Bolsonaro parabeniza parlamentares por aprovação da MP 871

Em sua mensagem, Bolsonaro diz que a aprovação da MP, que segue agora para sanção do presidente, 'gerará ao país economia de 100 bilhões em 10 anos'

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro publicou, por volta das 22h40 de hoje (3), uma mensagem no Twitter dando parabéns aos parlamentares que se empenharam pela aprovação da Medida Provisória (MP) 871, que visa a combater as fraudes no sistema previdenciário.

Em sua mensagem, Bolsonaro diz que a aprovação da MP, que segue agora para sanção do presidente, “gerará ao país economia de 100 bilhões em 10 anos”. Ele agradeceu, em especial, ao relator da MP na Câmara, o deputado federal Paulo Martins (PSC-PR).

A MP 871 foi aprovada na noite desta segunda-feira no Senado, último dia antes de perder sua validade. O texto aprovado estabelece um programa de revisão dos benefícios com indícios de irregularidades e autoriza o pagamento de um bônus para os servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para cada processo analisado fora do horário de trabalho.

Leia também:
Senado aprova MP que estende gratificações a servidores na AGU
Jean Wyllys vai processar secretário de Bolsonaro

A proposta também exige um cadastro para o trabalhador rural feito pelo governo, e não mais pelos sindicatos, como é feito hoje e restringe o pagamento de auxílio-reclusão apenas aos casos de pena em regime fechado. O texto prevê ainda que o INSS terá acesso a dados da Receita Federal, do Sistema Único de Saúde (SUS) e das movimentações do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O acesso aos dados médicos pode ainda incluir entidades privadas por meio de convênio.

Veja também

China também precisa da gente, diz Bolsonaro em meio a impasse sobre insumos de vacinas
Coronavírus

China também precisa da gente, diz Bolsonaro em meio a impasse sobre insumos de vacinas

Em reunião com chanceler da Índia em novembro, Ernesto criticou globalismo, mas não falou de vacina
Coronavírus

Em reunião com chanceler da Índia em novembro, Ernesto criticou globalismo, mas não falou de vacina