propõe que 80% dos incentivos criados pela Lei de Incentivo à Cultura sejam destinados para preservação e difusão do patrimônio histórico e cultural brasileiro. 

Fernando Monteiro movimentou o Congresso Nacional com a proposta para o novo marco regulatório do saneamento e foi autor da convocação que levou o ministro Paulo Guedes a detalhar sua proposta para a reforma da Previdência na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados. 

De janeiro para cá já, entraram no balanço de ações do deputado a inauguração de escolas, unidades de saúde da família e a assinatura de ordem de serviço para o início de obras de unidades de pronto atendimento e entrega veículos para a saúde, para conselhos tutelares e para a educação em diversos municípios. Também atuou em defesa das casas de farinha e, junto ao Ministério Público do Trabalho, vem propondo a inclusão da atividade das raspadeiras de mandioca na agricultura familiar com o caráter artesanal. 

“Levar dignidade para a população que tanto precisa de projetos direcionados para a sua realidade são minhas metas”, reforça ele, focado em ações factíveis e que valorizam a vocação de cada região. “Precisamos preservar e, tanto quanto isto, estimular as vocações das nossas regiões”, completa. 

Tendo o acesso à água como bandeira, o deputado virou parceiro da Cáritas Diocesana de Pesqueira no projeto de gestão comunitária de abastecimento de água para a instalação de poços em comunidade rurais. Também fez chegar no Governo Federal o projeto Roça Solar, que visa produzir energia através de mini usinas, instaladas nos sítios dos produtores rurais do semiárido pernambucano em troca de renda para a agricultura familiar. 

Com demandas de Pernambuco, esteve em audiência com os ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta; do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto; da Agricultura, Tereza Cristina; e do Turismo, Marcelo Antônio. Apresentou o Canal do Sertão, as dificuldades com os custos de tecnologia para irrigação, as necessidades de infraestrutura para estradas e principais demandas para o atendimento básico e de complexidade na saúde.

Nos primeiros meses do novo governo, o pernambucano também já despachou com o presidente do FNDE, Carlos Alberto Decotelli; da Funasa, Ronaldo Nogueira; da Conab, Newton Silva, Jr; da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, e do Sebrae, Carlos Melles.

Abertyura oficial do 29º Festival de Inverno de Garanhuns (FIG)
Abertyura oficial do 29º Festival de Inverno de Garanhuns (FIG)Foto: Heudes Régis /SEI

O governador Paulo Câmara prestigiou, na noite desta quinta-feira (18), a abertura da 29ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), considerado um dos maiores festivais de cultura do Brasil. O início das festividades contou com a apresentação do espetáculo "O Som e a Sílaba", no Teatro Luiz Souto Dourado, e um tributo ao músico caruaruense Luiz Vieira. Nesta edição, o grande homenageado é o compositor Jackson do Pandeiro, cujo centenário de nascimento é celebrado este ano. A sobrinha do músico, Geralda Miranda, participou da cerimônia. O FIG acontece de 18 a ‪27 de julho, com mais de 20 polos de animação distribuídos pela cidade.

“Estamos dando início à 29ª edição de um festival que é feito com a ajuda de muita gente, de muitos artistas, mas é feito principalmente por vocês, o povo de Pernambuco, e os turistas que vêm de todo o País acompanhar essa belíssima festa multicultural. Esse é um festival consolidado, que começou lá atrás e que planejamentos junto com a prefeitura. Por isso, vamos ter um belíssimo evento, com muita alegria, música, teatro, arte e literatura. Todas as expressões culturais estarão reunidas em favor de uma energia positiva e da nossa cultura, dos nossos artistas e de um povo cada vez mais forte. Com cultura podemos avançar, melhorar o País e fazer as coisas acontecerem”, disse Paulo Câmara.

