Foram encontrados 9 resultados para "Política & Cultura":

O intuito é que a ação seja realizada mensalmente com a visita de estudantes de duas escolas por período
O intuito é que a ação seja realizada mensalmente com a visita de estudantes de duas escolas por períodoFoto: Daniela Batista

Proporcionar o contato com a literatura é um dos objetivos do projeto desenvolvido pela Biblioteca Ler É Preciso. O ‘Passaporte para a Biblioteca’ traz estudantes da Rede Municipal de Ensino para conhecer o ambiente além das salas de leitura das escolas. Na manhã desta sexta-feira (16), foi a vez dos estudantes dos quartos e quintos anos da Escola Municipal Artur Maia serem recepcionados pelas professoras da biblioteca com atividades de leitura e produção textual.

De acordo com a coordenadora da Biblioteca Ler é Preciso, Jackelline Brasileiro, o intuito é que a ação seja realizada mensalmente com a visita de estudantes de duas escolas por período. “A visita à biblioteca amplia a visão de leitura das crianças faz com que o estudante viaje em novas aventuras, além de oferecer pesquisas, produção de textos, socialização, contação de histórias e abertura desse espaço que também é um patrimônio do aluno”, explicou.

A Biblioteca Ler É Preciso é aberta ao público das 8h às 17h e está localizada na rua 13 de Maio, s/n, no Centro da cidade. Os interessados em se cadastrarem para o empréstimo de livros devem levar xerox da carteira de identidade e comprovante de residência.

O projeto é financiado pelo FUNCULTURA/FUDARPE, Secretária de Cultura e do Governo Estado de Pernambuco e conta com o apoio da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho
O projeto é financiado pelo FUNCULTURA/FUDARPE, Secretária de Cultura e do Governo Estado de Pernambuco e conta com o apoio da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba FilhoFoto: Divulgação

No próximo dia 03 de agosto o artista plástico palmarense, professor da extinta Escola de Belas Artes de Pernambuco e, depois, da Universidade Federal de Pernambuco, criador da disciplina “Desenho com Modelo Vivo”, Murilo La Greca, completaria 120 anos de nascido. Em sua terra natal é ilustre desconhecido apesar de sua projeção nacional e internacional; premiadíssimo no Rio de Janeiro e na Europa e da existência de um museu em Recife, Pernambuco, que leva seu nome, espaço esse criado e administrado pela Prefeitura da Capital.

Numa iniciativa inédita, o IBAVALEUNA-Instituto de Belas Artes Vale do Una, promoverá série de eventos durante a próxima semana de agosto com a finalidade de divulgar a vida e as obras do artista, que constará de palestras nas escolas e faculdades além de uma ação de artes na Praça Paulo Paranhos em Palmares, no sábado, dia de seu 120º aniversário com direito a aula de “Desenho com modelo vivo” com participação dos alunos do IBAVALEUNA, alunos do curso de Artes Visuais da UFPE, artistas plástico da região e da capital e, um destaque especial para participação do Profº Fernando Lúcio, ex-aluno de Murilo La Greca e atual professor da citada disciplina naquela Universidade Federal de Pernambuco.

Participarão também do evento, alunos da rede pública de ensino e pessoas das periferias de Palmares, todos integrantes do Projeto Cultural “Atelier Escola” que tem a coordenação do Produtor Cultural José Paulo Profeta de Menezes, projeto financiado pelo FUNCULTURA/FUDARPE, da Secretária de Cultura e do Governo Estado de Pernambuco.

O IBAVALEUNA pretende tornar tradição essa justa homenagem ao palmarense ilustre, incluindo em seu calendário de realizações anual e, enviará mensagem a Câmara de Vereadores propondo a criação da “Semana de Murilo La Greca” – toda primeira semana de agosto.

O projeto é financiado pelo FUNCULTURA/FUDARPE, Secretária de Cultura e do Governo Estado de Pernambuco e conta com o apoio da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho.

Evento: MURILLO LA GRECA 120 ANOS
Data: 03 de agosto (sábado)
Horário: das 9h às 13h
Local: Praça Dr. Paulo Paranhos – Centro – Palmares/PE
Aberto ao público (gratuito)
Informações: (81) 98853-0231

Ceratocone terá início na próxima quarta-feira e poderá ser vista no horário de funcionamento da casa
Ceratocone terá início na próxima quarta-feira e poderá ser vista no horário de funcionamento da casaFoto: Divulgação/ Instagram

O artista Ernesto Júnior apresenta no restaurante Cá-Já, na próxima quarta-feira (17), a partir das 19h, a mostra individual "CERATOCONE". Além de apreciar a obra de Ernesto Júnior. 

O título da mostra faz referência ao período em que, aos 18 anos, Ernesto recebeu diagnóstico de ceratocone, uma enfermidade que afeta a córnea. Apesar de conviver durante anos com o tratamento da doença, o artista desenvolveu seus traços a “olho nu".
  
A "CERATOCONE" que apresenta agora é um significativo apanhado da sua produção, com 25 peças. Seus desenhos são compilados pela primeira vez em uma mostra individual, desnudando seus traços, nervos e pulsões. O recorte expositivo articula-se a partir de três séries: GARATUJAS, um conjunto de obras mais riscadas, com traços crus de linhas simples; REBOTALHOS, que trabalha as cores com a paleta mais aberta; e REFOLHOS, com desenhos mais atuais, que trazem formas e expressões mais pulsantes.

Além de apreciar a obra de Ernesto Júnior, cada expectador poderá apreciar sem moderação e refletir sobre o momento e conjuntura política atual do Brasil e do Mundo. Conheça um pouco mais da obra do artista através do instagram @ceratocone. 

Ceratocone terá início na próxima quarta-feira e poderá ser vista no horário de funcionamento da casa

Ceratocone terá início na próxima quarta-feira e poderá ser vista no horário de funcionamento da casa - Crédito: Divulgação

Este é o sexto livro de autoria do também deputado federal Luciano Vivar
Este é o sexto livro de autoria do também deputado federal Luciano VivarFoto: Divulgação

O escritor pernambucano Luciano Bivar lança, nesta segunda-feira (1º de julho), na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, em São Paulo, o romance “50 formas de amar. Uma é matar”, da Editora Althaea Books. A obra, 100% ficção, já foi lançada nos Estados Unidos pela editora IUniverse, primeiro em formato digital – www.iuniverse.com – e futuramente em meio físico. No Brasil, já pode ser encontrada em sites de e-commerce, como Amazon.com, Saraiva.com, Cultura.com, e estará nas principais livrarias do País, de forma física, a partir do dia 1º de julho.

A história do livro, sexto do autor, inicia em Nova York, às margens do rio Hudson, com o empresário Rick Benelli recebendo um diagnóstico terminal. Aos 60 anos, descobre que um aneurisma em seu cérebro pode se romper a qualquer momento. Atordoado, procura ajuda de uma psicóloga para lidar com a notícia, por recomendação de sua amiga e ex-mulher. Rick, então, conhece Suzie Flexmer, uma bela mulher de 35 anos.
Nas primeiras páginas do romance, Rick e Suzie sentem-se impedidos de se conhecer melhor por causa da relação entre médica e paciente. Mas ela decide encaminhar o caso dele a um colega e abre espaço para um envolvimento com o charmoso empresário. Os dois descobrem, assim, o muito que têm em comum: a paixão por Nova York e seus simpáticos restaurantes, Paris, o teatro, a pitoresca história de suas famílias que imigraram para a América. E se apaixonam. Intensamente.

A vida dos dois ganha novas dimensões. Rick e Suzie deixam a paixão os levar a experiências que despertam as mais profundas e estimulantes sensações e sentimentos, numa história de amor narrada a partir do olhar dos dois personagens. Juntos descobrem que há muitas e diferentes formas de amar, de cultuar o belo e de viver um romance extasiante. O casal percorre ruas e hotéis da Nova York onde moram, de Veneza e Paris. Não deixam de experimentar os dramas familiares, o ciúme, a dúvida, mas seguem em frente com sua paixão.

SOBRE O AUTOR

Luciano Bivar, nascido em Recife, é bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Universidade Católica de Pernambuco e Faculdade Brasileira de Ciências Jurídicas do Rio de Janeiro, pós-graduado pelo Institute of Financial Education da Northwestern, Estados Unidos e membro de diversas associações de classe para maior aproximação entre os povos da América.

Autor de outras cinco obras publicadas, como:
Brasil Alerta, Psicoses Socialistas (1985);
Cuba, Num Retrato Sem Retoques (1987 Barrister’s, Rio);
Passagem Para a Vida (1989 Barrister’s, Rio);
Burocratocia, A Invasão Invisível (1983 M.Books, São Paulo);
Intuição, A Terceira Mente (2016 M.Books, São Paulo)

FICHA TÉCNICA
50 formas de amar. Uma é matar
Páginas: 200 páginas
Autor: Luciano Bivar
Preço: R$ 49,00
Editora: Althaea Books

LANÇAMENTO
Data: 1º de julho (segunda-feira)
Horário: 18h30
Local: Livraria Cultura do Shopping Iguatemi
Endereço: Av. Brg. Faria Lima, nº 2232, Jardim Europa, São Paulo/SP)

A proposição passa por três comissões da Alepe
A proposição passa por três comissões da AlepeFoto: Divulgação

Um Projeto de Lei Ordinária (P.L.O. nº 173/2019) de autoria do deputado estadual Rogério Leão (PR), que inclui a Semana Estadual de Divulgação da Literatura de Cordel nas Escolas no Calendário Oficial do Estado entra em tramitação na Assembleia Legislativa de Pernambuco nesta terça-feira (7). A proposição passa por três comissões da Alepe: Comissão de Constituição e Justiça, Administração Pública e por fim na Comissão de Educação.

De acordo com o Projeto, os seis dias que antecedem 19 de setembro - data em que o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) reconheceu a literatura de cordel como patrimônio cultural imaterial do Brasil – devem ser comemorados nas escolas de Pernambuco o estilo literário que retrata o universo sertanejo.

Para o deputado Rogério Leão a Literatura de Cordel, “que já foi muito estigmatizada”, deve ser preservada e promovida. “Devido ao linguajar despreocupado e regionalizado, este estilo literário antes exprobrado agora merece total reconhecimento. Por outro lado, a escola tem um papel fundamental no fomento e promoção da cultura nacional e nordestina, trazendo a sua valorização para os estudantes e auxiliando na prevenção e erradicação do preconceito quanto à regionalização”, justifica o parlamentar.

Nos objetivos, incluem a difusão na comunidade escolar da literatura de cordel; prevenção a erradicação da literatura popular em verso; diminuição a discriminação relacionada à cultura regional, em especial a nordestina. Devem ser promovidas durante a Semana, ações de identificação e catalogação de obras literárias, projetos que estimulem a difusão da literatura e oficinas para produção de obras de cordel.

Escrito frequentemente na forma rimada, o Cordel tem sua origem no Século XVI através de relatos orais, que depois foram impressos em folhetos e ficavam pendurados em cordas. Tal forma de expressão literária é inspirada na literatura Francesa de Colportage, nos romances e pliegos sueltos ibéricos, e na própria literatura de cordel portuguesa.

Presidente da Fundaj, Alfredo Bertini, recebeu comitiva do embaixador de Isral no Brasil, Yossi Shelley
Presidente da Fundaj, Alfredo Bertini, recebeu comitiva do embaixador de Isral no Brasil, Yossi ShelleyFoto: Divulgação

O presidente da Fundação Joaquim Nabuco, Alfredo Bertini, recebeu nesta sexta-feira (15) a comitiva do embaixador de Israel, Yossi Shelley. Na pauta do encontro, a criação do Núcleo José Alexandre Ribemboim de Pesquisas sobre os Judeus e Cristão-novos dentro da Fundação Joaquim Nabuco.

Bertini afirmou que a presença do embaixador Israelita reforça a presença da comunidade judaica e prestigia a aproximação entre o Ministério da Educação (MEC) e Israel. "Gostaríamos de contar com seu apoio diplomata nesta linha de trabalho para resgatar a história que explica uma parte do nordeste e precisa ser cientificamente evidenciada”, disse Bertini a Yossi Shelley.

Ele contextualizou a história da Fundação aos presentes, criada há 70 anos pelo sociólogo Gilberto Freyre com forte traços étnicos e culturais de negros índios, brancos e portugueses na colonização do Nordeste. “Resta em aberto a lacuna da presença histórica dos judeus desde os primórdios do descobrimento.”

Leia também:
PGE-PE regulamenta negociação para solucionar conflitos judiciais
Jarbas se reúne com Geraldo Júlio para viabilizar projetos


Em sua primeira visita à instituição, o embaixador afirmou que está aberto para selar a parceria. “A história do Brasil e dos judeus é muito forte e os dois sempre andaram juntos. Acredito que este seja o momento de fazer.”

O núcleo de estudos será coordenado por Jacques Ribemboim, filho do autor José Alexandre Ribemboim e professor de economia da UFRPE. “Podemos dizer que a população nordestina tem uma forte componente étnica de origem dessas famílias cristãs novas que vieram heroicamente para cá.” Ele esteve presente na reunião e resgatou a memória do pai, usando sua dedicação como motivação para criar esse centro de estudos.

Segundo Bertini, essa ação é uma continuidade do pensamento de Gilberto Freyre, de olhar pela liberdade de expressão e formar o homem nordestino de forma mais completa. “Esse esforço queremos trabalhar junto com vocês.”

Visita ao Museu do Homem do Nordeste (Muhne)

Visita ao Museu do Homem do Nordeste (Muhne)



Visita ao Muhne - Após a reunião, o embaixador seguiu para uma visita ao Museu do Homem do Nordeste (Muhne), mediada pelo próprio presidente Bertini. “Estou muito feliz e surpreso em ver o Museu. Antes dessa visita não se via sobre o nordeste, sua história e evolução. É impressionante,” comentou Yossi Shelley Na saída, teve a chance de conhecer a cana de açúcar no jardim interno do MUHNE.

"O Poder da Corrupção nas Democracias Contemporâneas"
"O Poder da Corrupção nas Democracias Contemporâneas"Foto: Divulgação

A grave crise democrática que se estende por diversas nações e apresenta a corrupção como uma espécie de quarto poder é o tema central do livro "O Poder da Corrupção nas Democracias Contemporâneas", do escritor Paulo Roberto Cannizzaro, que será lançado na próxima terça-feira (11), na Rua Januário Barbosa, 266, Madalena.

Produzido pela editora portuguesa Chiado, o livro mostra, constituído de forma paralela às instituições legais. Em 2019, virá a público o terceiro exemplar da série, tratando de forma específica sobre dívida pública com o olhar especializado de alguém que tem larga experiência na área tributária.

"Em 'O Poder da Corrupção nas Democracias Contemporâneas' eu apresento a corrupção como um marco civilizatório, já que nenhuma sociedade está imune ao problema. Mas as que apresentam mais degradação são justamente aquelas onde a inapetência política é maior. É um paradoxo. A minha teoria é a de que as pessoas estão desenvolvendo aversão aos políticos e ao mundo da política, tornando o ambiente mais propício para a corrupção, num verdadeiro círculo vicioso. Já nas sociedades onde a soberania popular é mais viva, é mais difícil haver este processo", analisa.

Leia também:
MPPE celebra os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos
Maria do Céu publica carta de desfiliação do PPS
Clima tenso no PSL: Bolsonaro chama reunião com a bancada federal

O autor ressalta que todos os países são afetados pela corrupção. "A diferença é que nas sociedades mais desenvolvidas, existe um cuidado em se aperfeiçoar os mecanismos de proteção, controle e combate", destaca Cannizzaro, ao mesmo tempo em que lamenta o fato de que também vem se generalizando uma falência social e política.

Os principais países da Europa e mesmo os Estados Unidos da América, que por tanto tempo se gabaram de avanços sociais em seus sistemas democráticos, entraram também em colapso quando suas legendas políticas assumiram condutas econômicas antissociais, levando à perda de legitimidade de seus sistemas. Como resultado, partidos tradicionais vem perdendo o apoio das sociedades civis e as pessoas passaram a desprezar cada vez mais os temas políticos, enquanto muitas sociedades estão se tornando excessivamente judicializadas.

"Despolitizou-se a sociedade civil, ninguém confia mais nestes personagens políticos, além de ter havido uma expansão de comportamentos desviados de corrupção em todas as dimensões. É o resultado de um Estado deformado que já não consegue atender as necessidades sociais. Uma democracia liberal profundamente adoentada, que foi definida antes como um regime de 'democracia ideal', mas que entrou em crise, sob o impacto da perda de legitimidade dos governos", descreve.

Além de fornecer uma visão mais ampla do problema, Paulo Roberto Cannizzaro aprofunda sua análise acerca do Brasil (que já havia sido iniciada no volume anterior da trilogia, em que destacou as raízes do processo, antes mesmo de nos tornarmos uma república). O livro está atualizado até o último julgamento do presidente Lula. "Tentei mostrar todos os lados da questão, trazendo uma visão analítica e imparcial sobre a corrupção, que não é exclusiva de um partido político ou de um momento histórico", conta o autor, que finaliza conclamando os leitores a se envolverem com as questões políticas. "É fato que este modelo de gestão do Estado e da política nacional fragmentou-se. Mas é tempo de refundar a República e o Estado brasileiro".

Serviço:

Lançamento do livro "O Poder da Corrupção nas Democracias Contemporâneas", de Paulo Roberto Cannizzaro. Editora Chiado.
Local: Rua Januário Barbosa, 266, Madalena.
Dia: 11.12
Hora: 18h

Assassinatos de Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes aconteceram há mais de oito meses e criminosos ainda não foram identificados
Assassinatos de Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes aconteceram há mais de oito meses e criminosos ainda não foram identificadosFoto: Divulgação

Livro deixa dissertação da ex-vereadora da capital fluminense com linguagem voltada para o público em geral
Livro deixa dissertação da ex-vereadora da capital fluminense com linguagem voltada para o público em geral - Crédito: Divulgação

A ex-vereadora da cidade do Rio de Janeiro pelo PSol, Marielle Franco, assassinada em 14 de março de 2018, terá uma adaptação da dissertação de mestrado que Marielle defendeu em 2014 na Universidade Federal Fluminense (UFF) lançada simultaneamente em 18 cidades.

O livro "UPP: a redução da favela a três letras - uma análise da política de segurança pública do Estado do Rio de Janeiro" retrata seu trabalho enquanto moradora da comunidade da Maré, e, portanto, suas respectivas posturas políticas enquanto mulher negra da periferia carioca.

Doutora em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro IUPERJ-UCAM (2009), Lia de Mattos Rocha, foi a responsável por deixar o livro mais acessível para o público não-acadêmico.

Belém do Pará, Belo Horizonte, Florianópolis, Goiânia, Maceió, Porto Alegre, Curitiba, Vitória, São Luís, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador, Tiradentes, Tabatinga e Teresina, além de Letícia, na Colômbia. No dia 10, a mãe de Marielle, dona Marinete Silva, irá a Madri, na Espanha, falar num evento da Anistia Internacional.

Em Recife, o lançamento acontece na praça da UR 11, na fronteira entre o Recife e Jaboatão dos Guararapes, dentro do evento Ibura Black (que tem entrada gratuita). A obra tem 160 páginas, custa R$ 30 e terá sua renda revertida para a família de Marielle, podendo ser comprado presencialmente ou através do site https://n-1publications.org.

Livro: "UPP: a redução da favela a três letras - uma análise da política de segurança pública do Estado do Rio de Janeiro"

Onde: Praça da UR-11

Quando: Sábado, 8 de dezembro, 19h. Durante o evento Ibura Black (que tem entrada gratuita).

Quanto: R$ 30

* Leia mais na edição deste sábado do Folha Mais, na matéria de Mariana Mesquita

Comunidade da Maré

Comunidade da Maré, Rio de Janeiro                                        Crédito: Dimitri Moretti

 

Banda 47Soul é formada por membros da Palestina e Jordânia
Banda 47Soul é formada por membros da Palestina e JordâniaFoto: Marcos Hermes/ Flickr Mimo 15 anos

Na última sexta-feira (26), o Festival Mimo, que completava 15 anos, teve sua abertura com concerto de Hermeto Pascoal, na Catedral da Sé, em Olinda, depois que a organizadora da Mimo, Lu Araújo, e o prefeito Professor Lupércio (SD) declarou oficialmente iniciado o final de semana especialmente cultural.

Já no sábado (24) , Egberto Gismonti fez seu concerto na Sé atraindo dezenas de pessoas para dentro e fora do espaço da catedral. Ele homenageou grandes nomes como Pixinguinha e  Heitor Villa-Lobos, destacando a importância deste tipo de Festival para o País.

O teor dos shows da noite foi bastante político, como no caso da excelente banda Palestine Soul, que que fez uma apresentação dançante mesclando ritmos árabes e universais. O público delirou quando o grupo fez uma fala contra o fascismo e a favor da liberdade.

O momento mais esperado da noite foi apresentação do rapper Emicida, que também foi extremamente dançante e combativo, com falas e vídeos contra o racismo e o fascismo. Centenas de fãs se aglomeravam na Praça do Carmo, vibrando com Emicida até quase às 2 horas da madrugada.

*Com informações de Mariana Mesquita, de Editoria de Diversão & Arte

comece o dia bem informado: