Bolsonaro recebe no Planalto militar responsável por repressão à Guerrilha do Araguaia na ditadura

Apesar de ter ocorrido no período da manhã, o compromisso não constou na agenda oficial do presidente durante toda a segunda e só foi incluído por volta das 21h20

Jair Bolsonaro, presidenteJair Bolsonaro, presidente - Foto: Divulgação/Palácio do Planalto

O presidente Jair Bolsonaro recebeu nesta segunda-feira (4) o tenente-coronel reformado do Exército Sebastião Curió Rodrigues de Moura, 85, um dos militares responsáveis pela repressão à Guerrilha do Araguaia nos anos 1970, durante a ditadura militar.

Apesar de ter ocorrido no período da manhã, o compromisso não constou na agenda oficial do presidente durante toda a segunda e só foi incluído por volta das 21h20.
O militar reformado é ex-oficial do CIE (Centro de Informações do Exército) e ex-agente do SNI (Serviço Nacional de Informações).

Participaram da agenda parentes de Curió e Leonardo Rodrigues de Jesus, primo dos filhos do presidente que trabalha no gabinete do senador Chico Rodrigues (DEM-RR).

Leia também:
Bolsonaro foi convencido na madrugada a não desafiar o STF com Ramagem
Bolsonaro antecipa mudanças após saída de Moro e infla presença militar

Segundo arquivos guardados pelo militar reformado e revelados em 2009 ao jornal O Estado de S. Paulo, as Forças Armadas executaram na Guerrilha do Araguaia 41 militantes que já estavam presos e amarrados. No total, 67 militantes foram mortos durante o conflito com militares no Araguaia.

Curió coordenou ainda, entre 1980 e 1981, o garimpo de Serra Pelada, no Pará. Foi deputado federal e prefeito de Curionópolis (PA), cidade que ajudou a fundar.

Fotos do encontro no Palácio do Planalto foram publicadas pelo senador Rodrigues, que classificou Curió como "homem de honra" e "defensor dos garimpeiros do Brasil".

Capitão reformado do Exército, o presidente Bolsonaro é um defensor da ditadura militar que vigorou no Brasil entre 1964 e 1985.

Em agosto do ano passado, Bolsonaro recebeu no Planalto Maria Joseíta Silva Brilhante Ustra, viúva do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, um dos principais símbolos da repressão durante a ditadura.

Veja também

Tribunal de Contas absolve Dilma Rousseff no caso da refinaria de Pasadena
DECISÃO

Tribunal de Contas absolve Dilma Rousseff no caso da refinaria de Pasadena

CPI deverá agravar ambiente político no Brasil
EDMAR LYRA

CPI deverá agravar ambiente político no Brasil