A-A+

Bolsonaro revê declaração de que é possível 'perdoar o Holocausto'

Em mensagem a Israel, presidente afirmou que 'o perdão, é algo pessoal, nunca num contexto histórico como no caso do Holocausto'

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) enviou mensagem a autoridades de Israel para reverter a polêmica em torno de uma declaração sua de que seria possível perdoar o Holocausto.

"Deixei escrito no livro de visitantes do Memorial do Holocausto em Jerusalém: 'AQUELE QUE ESQUECE SEU PASSADO ESTÁ CONDENADO A NÃO TER FUTURO'. Portanto, qualquer outra interpretação só interessa a quem quer me afastar dos amigos judeus. Já o perdão, é algo pessoal, nunca num contexto histórico como no caso do Holocausto, onde milhões de inocentes foram mortos num cruel genocídio", disse o presidente na carta.

Na última quinta (11), durante encontro com evangélicos no Rio, Bolsonaro disse: "Fui, mais uma vez, ao Museu do Holocausto. Nós podemos perdoar, mas não podemos esquecer. E é minha essa frase: Quem esquece seu passado está condenado a não ter futuro. Se não queremos repetir a história que não foi boa, vamos evitar com ações e atos para que ela não se repita daquela forma".

Leia também:
Memorial israelense reage a afirmação de Bolsonaro de que é possível 'perdoar o Holocausto'
Associar Holocausto à esquerda é falsificar a história, diz rabino
Brasil e Israel se complementam, afirma Bolsonaro


A declaração gerou polêmica em Israel, país do qual o presidente tem se aproximado. O presidente de Israel, Reuven Rivlin, publicou no sábado (13), em uma rede social, uma mensagem respondendo à declaração de Bolsonaro.

"Nós sempre iremos nos opor a aqueles que negam a verdade ou aos que desejam expurgar nossa memória - nem indivíduos ou grupos, nem líderes de partidos ou premiês. Nós nunca vamos perdoar nem esquecer", escreveu Rivlin.

Veja também

Metade dos brasileiros diz acreditar que Bolsonaro pode dar golpe
Bolsonaro

Metade dos brasileiros diz acreditar que Bolsonaro pode dar golpe

PT turbina estrutura de comunicação mirando eleição de 2022
Eleições 2022

PT turbina estrutura de comunicação mirando eleição de 2022