justiça

Bretas diz que há um mês pediu a retirada de sua imagem da propaganda eleitoral de Crivella

Imagens foram gravadas em fevereiro, em um evento evangélico, que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro

Marcelo BretasMarcelo Bretas - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O juiz Marcelo Bretas, responsável pelos processos da Lava Jato na Justiça Federal do Rio de Janeiro, afirmou via assessoria de imprensa que pediu no dia 22 de outubro a retirada de sua imagem da propaganda eleitoral do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), candidato à reeleição. Mais de um mês depois, o pedido ainda não foi atendido.

As imagens foram gravadas em fevereiro, em um evento evangélico na praia de Botafogo, zona sul do Rio, que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), além do magistrado. No vídeo, Crivella gira abraçado ao presidente, enquanto Bretas aparece ao fundo. O rosto de outras pessoas presentes no palco foi borrado, mas o do juiz não.

Em setembro, o TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região) entendeu que, ao participar do evento, Bretas incorreu em superexposição e autopromoção. O tribunal aplicou pena de censura, que prevê que o juiz não figure por um ano da lista de promoção do tribunal.

Atrás de Eduardo Paes (DEM) nas pesquisas eleitorais com ampla margem, Crivella tem insistido na narrativa de que fez um bom enfrentamento à pandemia do novo coronavírus no Rio de Janeiro, e que, diante de uma possível segunda onda, seria arriscado retirá-lo da administração da cidade.

Por isso, na propaganda eleitoral o prefeito tem utilizado imagens de pacientes comemorando terem se curado da Covid-19, buscando recolher para si próprio o mérito pelo atendimento. A reportagem perguntou à campanha se esses pacientes permitiram o uso de suas imagens, mas ainda não obteve resposta.

Segundo a última pesquisa Datafolha, Crivella tem 29% dos votos válidos, contra 71% de Paes.

Na segunda-feira (23), o Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro) divulgou uma nota de repúdio após a campanha do prefeito utilizar na propaganda eleitoral uma gravação do conselheiro Flávio de Sá.

No vídeo, gravado em um evento, ele afirma que o enfrentamento à pandemia foi bem sucedido na cidade do Rio, e que todos que precisaram encontraram atendimento nas unidades de saúde.

Na nota, o Cremerj afirmou que o pronunciamento foi retirado de contexto, e que o discurso se tratava de uma homenagem à atuação dos médicos. O conselho afirma que a fala de Flávio de Sá sofreu edições tendenciosas e que a veiculação do vídeo foi desrespeitosa, além de se tratar de uma fake news.

A reportagem procurou a campanha de Crivella para comentar o pedido de Bretas e a nota de repúdio do Cremerj, mas ainda não teve retorno.

Veja também

Centrão vira fiel da balança sobre permanência de Pazuello na Saúde
Saúde

Centrão vira fiel da balança sobre permanência de Pazuello na Saúde

Entidades católicas e evangélicas apresentam pedido de impeachment contra Bolsonaro
Governo Federal

Entidades católicas e evangélicas apresentam pedido de impeachment contra Bolsonaro