Política

Bolsonaro ignora imprensa e fala apenas com apoiadores no Palácio do Planalto

Mesmo com o crescente número de mortes pela Covid-19, o presidente se manteve contra o fechamento do comércio

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Reprodução

O presidente da república, Jair Bolsonaro (sem partido), apareceu para cumprimentar seus apoiadores no Palácio do Planalto. Após participar de um evento no Ministério da Defesa, na tarde desta sexta-feira (8), Bolsonaro se recusou a falar com a imprensa, mas respondeu alguns questionamentos feitos por seus apoiadores.

Diariamente apoiadores de Bolsonaro se aglomeram no Palácio do Planalto para tentar cumprimentá-lo. Um apoiador do Paraná, que foi declarar apoio ao presidente, questionou sobre quando o comércio vai voltar a funcionar. Por sua vez, Bolsonaro se colocou contra o fechamento dos estabelecimentos e frisou que se fosse por sua decisão, grande parte estaria aberta.

Leia também:
Em reunião, Bolsonaro reclamou de nota que lamentava morte de policial rodoviário por coronavírus
Bolsonaro contraria OMS e planeja churrasco com 30 convidados para este sábado

"A decisão de fechar o comércio são dos governadores do Brasil. Eu tenho uma posição um pouco diferente do que eles estão tomando aí. Se dependesse de mim, grande parte estaria trabalhando e outra grande parte já teria deixado de trabalhar", falou.

Bolsonaro ainda salientou: "mais cedo ou mais tarde vão ter que abrir, por que vai chegar no limite", se referindo aos serviços não essenciais que estão sem funcionamento durante a pandemia.

Muitas cidades brasileiras já enfrentam um colapso no serviço de saúde, sem leitos suficientes para atender pessoas que manifestam sintomas da Covid-19. Até o momento, a única forma de conter a contaminação pelo novo coronavírus é o isolamento social.

Contudo, o presidente continua acreditando que o fechamento do comércio não é uma medida necessária, lavando as mãos sobre a decisão de fechar serviços não essenciais e jogando a responsabilidade da ação nos governadores. "Se você para a economia, economia também é vida. A pessoa pobre sem trabalho, sem dinheiro, vai ter muitos problemas", ressaltou em meio a seus apoiadores.

Veja também

TSE começa a julgar aplicação da lei de proteção de dados nas eleições
Justiça

TSE começa a julgar aplicação da lei de proteção de dados nas eleições

Ministro Edson Fachin participa de última sessão no comando do TSE
Justiça

Ministro Edson Fachin participa de última sessão no comando do TSE