Foram encontrados 304 resultados para "Agosto 2017":

O ex-presidente Lula em conversa com Marília Arraes
O ex-presidente Lula em conversa com Marília ArraesFoto: Divulgação

Antes de deixar o hotel para se dirigir a Brasília Teimosa, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve uma conversa com a vereadora e pré-candidata ao Governo pelo PT, Marília Arraes. Foi a primeira conversa sobre política entre os dois depois que o petista foi à casa da ex-primeira-dama, reforçando os rumores de uma aliança entre PT e PSB nas eleições do próximo ano.

O encontro, sem a presença dos caciques petistas senador Humberto Costa e o ex-prefeito João Paulo, durou pouco mais de 30 minutos, o que fez com a agenda em Brasília Teimosa tivesse início com atraso.

Sobre as conversas, o presidenciável petista deu sinais positivos à candidatura da vereadora ao Governo do Estado. Nos bastidores, integrantes do partido acrescentam que não seria por acaso o fato de Marília estar sempre ao lado de Lula durante as agendas que cumpriu no Estado.

Há quem jure que foi um pedido do próprio líder petista, para acabar com os rumores de que a candidatura do PT seria retirada. 

Lindbergh
Já durante a visita de Lula à Associação de Pescadores, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) ressaltou a candidatura da vereadora Marília Arraes (PT) para o Governo do Estado em 2018. “O importante para a gente agora é fazer crescer a candidatura de Marília Arraes, que está muito bem. Ela tem unificado importantes setores dos movimentos sociais, apresentando a proposta do PT para o Estado de Pernambuco”, disse.

Segundo o parlamentar, a vereadora “tem direito a pleitear”. “Ela vai tentar construir a candidatura dela e lá na frente nós vamos discutir as questões das alianças para o Estado de Pernambuco”, avaliou.

A possibilidade da reedição da aliança entre PT e PSB ensaiada no encontro da ex-primeira-dama do Estado Renata Campos e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) animou lideranças aliadas aos dois partidos do Estado. É o caso da presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos, que avalia que a agenda neoliberal do Governo Temer obriga as forças de esquerda a se unirem para barrar as medidas impostas. Segundo ela, os socialistas passam por uma fase de reposicionamento programático contra o Palácio do Planalto e suas reformas.

"Eu acho que tem tudo a ver. Para o PCdoB que acompanha a história do PSB desde Arraes isso é um encontro de identidade programática, de uma história, de uma relação que vai além da política, que é afetiva", avaliou a deputada federal, que defendeu a unidade das forças das esquerdas.

Ex-presidente discursa no Pátio do Carmo, nesta sexta-feira (25)
Ex-presidente discursa no Pátio do Carmo, nesta sexta-feira (25)Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Convocado para ser o maior ato da passagem da Caravana Lula pelo Brasil por Pernambuco, o comício no Pátio do Carmo, no Centro do Recife, nesta sexta-feira (25), foi encerrado com um discurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no qual ele ressaltou os avanços do Nordeste durante a sua gestão e a da ex-presidente Dilma Rousseff e a conquista de direitos por parte dos trabalhadores durante os governos do PT. O líder petista também denunciou que estão tentando impedir sua candidatura à Presidência da República, em 2018.

"Eu não estou reivindicando nada. Todo mundo diz que estão tramando alguma coisa para impedir minha candidatura. Mas é o povo vai decidir", discursou o ex-presidente a um público estimado pela organização em 30 mil pessoas. A Polícia Militar, no entanto, não divulga estimativas.



Durante seu discurso, o ex-presidente Lula afirmou que "o nordestino não quer a cara da fome, quer a cara do trabalho do emprego". "Todo mundo tem direito neste País, mas a atenção especial a gente precisa dar aos que mais necessitam", destacou o petista.

O cacique petista citou que, diferentemente da República Dominicana, o Brasil só passou a ter universidade em 1922. Isso, segundo ele, porque a elite brasileira "sabia que podia mandar seus filhos para estudar em Londres, Paris ou Coimbra. Por isso não ligavam para universidade aqui".

Lula também falou sobre as acusações que vem sendo alvo. No mês passado ele, ele foi condenado pelo juiz Sérgio Moro, a nove anos e seis meses no processo que se refere ao triplex do Guarujá.

Leia também:
[Fotos] Confira imagens do ato de Lula no Pátio do Carmo
Lula: "Quem aprendeu a andar de avião não quer mais andar de pau de arara"
Renan me ajudou a governar, diz Lula no Recife
Geraldo minimiza teor político de encontro entre Lula e socialistas  
No Pátio do Carmo, aliados discursam em defesa de Lula
[Vídeo] Militantes aguardam por Lula no Pátio do Carmo

"Não desanimem nunca. Se esses cidadãos que estão me acusando provarem um centavo errado na minha conta, eu venho pedir desculpas".

Na reta final do discurso, o ex-presidente Lula afirmou que, agora, eles (não citou nomes) têm outro motivo para se preocuparem.

"Eles não têm que se preocupar comigo, têm de se preocupar com os milhões de Lulas que já existem por aí", afirmou. O ex-presidente relembrou, em seguida, quando era jovem. "Eu tinha 13 anos e nunca roubei uma maçã, com medo de envergonhar minha família. Agora, eu não iria envergonhar milhões de vocês".



O ex-presidente ainda alfinetou o presidente Michel Temer: "Agora, o Temer está lá no lugar desta aqui, mas duvido que ele tenha coragem de fazer um ato desse aqui no Pátio do Carmo", referindo-se a Dilma Rousseff, que esteve ao seu lado durante todo o discurso.

Ex-presidenta Dilma Rousseff discursa no Pátio do Carmo
Ex-presidenta Dilma Rousseff discursa no Pátio do CarmoFoto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Antes de discursar, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aqueceram a plateia presente no Pátio do Carmo, no Centro do Recife. O ex-presidente chegou ao local acompanhado de comitiva, com pouco mais de duas horas de atraso.

A deputada federal e presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos, ressaltou as conquistas no País e no Estado durante os governos petistas. A parlamentar chamou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) de "verdadeira presidenta da República".

"Lula, você foi de um tempo em que aqui nós conquistamos a Refinaria Abreu e Lima, foi também no seu tempo que nós conquistamos a Transnordestina. E que a presidente Dilma deu continuidade. E conquistamos a indústria automobilística com a Jeep", disse.

A senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidente nacional do PT, afirmou que a caravana do ex-presidente "tem sido um sucesso".

"O presidente Lula conhece a alma do povo. Ele sabe o que o povo precisa", discursou. "Estamos enfrentado um momento muito difícil. Em que os golpistas tiraram Dilma porque queria tirar os direitos do povo brasileiro. Eles têm a desfaçatez de tirar R$ 10 do salário mínimo, cortar Bolsa Família. Depois não sabem o motivo pelo qual o povo gosta de Lula", afirmou.

Gleisi disse que, na Bahia, onde o ex-presidente já esteve com a sua caravana, "tentaram tirar um título de Doutor Honoris Causa". "Os alunos foram para a frente da Universidade e disseram que davam a ele o títutlo de maior presidente do Brasil".

A ex-presidente Dilma, que sofreu um processo de impeachment, foi saudada pelos presentes com gritos de "Olé, olé, olá, Dilma, Dilma".

"Estamos nessa praça fazendo um ato de fé e esperança. Sabemos que o Brasil pode ser tranformado. Cada um de nós sabe disso", disse.

O discurso de Dilma foi interrompido por gritos de "eu quero moradia, sim".

Dilma continuou a fala afirmando que acreditava que o País não ia assistir outra vez a um golpe de Estado. "Mas depois de 13 anos, em que foi possível tirar o Brasil do mapa da fome, de tirar 36 milhões da miséria. No Brasil, só tem um jeito de o pobre ter casa própria: o governo botando a mão no bolso para subsidiar. Agora, os mais pobres têm direito a voto".

A ex-presidente também afirmou que houve um "golpe sem crime de responsabilidade". "Durante o impeachment, muitos demonstraram coragem. Vários pernambucanos. Por questão de Justiça, eu queria agradecer ao deputado Silvio Costa (PTdoB-Avante). À bancada que votou contra o impeachment num gesto de coragem. Agradecer também o senador Humberto, Gleisi e Lindebergh, que incansavelmente lutaram contra essa vergonha. Um País que foi do Pró-Une, do Fies, que levou jovens das classes populares a estudar no exterior, no Ciência sem Fronteira. Enfim, esse impeachment é um golpe para tirar todos os direitos que os trabalhadores e a classe média lutaram para conquistar", declarou Dilma. Ela continuou: "Só quem tem esperança é capaz de mudar. Para reverter esse golpe. Como diz Chico Buarque: O Brasil fala grosso com a Bolívia e fala fino com os Estados Unidos".

Dilma também disse que nessa processo, as mulheres acolheram e que tem por elas "uma extraordinária gratidão".

Antes de Lula discursar, o Frei Aluísio Cardoso entregou um crucifixo artesanal ao ex-presidente. O ator Irandhir santos fez uma saudação ao líder petista.

Com informações de Márcio Didier.

Lula chega ao palco montado no Pátio do Carmo, no Centro do Recife, onde participa de ato
Lula chega ao palco montado no Pátio do Carmo, no Centro do Recife, onde participa de atoFoto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Com pouco mais de duas horas de atraso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chegou ao Pátio do Carmo, no Centro do Recife, acompanhado de comitiva. O petista participa, nesta sexta-feira (25), de ato que integra a agenda batizada de “Caravana Lula pelo Brasil”.

O ex-presidente está acompanhado de nomes do PT, como a senadora Glesi Hoffmann, o deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP), e a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), além dos senadores Humberto Costa (PT) e Lindbergh Farias (PT-RJ).

O ato foi organizado pela Frente Brasil Popular em defesa da democracia, de direitos e por Lula. Mais cedo, o ex-presidente esteve em Ipojuca, onde participou de encontro com trabalhadores em defesa das indústrias petrolífera e naval.

Antes da chegada do ex-presidente, houve um princípio de tumulto na frente do trio elétrico posicionado no Pátio do Carmo. No entanto, os próprios participantes interviram e acabaram com o desentendimento.

Com informações de Márcio Didier e Ulysses Gadêlha.

Grupo reivindica moradia e grita 'Fora Temer'
Grupo reivindica moradia e grita 'Fora Temer'Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Militantes continuam chegando para acompanhar a agenda do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Pátio do Carmo. Entre eles, um grupo que reivindica moradia chegou, em duas filas gritando 'Fora Temer'. Os integrantes são de várias localidades da Região Metropolitana do Recife, a exemplo de Santo Amaro e Peixinhos.

Grupo contra Lula realiza ato na Praça do Derby, na área central do Recife
Grupo contra Lula realiza ato na Praça do Derby, na área central do RecifeFoto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

Enquanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) era aguardado no Pátio do Carmo, no Centro do Recife, o grupo Direita Pernambuco se reuniu, no fim da tarde desta sexta-feira (25), na Praça do Derby, área central da Capital. Cerca de 50 pessoas participaram do ato, que terminou por volta das 19h20. Os participantes aproveitavam quando o sinal fechava na via local da Avenida Agamenon Magalhães para bloquear uma das faixas.

Um dos organizadores do evento e representante do Direita Pernambuco, Leandro Quirino, informou que os manifestantes não pretendiam sair do local. No entanto, dependendo da quantidade de participantes, poderiam interditar uma das faixas da via local.

A Praça do Derby, local escolhido para o ato, é emblemático, pois recebeu diversas atividades do Partido dos Trabalhadores e de frentes de esquerda contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e contra o presidente Michel Temer (PMDB).

“Estamos aqui para mostrar para Lula que ele não é bem-vindo, e que ele tem um lugar para voltar, que é a cadeia”, disparou Quirino.

Integrante do Direita Pernambuco, Sandra Queiroz afirmou que o grupo se reuniu “para acabar com essa pouca vergonha”. "Nós estamos aqui para acabar com essa pouca vergonha. Em defesa da família, das nossas crianças. Estamos pagando para fazer uma caravana de esquerdistas, comunistas que querem fazer desse País um caos. Lula tem que ir pra cadeia", declarou.

“Estamos aqui para dizer não apenas ‘Fora Lula’. Estamos fazendo isso para dizer ‘Fora Temer’, ‘Fora Gilmar Mendes’, fora todos do STF. Eles são o câncer do Brasil”, disparou.

O grupo, durante o fechamento da via, segurava faixas com os dizeres: 'Lula, podre de maduro', 'Lula, você já era, ninguém aqui mais te tolera'.

Com informações de Leonardo Malafaia, da Folha de Pernambuco.

Público presente no Pátio do Carmo, à espera do ex-presidente Lula
Público presente no Pátio do Carmo, à espera do ex-presidente LulaFoto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é aguardado, na tarde desta sexta-feira (25), no Pátio do Carmo, no Centro do Recife. O ato integra a agenda batizada de “Caravana Lula pelo Brasil”. Os militantes já começaram a chegar para o evento, que estava marcado para às 16h.

Integrantes do MST e da Fetape marcam presença e se dividem em dois grupos em frente ao palco montado no local. Algumas pessoas portam faixas, como uma que diz: "Obrigado Lula - o povo tem memória e tem poder!".


[Fotos] Confira imagens do ato de Lula no Pátio do Carmo

No trio elétrico, líderes dos movimentos sociais se revezam ao microfone, no pinga-fogo, mostrando indignação com o Governo Temer e pedindo o retorno de Lula. Nos discursos, vários apelos por justiça para as minorias.

Comércio informal
Além das bandeiras dos movimentos, muitos vendedores ambulantes, que oferecem três cervejas por R$ 10. O vendedor de faixas Maurício José Martins, que nessa quinta-feira (24), comercializou os itens com dizeres “Lula 2018” e “Fora Temer” no evento do ex-presidente Lula no Cais do Sertão, voltou para vender o seu produto.

Os vendedores ambulantes têm diversificado os produtos sobre o ex-presidente. Jorge Marcelo, por exemplo, tem seguido a caravana desde Salvador. Ele vende camisa a R$ 20, chapéu a R$ 10 e as fitas a R$ 2. O comerciante afirmou que levou a Salvador 500 camisas, mas agora tem menos de 50.

Reunido com um grupo de vendedores embaixo do telão no lado direito do trio elétrico, ele oferece também um DVD "com a história de Lula", que custa R$ 20.

Com informações de Márcio Didier.

Lula na residência da família Campos durante encontro informal
Lula na residência da família Campos durante encontro informalFoto: Cortesia

O prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), minimizou, nesta sexta-feira (25), o teor político do encontro entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e socialistas, na noite da última quinta-feira (24), na casa da família Campos, em Dois Irmãos.

"O presidente recebeu a visita de Renata (Campos) quando ele estava passando por aquele período difícil da Marisa Letícia e ontem ele retribuiu esse encontro. A coincidência na festa dos 25 anos da filha de Renata, Maria Eduarda. Foi um encontro descontraído, de pessoas que se conhecem há muitos anos, que puderam se encontrar depois de muito tempo sem ter essa oportunidade. Nada além disso foi tratado lá", disse o prefeito.

Segundo Geraldo Julio, Lula retribuiu a visita que recebeu da ex-primeira-dama em São Paulo, quando a ex-primeira-dama do Brasil Marisa Letícia estava internada. O encontro ocorreu no Hospital Sírio-Libanês. Renata estava acompanhada do filho homem mais velho, João Campos, e do governador Paulo Câmara.

O gestor, no entanto, afirmou que a eleição de 2018 ainda não está em debate. "A gente está cuidando da vida das pessoas. O brasileiro está passando por uma crise muito grande, o desemprego é muito duro, as pessoas estão precisando muito da nossa dedicação, do nosso trabalho e a gente tem dedicado tempo a isso. E 2018 a gente vai cuidar lá na frente", disse.

Com informações de Mário Fontes, da Folha de Pernambuco.

Gustavo Krause foi prestigiar a homenagem a Roberto Magalhães
Gustavo Krause foi prestigiar a homenagem a Roberto MagalhãesFoto: Divulgação

O ex-governador de Pernambuco Roberto Magalhães (DEM) foi homenageado nesta sexta-feira (25) com o título de Cidadão Paulistense. Proposta pelo vereador Camelo do Seguro (PV), a comenda foi entregue na Câmara Municipal e contou com a presença de políticos e familiares do ex-governador.

Em seu discurso, Roberto Magalhães destacou a sua trajetória e lembrou das ações que desenvolveu em Paulista quando ocupou o Executivo estadual.

“Pela presença dos vereadores, de muitos amigos meus que sempre me ajudaram em Paulista quando eu era político, militante, foi uma festa bonita. Tive um dia muito agradável. Saio daqui muito feliz”, declarou Roberto Magalhães.

O autor da proposta destacou a honra de poder homenagear o ex-governador. “Só tenho a agradecer a Deus mais uma vez por ter me dado a honra de poder viver esse momento e poder ser o autor desse requerimento ao qual se torna lei, de poder outorgar esse Título de Cidadão a essa pessoa tão respeitada, não só no meio político, mas como pessoa, como cidadão”, enalteceu o vereador Camelo.

Entre os presentes à cerimônia estava o também ex-governador Gustavo Krause, a deputada estadual Priscila Krause (DEM), o vice-prefeito Jorge Carreiro (PCdoB), representando a prefeitura, além dos vereadores Fábio Barros (PSB), Vinícius Campos (SD), o ex-prefeito Wilson Speck, a secretária-executiva da mulher, Bianca Pinho Alves, o chefe de Gabinete do prefeito, Francisco Padilha, o secretário de Desenvolvimento Urbano, Robertinho Couto, e o secretário Executivo de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Cultura, Íkaro Guimarães.

assuntos

comece o dia bem informado: