Bolsonaro veta lei que previa atendimento de psicólogo na rede escolar

O veto foi publicado nesta quarta-feira (9) no Diário Oficial da União

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) vetou integralmente uma lei aprovada no Congresso que garantia atendimento por profissionais de psicologia e de serviço social a estudantes de escolas públicas de educação básica.

O presidente argumenta no veto que a lei é inconstitucional e contraria o interesse público. Isso porque, segundo ele, a lei criaria despesas obrigatórias ao Poder Executivo, sem que se tenha indicado a respectiva fonte de custeio.

O veto foi publicado nesta quarta-feira (9) no Diário Oficial da União. A Presidência ouviu os Ministérios da Educação e da Saúde, que também se manifestaram a favor do veto.

Leia também:
Integrantes da cúpula do PSL são avisados de que Bolsonaro quer deixar o partido
Bolsonaro sanciona projetos que ampliam proteção à mulher em situações de violência
Bolsonaro: petróleo pode ter sido despejado 'criminosamente'


Pela proposta, equipes com profissionais dessas áreas deveriam compor as equipes das secretarias –não havia previsão de contratação de profissionais em todas as escolas.

O projeto havia sido aprovado no Congresso em setembro. As redes de ensino teriam um ano para se adequar à nova legislação.

O deputado Idilvan Alencar (PDT-CE) diz que já há articulação no Congresso para discutir a derrubada do veto.

"Acho que eles não entenderam, isso entraria tranquilamente no orçamento das secretarias", diz. "O governo insiste no discurso para combater suicídio e veta o que poderia ajudar."

O texto coloca como foco os estudantes dos ensinos fundamental e médio. Esse atendimento seria direcionado à melhoria da aprendizagem e da relação entre estudantes e professores.

Entidades dos setores de educação, serviço social e psicologia mantinham apoio ao texto.

A presença de psicólogos nos sistemas de ensino é apontado como uma das formas para combater casos de bullying, além de evitar, ou mesmo atuar, em casos como o ataque que ocorreu na escola Raul Brasil, em Suzano (SP).

Veja também

TSE: extratos bancários de partidos serão publicados na internet
eleições

TSE: extratos bancários de partidos serão publicados na internet

Moraes é sorteado relator de inquérito que investiga acusações de Moro contra Bolsonaro
justiça

Moraes é relator de inquérito de Moro contra Bolsonaro