A-A+

Bolsonaro se reúne com nomes de peso do empresariado a convite da Fiesp

Além de uma grande recepção na sede da entidade, na avenida Paulista, está agendado um jantar na casa de Paulo Skaf

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro terá dois encontros com empresários, na próxima terça-feira (11), promovidos por Paulo Skaf, presidente da Fiesp. Além de uma grande recepção na sede da entidade, na avenida Paulista, está agendado um jantar na casa de Skaf com mais de 20 nomes de peso do empresariado brasileiro, não só de São Paulo.

Para o evento no prédio da entidade, mais cedo, já há mais de mil interessados em participar, entre presidentes de sindicatos patronais, associações setoriais e diretores da própria Fiesp.

Leia também:
Bolsonaro recebe credenciais de oito embaixadores
Bolsonaro parabeniza parlamentares por aprovação da MP 871


Como o auditório da casa tem apenas cerca de 450 lugares, será necessário alocar os convidados em espaços alternativos em outros andares com transmissão da fala do presidente por meio de telões.

Os encontros acontecem nos mesmos moldes do evento realizado no fim de março para receber o vice-presidente Hamilton Mourão. Na ocasião, apareceram mais de 700 representantes de empresas no prédio da Fiesp.

Após o evento, o jantar com Mourão na casa de Paulo Skaf foi restrito a apenas 30 convidados, entre empresários e executivos de grandes empresas, como André Gerdau (Grupo Gerdau), Flavio Rocha (Riachuelo), Josué Gomes da Silva (Coteminas), David Feffer (Suzano), Marcelo Melchior (Nestlé), Fabio Coelho (Google Brasil), Frederico Curado (Ultra), Paulo Cesar de Souza e Silva (Embraer), entre outros.

Veja também

Governo altera decreto e permite ampliar serviços de acesso à internet
Conexão

Governo altera decreto e permite ampliar serviços de acesso à internet

Deputado atacado por Boca Aberta pede que ele perca bottons de acesso à Câmara por segurança
Câmara dos Deputados

Deputado atacado por Boca Aberta pede que ele perca bottons de acesso à Câmara por segurança