Bolsonaro é homem puro e intuitivo, diz secretário José Salim Mattar

Mattar participou nesta quinta (8) de evento do banco BTGPactual que reúne outros seis secretários do mesmo ministério

Jair BolsonaroJair Bolsonaro - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Responsável pela área de desestatizações do Ministério da Economia, o secretário José Salim Mattar Júnior diz não estar mais frustrado com seu novo emprego, mas se divertindo muito no governo do presidente Jair Bolsonaro, que considera um "homem puro" e comprometido com o programa de privatizações.

Mattar participou nesta quinta (8) de evento do banco BTGPactual que reúne outros seis secretários do mesmo ministério.

Após chamar o estado brasileiro de obeso e falar em vender tudo o que fosse possível numa lista de mais de 130 empresas para serem privatizadas, Mattar foi questionado pela plateia sobre a oposição de Bolsonaro às privatizações quando o atual presidente era deputado federal.

Leia também:
Miguel Reale Jr. diz que Bolsonaro dá 'tapa na cara da civilização' ao exaltar Ustra

"Muitos de nós mudamos. Tem hora que faz um clique. A influência do ministro Paulo Guedes [Economia] com o presidente foi espetacular. Ele influenciou o presidente a ter efetivamente uma orientação de privatizações", afirmou.

Outra manifestação enviada pela plateia por escrito foi um pedido para que Mattar lembrasse ao presidente que essa é sua nova posição. "Por favor, façam isso", dizia o bilhete.

"Ele [Bolsonaro] consegue fazer uma leitura da sociedade que não conseguimos fazer. Ele tem uma intuição tão grande que a greve dos caminhoneiros só não eclodiu porque ele soube fazer uma leitura do que estava acontecendo. Ele chegou lá [presidência] porque tem capacitações. Ele se manifesta de forma pura. É um homem puro. Sei que muitos não vão concordar", afirmou Mattar.

Fundador da Localiza e hoje secretário, Mattar disse ter sofrido "bullying" de amigos empresários quando desembarcou da candidatura João Amoedo (Novo) e aderiu a Bolsonaro.

"Estava em uma reunião com um grupo forte do PIB de São Paulo e sofri 'bullying' porque falei que estava apoiando Bolsonaro. Todo mundo queira que fosse o [Geraldo] Alckmin", afirmou.

Na avaliação de Mattar, o presidente montou um ministério formado apenas por nomes técnicos. "Se fosse outro candidato, como é que seria? Dois ministérios pro PP, um para o PR, para o MDB."

O ministério atual é composto por três filiados ao DEM, três ao PSL, um do MDB e outro do Novo.

Mattar disse ainda que a mídia não tem com o presidente da República o mesmo cuidado que tem com o Ministério da Economia. Para ele, a imprensa tem um comportamento autêntico e amigável em relação ao ministro Paulo Guedes.

"Vejo a classe empresarial e a imprensa criticando. Acho que falta reflexão, bom senso e cuidado na crítica. Onde estaríamos hoje? Não estou preocupado com pequenos detalhes de uma fala."

Após falar que o governo cogita privatizar a Petrobras, e depois corrigir o nome da empresa para Eletrobras, Mattar foi questionado sobre a venda da empresa petrolífera e disse que, neste momento, o governo tralha em cima das empresas deficitárias.

O secretário falou ainda sobre o programa de venda de imóveis da União. Afirmou que todos os dias órgãos do governo apresentam novas listas de bens que podem ser alienados e que números não atualizados mostram um patrimônio de R$ 1,150 trilhão e 770 mil imóveis.

Esse patrimônio será usado para alocar outros órgãos públicos ou ser vendidos, mas antes será necessário organizar esses ativos e desenvolver um modelo de licitação.

"Temos oito modelagens diferentes, estamos testando duas no momento. Podemos fazer algumas vendas por atacado. Vamos ver o que é viável. Nesses quatro anos, não vamos vender tantos imóveis, mas vamos deixar uma modelagem para futuros governo sobre como vender."

Veja também

Fux fica desapontado com indicação de desembargador para STF
STF

Fux fica desapontado com indicação de desembargador para STF

Presidente Jair Bolsonaro visita o Sertão do Pajeú
Blog da Folha

Presidente Jair Bolsonaro visita o Sertão do Pajeú