A-A+

Bolsonaro critica exame toxicológico para porte e posse de arma de fogo

Presidente criticou a aprovação, pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, de um projeto de lei que exige exame toxicológico para a posse ou porte de armas

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Carolina Antunes/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou nesta quinta-feira (6) a aprovação, pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, de um projeto de lei que exige exame toxicológico para a posse ou porte de armas de fogo. A proposta foi aprovada pelo colegiado na quarta (5) e tem caráter terminativo –ou seja, só irá ao plenário do Senado se houver recurso; caso contrário, segue direto para a Câmara dos Deputados.

"Meu Deus do céu, tem que infernizar a vida de quem está fazendo a coisa errada, não de quem quer fazer a coisa certa. Quem quer comprar uma arma não é para fazer besteira. [Para] fazer besteira ele vai aí para o câmbio negro, um lugar qualquer", declarou o presidente, durante uma live nas redes sociais.

Pelo texto votado pelos senadores, o exame toxicológico negativo precisa ser comprovado a cada três anos para a renovação do Certificado de Registro de Arma de Fogo. Além disso, o projeto estabelece que a Polícia Federal e as Forças Armadas poderão submeter os possuidores de arma de fogo a exame toxicológico de forma randômica durante o prazo da autorização de modo a surpreender os eventuais usuários de drogas.

Leia também:
Bolsonaro substitui Canuto por Rogério Marinho no Desenvolvimento Regional
Governo está para enviar reforma administrativa, diz Bolsonaro
Durante live, Bolsonaro acompanha discurso de Donald Trump

Defensor de regras mais frouxas para o acesso a armas, Bolsonaro disse ainda esperar que o projeto não seja aprovado pelo Congresso e sinalizou veto à matéria caso ela ganhe sinal verde do Parlamento. "Se por ventura passar, eu posso exercer o direito de veto e depois o Congresso Nacional decide se mantém ou não [o veto]", declarou.

O presidente também conclamou os eleitores a procurar os parlamentares e defender a derrubada da proposição. Ele disse que a população deve ter o histórico de votações dos congressistas em conta na hora de decidir seu candidato antes das eleições. "Esse projeto a meu entender não é bem-vindo", disse.

Além do exame toxicológico, os senadores na comissão aprovaram outra proposta terminativa sobre o tema. O texto estabelece a perda automática da autorização de porte de armas de fogo se o portador ingerir bebida alcoólica ou fizer uso de substância psicoativa que determine dependência. A autorização do porte fica suspensa por dez anos.

Veja também

Renan pede banimento de Bolsonaro de redes sociais e 8 novos indiciamentos em relatório da CPI
CPI da Covid

Renan pede banimento de Bolsonaro de redes sociais e 8 novos indiciamentos em relatório da CPI

Brasil manterá postura combativa durante discussões da COP26
COP26

Brasil manterá postura combativa durante discussões da COP26