A-A+

Bolsonaro diz que vai indicar Sergio Moro para vaga no STF

O primeiro ministro do Supremo que deve deixar a Corte é o decano Celso de Mello, que atinge a idade de aposentadoria obrigatória em novembro de 2020

Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, entregou o projeto de Lei Anticrime ao Congresso em fevereiro.Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, entregou o projeto de Lei Anticrime ao Congresso em fevereiro. - Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo (12) que assumiu compromisso com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, para indicá-lo para uma vaga no STF (Supremo Tribunal Federal).

"Eu fiz um compromisso com ele, ele abriu mão de 22 anos de magistratura. A primeira vaga que tiver lá [no STF], estará à disposição", disse Bolsonaro, numa entrevista ao programa do jornalista Milton Neves, da rádio Bandeirantes.

"A primeira vaga que tiver eu tenho esse compromisso e, se Deus quiser, nós cumpriremos esse compromisso. O Brasil inteiro vai aplaudir", acrescentou o presidente.

O primeiro ministro do Supremo que deve deixar a Corte é o decano Celso de Mello, que atinge a idade de aposentadoria obrigatória em novembro de 2020. A segunda vaga no STF deve ficar disponível com a aposentadoria de Marco Aurélio Mello, em julho de 2021.

Leia também:
No plenário, Moro venceria.Acordo deve evitar destaque
Moro é 'ícone do Brasil', diz Bolsonaro depois de derrota do ministro

Bolsonaro fez os comentários sobre Moro após ser perguntado pelos entrevistadores sobre uma fala recente do ex-juiz da Lava Jato, que disse a um jornal português que ir para o STF seria "como ganhar na loteria."

Moro foi anunciado ministro da Justiça no início de novembro do ano passado, poucos dias depois de confirmada a vitória de Bolsonaro no segundo turno das eleições.

Veja também

Morre aos 67 anos Carlos Neder, ex-deputado e fundador do PT
Luto

Morre aos 67 anos Carlos Neder, ex-deputado e fundador do PT

Encontro com Alckmin, França, Kassab e Skaf tem gritos de 'tchau, Doria' e críticas ao governador
São Paulo

Encontro com Alckmin, França, Kassab e Skaf tem gritos de 'tchau, Doria' e críticas ao governador