Câmara multará Cunha por uso de imóvel

A assessoria de Cunha entregou as chaves do imóvel a uma secretaria da Câmara na tarde de segunda (7)

Armando Monteiro Neto durante reunião na FiepeArmando Monteiro Neto durante reunião na Fiepe - Foto: Leo Caldas/Divulgação

O ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) terá que pagar multa de R$ 3.402,40 por atrasar em 24 dias a entrega das chaves do apartamento funcional da Câmara que ocupava com a família em Brasília. Ele estava no imóvel desde desde julho deste ano, quando renunciou à presidência da Casa e teve que deixar a residência oficial, hoje ocupada por Rodrigo Maia (DEM-RJ), seu sucessor.

A assessoria de Cunha entregou as chaves do imóvel a uma secretaria da Câmara na tarde de segunda (7). A entrega deveria ter sido feita no dia 13 de outubro, 30 dias após a cassação do peemedebista por 450 votos a 10. Nesta quarta (9), o quarto secretário, deputado Alex Canziani (PTB-PR), encaminhará ao ex-deputado a notificação da multa de R$ 141,76 por dia de atraso.

A quantia é calculada com base no valor mensal pago como auxílio-moradia àqueles deputados que não moram em apartamento funcional. Hoje, esse benefício é de R$ 4.253 mensais. Como Cunha está preso em Curitiba, a cobrança deverá ser encaminhada à casa da família do peemedebista, no Rio de Janeiro. De acordo com a secretaria, o prazo para pagamento será estabelecido pelo Departamento de Finanças da Câmara e já aparecerá na guia de recolhimento a ser entregue aos familiares de Cunha.

A mudança dele foi encaixotada por uma empresa privada na manhã da última sexta. Os objetos deixaram o edifício na Asa Sul de Brasília e seriam levados para o Rio, onde vive a família. Alvo da Operação Lava Jato, Eduardo Cunha foi preso no dia 19 de outubro, justamente no apartamento funcional. A prisão havia sido autorizada pelo juiz federal Sérgio Moro.

Veja também

Covas tem 26%, Russomanno, 20%, e Boulos e França empatam em terceiro, diz Ibope
SÃO PAULO

Covas tem 26%, Russomanno, 20%, e Boulos e França empatam em terceiro, diz Ibope

Polícia de SP abandona investigação sobre suspeito que usou Bolsonaro como garoto-propaganda
política

Polícia de SP abandona investigação sobre suspeito que usou Bolsonaro como garoto-propaganda