POLÍTICA

Bolsonaro diz que Incra não pode parar e diz que recurso pode vir de cortes em outros ministérios

Na sexta-feira, superintendente do órgão suspendeu as atividades por falta de recursos

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo (15), que as atividades do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) não podem parar e que estuda soluções para o orçamento do Instituto. O presidente disse que está "pronto" para cortar verba de algum ministério casa não haja orçamento para o Incra.

"Tá com problema de orçamento. Já foram se eu não me engano 330, 340 mil títulos. Precisamos de mais recursos, porque custa dinheiro você mandar o pessoal para as áreas trabalhar e emitir o título de propriedade. Não pode parar. Eu estou pronto, vou falar com o Paulo Guedes que, se não tiver recurso, para cortar de algum ministério", disse o presidente.

O Incra suspendeu nesta sexta-feira (13) todas as atividades que envolvam deslocamentos ou sejam avaliadas como "não urgentes". A determinação está em ofício encaminhado pelo presidente do órgão, Geraldo Melo Filho, às superintendências regionais.

No ofício, o presidente da autarquia diz que estão suspensas "quaisquer novas ações a serem iniciadas" que envolvam deslocamento e diárias "até manifestação em contrário por parte desta Presidência". O documento também informa o cancelamento das "solicitações de agendas nacionais" e a suspensão da realização de novos eventos do Incra, mesmo os que já estavam marcados.

"Em razão da atual indisponibilidade de recursos para a execução de atividades finalísticas da autarquia, informa-se que devem ser suspensas quaisquer atividades que envolvam deslocamentos para eventos, mesmo que entrega de títulos, uma vez que os recursos deverão ser priorizados em ações entendidas como urgentes e obrigatórias pela Sede", diz o documento.

Os eventos de entrega de título rural do Incra têm a constante participação do presidente Jair Bolsonaro (PL). Em abril, ele esteve na cidade mineira de João Pinheiro ao lado dos ministros da Agricultura, Marcos Montes, e da Secretaria de Governo, Célio Faria, além de Geraldo Melo Filho. Em março, Bolsonaro participou de um evento similar, mas no Acre, onde entregou 5.768 títulos.

Veja também

Missão de Observação Eleitoral: termina nesta terça-feira (5) o prazo de credenciamento
Eleições 2022

Missão de Observação Eleitoral: termina nesta terça-feira (5) o prazo de credenciamento

Pesquisa Folha/IPESPE: 50% veem aumento da Covid-19
PANDEMIA

Pesquisa Folha/IPESPE: 50% veem aumento da Covid-19