Com investimentos do Governo do Estado que chegam a R$ 8,5 milhões, a programação do FIG inclui shows musicais, concertos, espetáculos, exposições, cursos e seminários. Este ano, o festival traz artistas como Alcione, Elba Ramalho, Lenine, João Bosco, Roberta Miranda, Fafá de Belém, Eddie, Tony Garrido e Zélia Duncan. A apresentação dos músicos acontecerá em seis polos: Palco Mestre Dominguinhos, Palco Pop, Palco Forró, Palco Instrumental, Palco da Cultura Popular, além do Som na Rural e dos projetos Virtuosi na Serra e do Conservatório Pernambucano de Música, na Catedral de São Pedro.

Para o secretário estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto, um evento como o FIG, de porte nacional, é uma injeção muito forte na economia e na cultura do Estado. “O festival perdura muito mais do que dez dias. Os efeitos dele são de longo prazo. Então, espero que todos curtam com muita alegria”, pontuou. O presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, corroborou a ideia do secretário de Cultura. “O FIG tem várias vertentes: econômica, turística e, principalmente, cultural. Essa é uma agenda que acontece porque o Governo do Estado sabe da importância da cultura para o povo pernambucano”, explicou. O prefeito de Garanhuns, Isaías Régis, também participou da cerimônia e agradeceu ao Governo do Estado pelo incentivo ao festival.

O Governo de Pernambuco conta, além da Secretaria de Cultura e da Fundarpe, com a ação de secretarias e órgãos estaduais durante os dez dias de evento. As instituições governamentais levarão serviços diversos à população, garantindo ações efetivas em diferentes áreas, como segurança, saúde e infraestrutura.

fig

Crédito: Heudes Régis /SEI

Fernando de Noronha
Fernando de NoronhaFoto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

O deputado estadual Diogo Moraes, vice-líder do Governo na Alepe, participou, nesta quarta-feira (17), em Fernando de Noronha, da reunião que discutiu sobre o uso de carros elétricos no arquipélago pernambucano. O debate, aberto à população, ocorreu na sede do Conselho Distrital, onde foi analisada a proposta do Poder Executivo de proíbe carros à combustão na Ilha até 2030.

A reunião contou com a presença dos representantes do Conselho Distrital, entre eles, o presidente, Milton Luna e os conselheiros Arthur Cândido, Marilde Costa (Veia) e Ailton Júnior, além dos deputados estaduais Alberto Feitosa e Waldemar Borges.

O projeto de Lei em questão é de autoria do Governo de Pernambuco, enviado pelo governador Paulo Câmara à Alepe, e prevê a substituição dos veículos que circulam na Ilha por veículos elétricos. Pelo projeto, a partir de 2022, terá início a proibição de entrada de veículos à combustão (gasolina, diesel e álcool) em Noronha. “Na Alepe, vamos propor uma readequação ao projeto de Lei original a fim de beneficiar não só o Meio Ambiente, mas a população noronhense. Falo daqueles que mais precisam. Que trabalham no turismo como pequenos empreendedores e que não terão condições de arcar com o ônus dessa proposta. É preciso ouvir o povo. Precisamos também discutir as questões básicas da ilha”, ponderou Diogo.

De acordo com a Administração da Ilha, serão concedidas 130 licenças ecológicas de carros elétricos a empresas e moradores. Estas licenças são especiais e permitem que os veículos entrem na Ilha sem a necessidade de troca, para incentivar a adesão.
  
Durante a reunião, Diogo falou sobre a importância de olhar também para a produção de energia limpa na Ilha. “O Governo de Pernambuco dá o primeiro passo na redução da emissão de gases poluentes, quando debate a proibição de veículos à combustão, mas esse é um tema muito abrangente, que envolve outras instâncias e que precisam também de diálogo e novas ideias. Nossa participação na reunião de ontem, no Conselho Distrital da Ilha, teve o objetivo de fazer esse alerta. É importante reduzir esses gases poluentes com a proibição dos veículos? Sim. Mas o debate precisa ser aprofundado. Vamos caminhar com esse olhar, de alertar sobre a importância da preservação do meio ambiente em Noronha, declarada pela UNESCO como Sítio do Patrimônio Mundial Natural desde 2001”, comentou Diogo Moraes.

comece o dia bem informado: