Calero não gravou pressão feita por Temer

Segundo o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, serão investigados os boatos de áudio com a voz de Temer

A chapa de oposição Pernambuco vai Mudar é liderada pela candidatura de Armando Monteiro Neto ao governo do EstadoA chapa de oposição Pernambuco vai Mudar é liderada pela candidatura de Armando Monteiro Neto ao governo do Estado - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero não gravou a conversa em que o presidente Michel Temer, segundo ele, pressionou-o para que encontrasse uma solução para o prédio embargado em Salvador pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em que o ex-secretário de Governo da Presidência Geddel Vieira Lima tem um apartamento.

Segundo a reportagem apurou, Calero não tem em seu poder nenhum áudio comprometedor de Temer. Mas há gravações feitas por ele de conversas com autoridades do governo federal.

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, disse nesta sexta-feira (25) que a Polícia Federal vai apurar a informação que tem circulado de que Calero gravou conversas. Inclusive, segundo Moraes, serão investigados os boatos de áudio com a voz de Temer.

"Os boatos sobre a gravação, se há ou não gravação, isso vai ser apurado para verificar em que condições foram feitas", disse Moraes, sem detalhar o que seria feito. "Não vou responder nada sobre isso", afirmou.

Nesta sexta, Calero divulgou nota negando ter pedido uma audiência com Temer para gravar a conversa.

Moraes também negou a informação de que o agora ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima tenha prestado depoimento à Polícia Federal. "Quem vai decidir ou não se abre ou não inquérito, se pede abertura, quais as diligências a serem pedidas, é o procurador-geral da República (Rodrigo Janot). Não está mais na Polícia Federal", afirmou Moraes.

O ministro da Justiça lembrou ainda que, agora que Geddel não é mais ministro, Janot analisará se o caso será remetido à primeira instância. Geddel entregou sua carta de demissão na manhã desta sexta-feira.

Em entrevista nesta manhã, Moraes saiu em defesa de Temer. "O presidente simplesmente indicou ao ministro Calero que, se achasse o caso, consultasse a AGU (Advocacia-Geral da União). Tanto que o próprio ministro não consultou a AGU. Entendeu por bem não consultar e ele mesmo decidir. Este é o papel constitucional da AGU quando consultada por ministros. Nem houve a consulta, o que demonstra que foi uma conversa absolutamente normal", declarou o ministro da Justiça.

Veja também

João Campos promete destinar 50% dos cargos de liderança na Prefeitura para mulheres
Eleições 2020

João Campos promete destinar 50% dos cargos de liderança na Prefeitura para mulheres

Coligação de Marília Arraes cancela caminhada, mas questiona decisão do TRE-PE
Eleições 2020

Coligação de Marília Arraes cancela caminhada, mas questiona decisão do TRE-PE