Cerco se fecha contra assassinos de Marielle, diz deputado

Após reunião com o delegado responsável pelo caso, o deputado Jean Wyllys informação suficiente para cruzar os dados e chegar aos assassinos da vereadora Marielle Franco.

Vereadora Marielle Franco do PSOL-RJVereadora Marielle Franco do PSOL-RJ - Foto: Reprodução / Facebook

Após participar de reunião com o chefe da Divisão de Homicídios, Fábio Carsoso, e membros da Comissão Externa da Câmara que acompanha as investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco, o deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) disse, nesta terça-feira (08) que o cerco contra os assassinos está se fechando.

De acordo com o deputado, Cardoso não deu prazo para a conclusão do inquérito, que já dura quase dois meses, mas disse que está otimista . "Ele afirmou que a sociedade tem que ter paciência, porque homicídio, de fato, exige uma investigação mais rigorosa. Mas ele já tem informação suficiente para cruzar os dados e chegar aos assassinos", disse o deputado. "Já descartaram várias linhas de investigação e o cerco aos criminosos está se fechando. Não só sobre os executores como também em relação aos mandantes."

Ainda de acordo com Wyllys, o delegado afirmou que os executores são bem treinados. Mas não informou se são agentes do Estado. "Não são pessoas quaisquer e não são baratas", disse o deputado.

Leia também:
Vereadores do Rio votarão projetos de Marielle Franco
Responsáveis por mortes de Marielle e Anderson serão revelados em breve, promete ministro
Ocupação Marielle expõe falta de política de reurbanização no Recife


O delegado confirmou que a arma usada no crime foi uma submetralhadora. Além disso, de acordo com o deputado, a falta do exame de raio-X no corpo de Marielle – devido ao equipamento do Instituto Médico-Legal (IML) estar quebrado – não prejudicou as investigações.

O parlamentar ressaltou que a comissão continuará cobrando a conclusão do inquérito. Uma delegação do Parlamento do Mercosul chega amanhã (9) ao Brasil para se reunir com os investigadores e o interventor federal na segurança do Rio, o general Walter Braga Netto. Também participaram da reunião de hoje com o delegado os deputados federais Glauber Braga (Psol-RJ) e Alessandro Molon (PSB-RJ).

Veja também

Câmara aprova urgência e acelera projeto para substituir Lei de Segurança Nacional
Congresso

Câmara aprova urgência e acelera projeto para substituir Lei de Segurança Nacional

Em reunião com embaixador americano, Paulo Câmara defende ações em defesa do meio ambiente
Blog da Folha

Em reunião com embaixador americano, Paulo Câmara defende ações em defesa do meio ambiente