Foram encontrados 257 resultados para "Junho 2017":

Fernando Monteiro (PP) e Manoel Botafogo (PDT) em Carpina
Fernando Monteiro (PP) e Manoel Botafogo (PDT) em CarpinaFoto: Divulgação

O deputado federal Fernando Monteiro (PP) volta ao Interior no período de São Pedro. Nesta quinta-feira (29), o parlamentar visita Buíque, no Agreste. Já na sexta-feira (30), ele segue para Santa Maria da Boa Vista, no Sertão do São Francisco, e Ipubi, no Sertão do Araripe. Na última quarta, Monteiro passou por Carpina, na Mata Norte.

"Sempre é um grande prazer viajar pelo Interior de Pernambuco, reencontrar os amigos, falar com as pessoas e saber no que podemos ajudar. E hoje minha parada é em Buíque. Estarei por lá para reforçar meu compromisso com a cidade e para acompanhar a festa que o prefeito Arquimedes Valença (PMDB) montou para comemorar o fim dos festejos juninos", disse Fernando Monteiro.

A agenda desta sexta terá reunião com lideranças ligadas ao prefeito de Santa Maria da Boa Vista, Humberto Mendes (PT), no município, à tarde. De lá, o deputado segue para Ipubi, onde terá encontro com o prefeito Chico Siqueira (PSB).

Alberisson Carlos é presidente da Associação de Cabos e Soldados (ACS)
Alberisson Carlos é presidente da Associação de Cabos e Soldados (ACS)Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Na véspera de deixar o cargo, o secretário de Defesa Social de Pernambuco (SDS), Angelo Gioia, assinou, nesta quinta-feira (29), a conclusão de novos processos administrativos disciplinares (PADs) que também solicitam a exclusão da PM do presidente e o vice-presidente da Associação de Cabos e Soldados (ACS), os cabos Alberrison Carlos da Silva e Nadelson Leite Costa, respectivamente. Também nesta quinta, Gioia subscreveu a perda da farda do tenente Vlademir José Assis. As exclusões foram solicitadas pela Corregedoria Geral da SDS, comandada por Antônio de Pádua, sucessor de Gioia na pasta.

Nos novos processos, eles são punidos por infração ao Código de Ética Militar, ao divulgarem vídeos, incitação à paralisação da tropa, descumprimento de ordem do comandante e de decisão judicial. No último dia 17, Alberisson Carlos e Nadelson Leite haviam sido condenados em processos disciplinares.

Já o tenente Vlademir Assis está sendo punido por incitação à paralisação, desrespeito às autoridades de segurança e descumprimento de ordem do comandante ao participar de assembleias nos dias 6 e 9 de dezembro. A portaria será publicada no Diário Oficial do Estado nesta sexta-feira (30).

O secretário Angelo Gioia ainda assinou, nesta quinta, a conclusão de processos administrativos disciplinares contra oito PMs que participarem da chamada Operação Padrão. Os policiais terão penas que variam de 12 a 30 dias de prisão.

Portaria Vlademir José de Assis by Folha de Pernambuco on Scribd

Portaria referente ao presidente e vice-presidente by Folha de Pernambuco on Scribd



Leia também:
SDS exclui os cabos Alberisson Carlos e Nadelson Leite da PM

A bancada de oposição da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) apresentou um balanço sobre as obras do Governo Paulo Câmara (PSB). No plenário, na última quarta-feira (28), o bloco oposicionista mostrou um relatório com 60 obras e ações não concluídas. O líder da bancada, o deputado Silvio Costa Filho (PRB), definiu como “um governo marcado pela frustração de expectativas, pelas promessas não cumpridas e pelas obras paradas”.

"Infelizmente é um governo que não chegou à casa das pessoas e que está deixando nossas principais conquistas ficarem para traz”, afirmou Silvio.

O parlamentar apontou ações não aplicadas, ou não concluídas, nas áreas de saúde, educação, habitação, infraestrutura, entre as 60 ações do levantamento realizado pela bancada. A deputada Teresa Leitão (PT), vice-líder da oposição, ressaltou que programas importantes para a pasta de educação, como o Ganhe o Mundo, não foram ampliados. E que as escolas em tempo integral, funcionam apenas em horário estendido.

