Foram encontrados 322 resultados para "Fevereiro 2020":

Deputado federal Danilo Cabral (PSB), em entrevista à Rádio Folha.
Deputado federal Danilo Cabral (PSB), em entrevista à Rádio Folha.Foto: Artur Mota / Folha de Pernambuco

O deputado federal Danilo Cabral (PSB), em entrevista à Rádio Folha (FM 96,7), nesta quinta-feira (27), falou sobre o que, para ele, é uma crise institucional no governo Bolsonaro e sobre a liderança do Partido Socialista Brasileiro na Câmara Federal que será assumida por ele em 2021.

Danilo esboçou sua preocupação ao que, segundo ele, se configura uma rixa criada pelo presidente Bolsonaro entre o poder executivo e os demais poderes da União ao compartilhar vídeos via Whatsapp convocando a população para participarem de uma manifestação popular em favor do seu governo e cotra o Congresso, marcada para o próximo dia 15/03.

“Se a gente observar o processo que nos fez chegar até aqui, não é a primeira vez que vemos esse tipo de conduta desastrada por parte dele e da família vem acontecendo desde antes de ser eleito”, disse o deputado se referindo a vídeos divulgados anteriormente citando, por exemplo, o vídeo divulgado pelo filho do presidente, Eduardo Bolsonaro que afirmava que para fechar o STF bastaria “um cabo e um soldado” .

Liderança do PSB

Para o parlamentar, a decisão de dividir a liderança do PSB em um ano para Alessandro Molon e um ano para ele foi a melhor que poderia ter sido tomada, pois o partido sabia a importância que fosse construída uma forma que recompusesse a união de sua bancada.
“O momento que o país vive, exige que tenhamos o PSB unido tratando dos assuntos que interessam a população e servindo como um meio de diálogo para que gente leve esse exemplo de unidade que conseguimos na bancada para o conjunto do congresso nacional”, afirmou.

Ouça a entrevista:


Antônio Campos
Antônio CamposFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

O presidente da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), Antônio Campos, anunciou que irá se filiar, na próxima segunda-feira (2), ao PRTB, partido da base do presidente Jair Bolsonaro. Ele confirmou que já se desfiliou do seu antigo partido pelo qual disputou o mandato de deputado federal em 2018, o Podemos.

"Estou me filiando ao PRTB, que está na base de Bolsonaro, sendo oposição em Olinda, em Recife e ao atual Governo do Estado. Fizemos um ato em setembro de 2019, formando a Comissão Provisória Municipal, em Olinda. Posteriormente, fizemos um encontro para debater assuntos da cidade de Olinda. É um ato filiação e não de lançamento candidatura", frisou Antônio Campos.

"Vou ajudar na construção da Frente #MudaOlinda e, em abril, lançaremos uma chapa competitiva, na cidade de Olinda e ajudaremos em outras cidades. (...) Agradeço ao Presidente Ednazio Silva do PRTB Estadual e ao deputado Marco Aurélio pelo convite que aceitei, disse Antonio Campos", concluiu.

tonca

Vereador do Recife Ivan Moraes Filho (PSOL)
Vereador do Recife Ivan Moraes Filho (PSOL)Foto: Beto Figueiroa/Divulgação

O vereador do Recife Ivan Moraes (PSOL) se pronunciou em suas redes sociais, nesta quarta-feira (26), contra atitude do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de convocação para mobilização em prol do fechamento do Congresso Nacional. Reafirmando que a atitude implica em crime de responsabilidade, Ivan Moraes também reforçou que que o ato de Bolsonaro é antidemocrático, mas não uma atitude surpresa do atual presidente, que sempre atentou contra a democracia e que glorificou a Ditadura e seus torturadores. “[Bolsonaro] Jamais poderia ter sido tratado como um político republicano”, destaca Ivan. O vereador também pontuou a necessidade de conjunção de forças políticas na luta contra o autoritarismo e as atitudes antirrepublicanas de Bolsonaro.

Durante todo o segundo turno das eleições presidenciais, Ivan Moraes falou diariamente nas sessões da Câmara Municipal sobre o que estava em jogo, com uma possível vitória de Jair Bolsonaro à presidência, que acabou se concretizando. Também esteve presente em todos os atos, desde o golpe que levou ao impeachment da ex-presidenta Dilma Roussef, além de todas as mobilizações contra o governo de Michel Temer. O vereador reforça que sua militância e seu mandato sempre estiveram e estão em favor da democracia.

Com o slogan “a serviço de Pernambuco”, uma van foi preparada para estar nos principais focos da folia.  Este é o quinto ano consecutivo do projeto mas, este ano, com nova estrutura.
Com o slogan “a serviço de Pernambuco”, uma van foi preparada para estar nos principais focos da folia. Este é o quinto ano consecutivo do projeto mas, este ano, com nova estrutura.Foto: Divulgação

O gabinete móvel do Deputado Joel da Harpa esteve em dez municípios e cumpriu uma longa agenda para dar apoio aos profissionais de segurança pública escalados para trabalhar no carnaval. Com o slogan “a serviço de Pernambuco”, uma van foi preparada para estar nos principais focos da folia. Este é o quinto ano consecutivo do projeto mas, este ano, com nova estrutura.

O gabinete móvel é composto por uma equipe de voluntários, enfermeiro e advogado. Para aplacar o calor escaldante, distribuição de água mineral. Policiais militares, bombeiros, policiais civis, guardas municipais e até profissionais do Exército foram assistidos. Segundo Joel, o carnaval é uma ótima oportunidade para estar mais perto da tropa. Segundo ele, a receptividade foi muito positiva e o que tornou o trabalho ainda mais gratificante.

A estreia foi durante o Desfile do Galo da Madrugada e as atividades seguiram até ontem com passagem pelos Irresponsáveis no Recife e Bacalhau na Vara, em Paulista. Durante o carnaval, o parlamentar esteve com a estrutura em Nazaré da Mata, Carpina, São Lourenço, Maranguape 2 (Paulista), Recife Antigo, Prazeres em Jaboatão dos Guararapes, Ipojuca e no município de Bezerros para a folia dos Papangus. Na programação, ainda Cavaleiro, Itamaracá, Itapissuma e Igarassu.

gabinete móvel

Labanca (E) não vê atentado contra Constituição. Agra discorda
Labanca (E) não vê atentado contra Constituição. Agra discordaFoto: Ed MAchado/Paullo Almeida

A propagação pelo WhatsApp por parte do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), de vídeos sobre o protesto do dia 15 de março gerou divergência de opiniões entre os juristas ouvidos pela Folha de Pernambuco. O ponto de discordância é justamente a presença, ou não, de crime de responsabilidade de Jair Bolsonaro.

Para Marcelo Labanca, professor de Direito Constitucional da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), não há nos vídeos “atentado contra a Constituição e contra os poderes”, apesar de tratar-se da convocação para a manifestação. “Mesmo sendo um ato contra o Congresso (marcado para dia 15), o que seria ato contra o Congresso?”, pondera Labanca. “Se o presidente da República baixasse um decreto suspendendo garantias dos parlamentares, se ele violasse a imunidade ou prerrogativas de parlamentares (atingiria o Congresso), mas me parece que isso (os vídeos) é uma iniciativa que não é presidencial, é do seu grupo de apoiadores e, para mim, está situada bem no aspecto da liberdade de expressão”, afirma, destacando que não vê o ato categorizado como “crime de responsabilidade”. “Para mim, crime de responsabilidade tem que ter tipo jurídico e a caracterização seria da lei do impeachment (1079/50). Não há configuração do delito, no meu modo de ver”.

Já o professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Walber Agra, considera que Bolsonaro cometeu crime de responsabilidade. "Ele chama contra um dos Poderes. Quando um presidente descumpre os parâmetros constitucionais, ameaçando de forma expressa, é uma tentativa clara de golpe de Estado. Ele não obedece às regras do Estado democrático de direito", frisa. Na avaliação de Agra, enquanto ex-parlamentar, Bolsonaro deveria respeitar as “regras do jogo”. "A repercussão é justamente essa, o maior mandatário deveria se enquadrar nas regras do jogo e não estar a todo momento tentando quebrar. Ele foi parlamentar e fez parte desse mecanismo de poder”.

O também professor da (UFPE), João Paulo Allain Teixeira, entende que “existe um debate” jurídico sobre a ação de Bolsonaro de divulgar o ato contra o Congresso Nacional. “Na minha percepção há cometimento (de crime de responsabilidade). O chefe do Poder Executivo não pode se envolver e há envolvimento direto. Mesmo que não faça menção a fechar Congresso, o contexto trabalhado é esse, de ruptura democrática”, disse.

Ainda de acordo com Allain, um pedido de impeachment pode ser feito a qualquer momento. No entanto, ele pondera que a questão é “saber se vai ter apoio ou não do Congresso para prosseguir”. “O que vai determinar é o conjunto de fatores. Para que o processo ande, vai depender de conjuntura política do Congresso que entenda que é grave”, complementa. Nesse ponto, há convergência com o entendimento de Marcelo Labanca. “Do ponto de vista político, pode ter outra repercussão, ele pode perder apoio do Congresso. Se no futuro vai gerar um processo de crime de responsabilidade aprovado ou não, é uma questão política. Perdeu o apoio do Congresso, perdeu o cargo, é a regra do jogo”, sublinha.

Deputado federal Eduardo da Fonte (PP) solicitou a inclusão do exeme ao presidente da República
Deputado federal Eduardo da Fonte (PP) solicitou a inclusão do exeme ao presidente da RepúblicaFoto: Divulgação


O deputado federal Eduardo da Fonte (PP/PE), destinou, através de emenda parlamentar, R$ 300 mil para o Hospital Getúlio Vargas, referência em Pernambuco na área de ortopedia.

Esse valor servirá para a aquisição de novos equipamentos hospitalares, o que beneficiará os pacientes nos atendimentos. A unidade de saúde realiza cerca de 2.700 atendimentos na emergência e 20 mil no ambulatório todos os meses.

O deputado Eduardo da Fonte, destaca a importância dessa emenda, “com esse recurso o Getúlio Vargas pode renovar seus equipamentos, adquirir aparelhos mais modernos e prestar um melhor atendimento aos seus pacientes”.

Hely Ferreira, professor e cientista político
Hely Ferreira, professor e cientista políticoFoto: Kleyvson Santos / Folha de Pernambuco

Embora não exista universalidade com relação ao que seria liberalismo, o denominado liberalismo clássico surgiu no século XVIII, defendendo de maneira tenaz a liberdade no campo político. Na chamada segunda fase do liberalismo, durante o século XIX, passou um momento de crise onde o individualismo clássico dava sinais de procurar defender uma única classe de cidadãos.

Contrariando o liberalismo, surge o socialismo, afirmando que o Estado é parte da superestrutura da classe dominante, promovendo cada vez mais a desigualdade econômica. Na tentativa de unir o liberalismo com o socialismo, surge a denominada socialdemocracia. Em seus primórdios defendeu intervenção econômica do Estado. Na verdade, um tipo de transição para o socialismo sem a necessidade de uma revolução.

Por isso, Kautsky afirmou que “a Socialdemocracia é um partido revolucionário e não um partido que faz revoluções”. Quando se pensa em teoria política, alguém já disse que nenhuma delas podem ser aplicadas no Brasil. Basta olharmos para os partidos políticos nacionais.

Em recente entrevista a um programa de TV de penetração nacional, o primeiro deputado federal brasileiro com 100% de incapacidade visual (Felipe Rigoni), vem se destacando no Congresso Nacional. Dono de uma mente brilhante, o parlamentar já foi filiado ao PSDB, mas foi eleito em 2018, pelo PSB.

Em um dado momento da entrevista, respondeu que sua posição econômica está atrelada as ideias liberais. Se tratando de Brasil, tudo é possível. Não é debalde a caldeirada de siglas partidárias, onde o principal ingrediente não é a questão ideológica, ou programática, mas a filiação de grande parte dos políticos.

Infelizmente, muitos se filiam a algum partido por questões de sobrevivência eleitoral, pois se quer conhecem quais a principais bandeiras defendidas pelo partido.

Hely Ferreira é cientista político.

A folia de Camaragibe também contou com o apoio do Governo de Pernambuco, por meio da Fundarpe e das polícias militar e civil
A folia de Camaragibe também contou com o apoio do Governo de Pernambuco, por meio da Fundarpe e das polícias militar e civilFoto: Ascom

O Carnaval de Todas as Tradições foi um sucesso e público e crítica. O camaragibense e os turistas foram às ruas e desfilaram toda a sua alegria e irreverência, brincando com muita paz na festa organizada pela Prefeitura de Camaragibe em parceria com a Federação das Agremiações Carnavalescas de Camaragibe (FACC) e o bloco Amante das Flores. A folia também contou com o apoio do Governo de Pernambuco, por meio da Fundarpe e das polícias militar e civil.
  
Em 2020, a prefeitura descentralizou a festa, promovendo um Carnaval econômico e levando a folia a todos os recantos de Camaragibe, mesclando a farra de rua dos blocos tradicionais com shows e apresentações culturais no palco montado na Vila da Fábrica, em frente à Fundação de Cultura.

“Camaragibe deu um verdadeiro show nesse Carnaval! Nosso povo foi às e curtiu muito a folia. Respeitando as tradições de cada localidade, nós optamos por descentralizar a festa de modo que toda a cidade tivesse focos de folia; um modelo que o camaragibense aprovou. Fui às ruas todos os dias e pude sentir essa animação. Toda a minha reverência ao povo da minha cidade, que, assim como eu, ama o Carnaval!”, destacou a prefeita Doutora Nadegi, sempre muito saudada por onde andou.

Passaram por Camaragibe artistas como Jorge Riba, Lucinha Guerra, Quinteto Violado, Zeca do Rolete, Beto Hortis, Cnegão, Seu Malaquias, Coco de Mulheres e Coco Raízes e Arcoverde. Para a criançada, ficou reservada a terça-feira gorda em uma matinê com pintura de rosto, brinquedos, desfile de fantasias, pipoca, picolé, algodão doce e show da atração infantil Pochyua.

Dentre as principais agremiações que desfilaram durante os seis dias de festa, estavam, além do Amante das Flores, que tem à frente Dona Palmira, uma referência da cultura da cidade, o Maracatu Cambinda Dourada, o Caboclinhos Sete Flexas, Urso Mimoso, Boi Camará, Boi Rubro-negro e Boi do Dedê, entre outros. Também tomaram as ruas de Camaragibe blocos como O Corujão, A Chave, A Barca Furada, o Ptsão, As Cachorras do Timbi, O Pato em Folia, Boneca do Boy, Chap Folia, Ceasinha em Folia e O Muro em Folia, entre outros.

De acordo com balanço da Fundação de Cultura, também foram atendidas solicitações diversas entre carros de som, orquestras, utilização de solo, guardas municipais, trânsito, limpeza urbana e saúde. “Primeira vez que venho brincar Carnaval na minha terra. Trouxe minha filha para a matinê e adorei! Estava todo mundo falando o quanto estava bom por aqui; por isso decidi vir. Com certeza, vou voltar em outros anos”, disse a foliã Perla Almeida, que, apesar de ser camaragibense, nunca havia brincado o Carnaval na cidade antes.

Segurança - Dados da Central de Operações Integradas de Segurança (COI) da prefeitura mostraram que foram registradas 21 ocorrências válidas da Brigada de Trânsito (nove), Brigada Ambiental (quatro), 190 (cinco), Patrimonial (uma) e duas de trotes.

Este ano, o Carnaval de Camaragibe foi todo monitorado por câmeras da Central de Operações da Guarda Civil, em parceria com o bloco O Corujão, que cedeu as imagens das câmeras da IgNet. Além disso, a Central de Operações também contou com imagens da PE-027, cedidas pelo Fórum Socioambiental de Aldeia/Projeto De Olho em Aldeia, em parceria com a BBG Telecom. Todas esta ação fez parte do Carnaval Seguro e foram compartilhadas com a Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros pelo número 153.

'Nosso povo foi às e curtiu muito a folia', disse a prefeita Doutora Nadegi Queiroz

'Nosso povo foi às e curtiu muito a folia', disse a prefeita Doutora Nadegi Queiroz - Crédito: Ascom

'Toda a minha reverência ao povo da minha cidade, que, assim como eu, ama o Carnaval!', falou a prefeita

'Toda a minha reverência ao povo da minha cidade, que, assim como eu, ama o Carnaval!', falou a prefeita - Crédito: Ascom

Em Camaragibe, a tradição carnavalesca local foi respeitada

Em Camaragibe, a tradição carnavalesca local foi respeitada - Crédito: Ascom

Deputado federal aproveitou a quarta-feira de cinzas para conversar com quem ainda aguentava a folia
Deputado federal aproveitou a quarta-feira de cinzas para conversar com quem ainda aguentava a foliaFoto: Divulgação/instagram

Mesmo após os 4 dias de Carnaval, o deputado federal João Campos (PSB-PE) cumpre agenda momesca nesta quarta-feira de cinzas, passando por três blocos de rua.

Em Água Fria, na Mustardinha e em Casa Amarela, o parlamentar brinca ao som de muito frevo e encontra os resistentes ao término do Carnaval.

Deputado cumpriu agenda carnavalesca no interior pernambucano
Deputado cumpriu agenda carnavalesca no interior pernambucanoFoto: Divulgação

Durante todo o festejo de Momo, o deputado federal Fernando Monteiro (PP-PE) esteve no interior de Pernambuco, onde participou do que chama de “Carnaval raiz”. Na agenda carnavalesca, o deputado federal passou por cidades como Bezerros, onde prestigiou a tradicional folia dos papangus, junto ao governador Paulo Câmara (PSB) e ao secretário de Turismo e Lazer do Estado, Rodrigo Novaes (PSD).

Blocos de Buíque e Cachoeirinha, também no Agreste, e de Jaqueira, Ribeirão e Primavera, na Mata Sul, também estiveram na rota da folia. “O Carnaval de Pernambuco é o melhor do Brasil. Faço questão de prestar minha homenagem à tradição do Interior. Visto esta camisa com muito orgulho”, afirmou Fernando Monteiro.

Antes, em Recife, o deputado acompanhou o tradicional Bloco Gota D'água, da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), com a presidente do órgão, Manuela Marinho e a secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos de Pernambuco, Fernandha Batista, entre outros políticos e autoridades. O Galo da Madrugada e as ladeiras de Olinda também não ficaram de fora do roteiro.

gago

assuntos

comece o dia bem informado: