Política

Bolsonaro terá que prestar depoimento até 28 de janeiro em inquérito sobre vazamento de dados

Bolsonaro é investigado por ter divulgado informações sigilosas de um inquérito que apura um ataque hacker ao TSE

Presidente do Brasil, Jair BolsonaroPresidente do Brasil, Jair Bolsonaro - Foto: Evaristo Sa/AFP

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o presidente Jair Bolsonaro preste depoimento até o dia 28 de janeiro no inquérito aberto para apurar vazamento de dados de outra investigação. Bolsonaro é investigado por ter divulgado informações sigilosas de um inquérito que apura um ataque hacker ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A informação sobre o prazo para o depoimento foi revelada pelo jornal "Folha de S.Paulo" e confirmada pelo Globo. Em agosto, Bolsonaro divulgou as informações sigilosas com o objetivo de desacreditar o sistema eletrônico de votação, mas o ataque hacker apurado pela Polícia Federal não afetou as urnas.

Em dezembro, a Polícia Federal chegou a intimar Bolsonaro a prestar depoimento. Por ser presidente da República, ele tem a prerrogativa de escolher data, horário e local para o seu depoimento. Por isso, o agendamento dependia de uma resposta do Palácio do Planalto à PF.

Essa investigação contra o presidente foi aberta por Moraes após um pedido do próprio TSE, e também mira o deputado bolsonarista Filipe Barros (PSL-PR) e o delegado responsável pelo inquérito do ataque hacker, Victor Neves Feitosa Campos, que foi afastado do caso por ordem de Moraes.

Veja também

Chanceler alemã discute crise diplomática entre Brasil e Israel e defende pausa humanitária
guerra no oriente médio

Chanceler alemã discute crise diplomática entre Brasil e Israel e defende pausa humanitária

Bancada do PSDB na Câmara dos Vereadores de São Paulo deve sofrer debandada na janela partidária
são paulo

Bancada do PSDB na Câmara dos Vereadores de São Paulo deve sofrer debandada na janela partidária