Outro lado
O líder do Governo na Casa, deputado Isaltino Nascimento afirmou que o primeiro momento de avaliação e balanço da sociedade pernambucana sobre a gestão do governador Paulo Câmara (PSB) foi feita ano passado, nas eleições de 2016. 

O socialista também falou sobre os investimentos do Governo do Estado. “Nós destinamos R$ 3 bilhões em dois anos, o MEC mostrando que Pernambuco continua pelo quarto ano sucessivo com a escola de nível médio melhor, com menor quantidade de evasão escolar, saindo de 2.5 de evasão para 1.7. Então, são ações postas e a demonstração de que ele percorreu o Pernambuco em Ação em nove regiões do Estado, fará as outras três agora, neste mês de agosto, num trabalho de ousadia política”, disse o líder. Além disso, segundo Isaltino, em dois anos de crise, o Governo teve que eleger prioridades de gestão. “Prioridade de gestão foi continuar mantendo a máquina funcionando nas suas políticas centrais, educação, saúde, contratando profissionais de educação, contratando profissionais de saúde, contratando profissionais na segurança pública, fazendo com que o Estado pudesse ter um ritmo econômico que no contingente do Brasil inteiro é um Estado que vem sendo desenvolvido”, finalizou.

Centrais sindicais se reúnem, nesta sexta-feira (30), para mais um ato que pede a saída do presidente Michel Temer (PMDB). No Recife, um ato político cultural será realizado na Praça do Derby, área central da Capital. O 'Arraiá da Greve Geral', como está sendo chamado o evento, acontecerá a partir das 15h.

O ato tem participação das centrais sindicais de Pernambuco CUT, CTB, CGTB, CSP Conlutas, CSB, UGT, Pública Central do Servidor, Força Sindical, Intersindical, Nova Central, em conjunto com as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo.

"Nós estamos numa crescente lulta da classe trabalhadora, a CUT continua firme e na resistência. Nosso objetivo é enterrarmos essas duas reformas, a trabalhista e a da Previdência. E, por esse motivo, continuamos em luta. Vamos ocupar as ruas, com paralisações, greves e atos públicos", afirmou o presidente da CUT Pernambuco, Carlos Veras.

A representante da Consulta Popular em Pernambuco, Geisa Campigotto, por sua vez, afirmou que é importante lembrar que a reforma trabalhista foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na última quarta-feira (28).

Plenário da Casa cheio de autoridades e deputados
Plenário da Casa cheio de autoridades e deputadosFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Em um plenário cheio, a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) reúne, na tarde desta quinta-feira (29), lideranças políticas, nomes do judiciário estadual e parlamentares para a última reunião plenária a ser realizada no Palácio Joaquim Nabuco, antes da inauguração Edifício Miguel Arraes.

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), foi um dos presentes da discursar. Durante sua fala, relembrou as trajetórias dos ex-governadores Miguel Arraes e Eduardo Campos e declarou que o País precisa, hoje, de política "do debate sério e consciente", que vença a radicalização estéril e irresponsável para que o Brasil tenha direito ao futuro.

O governador afirmou que o País já venceu diversas crises e defendeu que não se avança sem a unidade nacional e que foi desta forma em todos os momentos da história do País. "Hoje, vivemos certamente a mais grave crise econômica, moral, ética e política do País. Mas isso não pode nos levar a desistir da política", afirmou o gestor. "É preciso separar o papel das instituições e impedir a criminalização da política", completou Paulo Câmara, sendo bastante aplaudido pelos presentes.

O presidente da Casa, Guilherme Uchoa (PDT), recebe também na Alepe o vice-governador Raul Henry (PMDB); o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB); o presidente do Tribunal de Contas do Estado, Carlos Porto; o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), Leopoldo Raposo; a ex-primeira-dama do Estado Renata Campos e seu filho João Campos, que é chefe de gabinete de Paulo Câmara.

Após a solenidade no antigo plenário, o novo prédio da Alepe - Edifício Miguel Arraes - será inaugurado. O local abriga o novo plenário, que recebeu o nome de Eduardo Campos.

Com informações de Carol Brito e Renata Bezerra de Melo, da Folha de Pernambuco.

A Escola Superior de Advocacia de Pernambuco (ESA-PE), da OAB-PE, e a Escola Judiciária Eleitoral de Pernambuco (EJE-PE), do TRE-PE, promovem o I Congresso Pernambucano de Direito Eleitoral. O evento será realizado nos dias 6 e 7 de julho, das 8h às 18h e das 9h às 17h30, respectivamente, no Fórum Rodolfo Aureliano, no Recife. O evento contará com a participação do advogado do presidente Michel Temer (PMDB), Gustavo Guedes, e do redator do parecer da defesa do peemedebista no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o advogado Luiz Fernando Pereira.

"Queremos reforçar que a Justiça Eleitoral é uma instituição histórica e séria, que busca garantir o direito de voto, a integridade e identidade do eleitor e o combate ao abuso de poder político e econômico", destaca Carlos Neves, que é diretor geral da ESA-PE. “Nossa pretensão é consolidá-la, principalmente neste momento em que está sendo colocada em cheque devido ao julgamento da chapa Dilma-Temer”, complementa.

O evento terá coordenação científica do ex-ministro do TSE Joelson Dias e do professor e procurador do Estado de Pernambuco Walber Agra. Dentre os convidados,

Dentre os convidados, Carlos Neves; o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do TSE, Napoleão Nunes Maia Filho; o integrante da Comissão Especial de Direito da Tecnologia e Informação do Conselho Federal da OAB Alexandre Atheniense; e a coordenadora-geral da Associação Brasileira de Direito Eleitoral e Político (Abradep), Geórgia Nunes.

O evento terá início com a conferência magna "Afirmação Democrática e do Estado de Direito em Tempos de Crise", apresentada pela advogada especializada em Direito Eleitoral Vânia Aieta. Durante as conferências e painéis, serão abordadas garantias processuais, inelegibilidades e abuso de poder, propaganda, financiamento político, nulidade da votação e eleições suplementares e reforma política, dentre outros pontos.

Ainda no evento, será realizada a primeira reunião pública itinerante da Comissão Especial de Direito Eleitoral do Conselho Federal da OAB e da Comissão de Direito Eleitoral da seccional de Pernambuco. As inscrições são gratuitas.

No Congresso ainda haverá uma homenagem ao jurista Henrique Neves, ex-ministro do TSE, e à memória do ex-presidente do TRE-PE Roberto Ferreira Lins.

O Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) divulgou uma nota sobre a Operação Adsumus, deflagrada nesta quinta-feira (29), em João Alfredo e região, na qual informa que colaborou com a Polícia Civil, dentro de suas atribuições.

"Como a operação revelou indícios de uma organização criminosa, responsável por contratos de mais de 6 milhões de reais em órgãos públicos, o TCE usará as informações coletadas pela Polícia Civil para instruir as auditorias sobre estes gastos, já em andamento, realizadas pelo Núcleo de Engenharia", diz a nota.

Confira na íntegra:

"Nota do TCE sobre a Operação Adsumus

Sobre a Operação Adsumus, deflagrada pela Polícia Civil de Pernambuco nesta quinta-feira (29), para investigação criminal de esquema de fraude em licitações de órgãos públicos em João Alfredo e região, o Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco informa que esteve colaborando com a Polícia, dentro de suas atribuições.

Como a operação revelou indícios de uma organização criminosa, responsável por contratos de mais de 6 milhões de reais em órgãos públicos, o TCE usará as informações coletadas pela Polícia Civil para instruir as auditorias sobre estes gastos, já em andamento, realizadas pelo Núcleo de Engenharia.

O TCE-PE continuará à disposição para novas etapas da investigação, caso se faça necessário. Ainda, continuará colaborando com as operações de repressão qualificada do Ministério Público e da Polícia Civil, dentro de suas atribuições de auditoria em contas e contratos públicos".


Leia também:
Esquema de fraude de licitações no Agreste é alvo de operação

Operação da Polícia Civil
Operação da Polícia CivilFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Onze integrantes de uma organização criminosa comandada por quatro empresários que fraudaram licitações de transporte escolar e coleta de resíduos sólidos no município de João Alfredo, no Agreste de Pernambuco, são alvo de uma operação deflagrada nesta quinta-feira (29) pela Polícia Civil de Pernambuco nos municípios de Recife, João Alfredo, Surubim, Orobó e Bom Jardim.

De acordo com a polícia, as fraudes de mair de R$ 6 milhões ocorreram entre 2013 e 2017 e beneficiaram as empresas CJ de Figueiredo e SplendourTur. O verdadeiro proprietário é o empresário Adriano Barbosa da Fonseca, conhecido por “Preto”, que usava os nomes de Flávio Roberto Barbosa de Souza, Cláudio José de Figueiredo e Luciano Barbosa da Fonseca.

A operação adsumus, que significa aqui estamos, contou com a participação de 75 policiais civis, dentre delegados, escrivães e agentes. As investigações foram presididas pelo delegado Paulo Gondim. Os envolvidos são investigados pelos crimes de Organização criminosa, Lavagem de Dinheiro, Fraude a Licitações e Falsidade Ideológica.

Na edição desta quinta-feira (29) da coluna digital "No Cafezinho", a colunista Renata Bezerra de Melo e o subeditor de Política, Daniel Leite, analisam a ofensiva do presidente Michel Temer (PMDB) contra o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, após a denúncia apresentada na última segunda-feira (26). Em pauta, a tramitação do processo na Câmara Federal e os possíveis desdobramentos da crise no País. Confiram!

Novo plenário da Assembleia Legislativa
Novo plenário da Assembleia LegislativaFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Na véspera da inauguração do novo prédio da Assembleia Legislativa de Pernambuco, o nome do novo plenário, que sediará as reuniões plenárias a partir do próximo semestre, virou motivo de discussão na Casa, nesta quarta-feira (28). Após as discussões, o futuro local das reuniões se chamará Governador Eduardo Campos.

A escolha de dar o nome do neto de Arraes ao plenário gerou polêmica dentro e fora da Casa. Na ocasião, a Superintendência de Comunicação da Alepe divulgou que a decisão dependia da aprovação de projeto de resolução da Mesa Diretora, que ainda estava em tramitação.

Insatisfeito com a iniciativa, o deputado oposicionista Edilson Silva (PSOL) propôs uma enquete para que os internautas sugerissem nomes para o plenário. O mais votado no levantamento, que fazia uma homenagem às mulheres de Tejucupapo, no entanto, não foi considerado.

Nesta quarta, no entanto, os parlamentares escolheram o nome do ex-governador socialista. Durante a discussão, a deputada Teresa Leitão (PT) considerou a escolha uma imposição ao Legislativo e afirmou que os deputados têm direito de decidir como se chamará o seu local de trabalho.

Os parlamentares também ressaltaram a importância da homenagem precisar ter uma validação histórica, como é o caso de Joaquim Nabuco, nome do Palácio, endereço principal da Assembleia.

Tombamento
A Secretaria de Cultura do Estado e a Fundarpe acataram o pedido de tombamento do Museu Palácio Joaquim Nabuco. O pedido foi feito pelo presidente da Casa, deputado Guilherme Uchoa (PDT), fundamentado na documentação apresentada na Superintendência de Preservação do Patrimônio Histórico do Legislativo do Estado de Pernambuco. A publicação do deferimento do pedido, assinado pelo secretário Marcelino Granja (PCdoB), acontece nesta quinta-feira, data que será realizada a última reunião no atual plenário. No prédio centenário, funcionará um museu do Legislativo e da história dos pernambucanos.

Com informações de Ulysses Gadêlha, da Folha de Pernambuco.

assuntos

comece o dia bem informado: