Política

Brasília aumenta metrô para R$ 5; outras capitais também terão reajuste

Brasília teve o aumento mais expressivo. No Rio, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) decidiu cancelar o aumento das passagens.

Luciano BivarLuciano Bivar - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Em meio à crise econômica que atinge o país e com Estados e prefeituras com graves dificuldades financeiras, capitais em todo o Brasil começarão 2017 com a tarifa do transporte público mais cara.

Brasília teve o aumento mais expressivo: o bilhete do metrô vai passar de R$ 4 para R$ 5, 25% a mais -desde o último reajuste, em setembro de 2015, a inflação foi de 9,5%. Mesmo valor custará a passagem de ônibus de longa distância, que levam passageiros do plano piloto às cidades satélites. Viagens de curta distância vão passar de R$ 3 para R$ 3,50. A mudança já vale a partir desta segunda-feira (2).

Após dez anos congeladas, é o segundo aumento de passagens imposto pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB) em pouco mais de um ano. Até setembro do ano passado, a passagem do metrô custava R$ 3, a de ônibus de longa distância custava R$ 2,50, e a de curta distância, R$ 2.

A Prefeitura de Belo Horizonte também anunciou nesta sexta (30) que as passagens de ônibus vão saltar de R$ 3,70 para R$ 4,05, aumento de 9,5%, a partir da próxima terça-feira (3) -o Banco Central prevê inflação de 6,5% no período.

Vitória terá um aumento de 16% já a partir deste domingo (1º): de R$ 2,75 para R$ 3,20. Em Campo Grande o aumento veio mais cedo: a prefeitura subiu a tarifa de ônibus no último dia 22 de R$ 3,25 para R$ 3,55 -9% mais cara.

Em Teresina, o Conselho Municipal de Transporte propôs aumento de R$ 0,55, de R$ 2,75 para R$ 3,30, aumento de 20% -a prefeitura deve bater um martelo nesta terça (3) sobre acatar ou não o valor proposto.

No Rio, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) decidiu cancelar o aumento das passagens, que iria para R$ 3,95, a pedido do futuro prefeito Marcelo Crivella (PRB), conforme anunciou a Secretaria Municipal de Transportes nesta sexta.

Em São Paulo, prefeitura e Estado decidiram manter as tarifas de ônibus, metrô e CPTM a R$ 3,80 no próximo ano. Contudo, vão ajustar o preço da integração de sistemas de R$ 5,92 para R$ 6,80 e o bilhete único mensal de R$ 140 para R$ 190.

Veja também

Havan é condenada em R$ 30 mil por coagir funcionária a votar em Bolsonaro
Decisão judicial

Havan é condenada por coagir funcionária a votar em Bolsonaro

Presidente Jair Bolsonaro cogita reestruturar carreiras da PRF e Depen
Brasília

Presidente Jair Bolsonaro cogita reestruturar carreiras da PRF e Depen