Bolsonaro apaga comentário ofensivo à primeira-dama francesa

No sábado (24), Bolsonaro referendou o comentário de um seguidor, dando a entender que as recentes críticas de Macron ao seu governo seriam motivadas por inveja da esposa do brasileiro, Michelle Bolsonaro

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro apagou nesta terça-feira (27) o comentário que fez em uma rede social no qual zombava da primeira-dama francesa, Brigitte Macron, informou o site Poder 360. Ainda segundo o site, a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto afirmou que não comentaria a exclusão, e que foi o próprio presidente que publicou o comentário.

No sábado (24), Bolsonaro referendou o comentário de um seguidor, dando a entender que as recentes críticas de Macron ao seu governo seriam motivadas por inveja da esposa do brasileiro, Michelle Bolsonaro.

Ao comentar uma publicação de Bolsonaro no Facebook, o seguidor Rodrigo Andreaça escreveu: "É inveja presidente do macron pode crê (sic)".

Leia também:
Perfil de Bolsonaro apoia comentário que ofende primeira-dama da França
Bolsonaro diz não ter ofendido esposa de Macron

A mensagem de Andreaça foi publicada junto a uma imagem, na qual se vê uma foto de Bolsonaro e de sua esposa, Michelle, abaixo de um retrato de Macron e de sua mulher, Brigitte.

Ao lado das fotos dos casais, há os dizeres: "Entende agora por que Macron persegue Bolsonaro?". O perfil de Bolsonaro respondeu a Andreaça: "Não humilha, cara. Kkkkkkk".

Ainda nesta nesta terça, Bolsonaro negou ter ofendido a primeira-dama da França, em entrevista para a imprensa. Questionado se pediria desculpas à Brigitte, Bolsonaro disse que não a ofendeu e, irritado com a insistências dos repórteres, encerrou a entrevista.

Veja também

Flávio Dino diz que vai processar Bolsonaro por propaganda política em viagem ao Maranhão
política

Flávio Dino diz que vai processar Bolsonaro por propaganda política em viagem ao Maranhão

STF suspende julgamento sobre legalidade de revista íntima em presídio
justiça

STF suspende julgamento sobre legalidade de revista íntima em presídio