Presidente

'A lata é para enfiar no r* de vocês', diz Bolsonaro à imprensa sobre gastos do governo com alimento

Bolsonaro se revoltou com o caso sobre os detalhes dos gastos do governo federal com alimentosBolsonaro se revoltou com o caso sobre os detalhes dos gastos do governo federal com alimentos - Foto: Reprodução/Video

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), se revoltou com o caso sobre os gastos do governo federal com alimentos. Em um vídeo que circula pelas redes sociais, o presidente dispara vários xingamentos à imprensa. No vídeo, é possível ouvir gritos de "mito" após o "desabafo".

Nas imagens, vê-se o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, ex-presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur). 

"E quando eu vejo a imprensa me atacar, dizendo que comprei 2 milhões de latas de leite condensado, vai pra p* que o pariu", disparou o representante da República. "Imprensa de m* essa daí. É pra enfiar no r* de vocês aí. Vocês não, vocês da imprensa, essa lata de leite condensado", continou Bolsonaro.

A Secretaria de Comunicação da Presidência confirmou à AFP que Bolsonaro compareceu ao almoço, mas disse que se tratava de um "compromisso privado", motivo pelo qual a imprensa não esteve presente.

Relembre o caso 
Segundo os dados analisados, disponíveis  no Painel de Compras do Ministério da Economia, todos os órgãos do governo gastaram mais de R$ 1,8 bilhão em compras de itens não essenciais, incluindo alguns bastante atípicos, que levantaram suspeitas sobre as prioridades dessas aquisições em um momento de grave crise sanitária e econômica.

A prestação de contas do Portal dá conta de que foram gastos R$ 15.641.777,49 só em leite condensado, durante o ano de 2020. Mas o valor elevado é ainda menor que o gasto registrado em 2019, primeiro ano da gestão, quando foram pagos R$26 milhões pelo produto.

Segundo o levantamento feito pelo Metrópoles, outros itens chamaram atenção, entre eles uva passa, R$ 5 milhões, barras de cereal, R$13,4 milhões, ervilhas em conserva, R$12,4 milhões e iogurte natural, que representa R$21,4 milhões, também foram vistos na lista que possui ainda vinhos, carne defumada, chantilly e até mesmo em chicletes (sic). Por incrível que pareça, R$ 2 milhões de reais foram gastos pelo governo em goma de mascar.

Em nota, o Ministério da Defesa esclareceu que é responsável por fornecer uma "alimentação balanceada" aos mais de 370 mil militares das Forças Armadas e que "o leite condensado é um dos itens que compõem a alimentação por seu potencial energético" e porque eventualmente "pode ser usado em substituição ao leite". 

No caso da compra de gomas de mascar, o ministério afirmou que o produto é usado na higiene bucal quando ocorre a impossibilidade de escovação e para aliviar os efeitos da pressão durante a atividade aérea. Em todo o País, o efetivo é de 370 mil militares, que estão alocados em 1,6 mil organizações militares.

Veja também

Flávio Bolsonaro diz que mansão de R$ 6 milhões foi comprada com venda de imóvel no Rio
Imóvel

Flávio Bolsonaro diz que mansão de R$ 6 milhões foi comprada com venda de imóvel no Rio

STF rejeita denúncia contra parlamentares do PP
Justiça

STF rejeita denúncia contra parlamentares do PP