Política

CNI/Ibope aponta que 35% avaliam governo Bolsonaro como ótimo ou bom

Essa é a primeira pesquisa CNI/Ibope sobre a avaliação do governo atual

A maneira de governar do presidente é aprovada por 51% dos entrevistados e desaprovada por 40%. A maneira de governar do presidente é aprovada por 51% dos entrevistados e desaprovada por 40%.  - Foto: Alan Santos/PR

Pesquisa de opinião CNI/Ibope divulgada nesta quarta-feira (24) mostra que 35% dos brasileiros entrevistados avaliam o governo do presidente Jair Bolsonaro como ótimo ou bom; 31% como regular; 27% como ruim ou péssimo; e 7% não sabem ou não responderam à pergunta. Essa é a primeira pesquisa CNI/Ibope sobre a avaliação do governo Bolsonaro.

Pela pesquisa, a maneira de governar do presidente é aprovada por 51% dos entrevistados e desaprovada por 40%. Outros 9% não sabem ou não responderam à pergunta.

Leia também:
CCJ aprova parecer a favor da reforma da Previdência
Brasil fecha 43 mil vagas formais em março, mostra Caged
Bolsonaro diz querer colocar 'ponto final' na briga entre Carlos e Mourão

Em relação à confiança, 51% dos entrevistados afirmaram confiar no presidente Jair Bolsonaro, enquanto 45% não confiam.

Avaliação por áreas
Quando o assunto é sobre a aprovação do governo por áreas de atuação, as melhores avaliadas são a segurança pública, onde 57% disseram aprovar as ações e políticas do governo; educação (51%); e meio ambiente (48%).

As áreas piores avaliadas são taxa de juros, onde 57% desaprovam as ações do governo, e impostos, com desaprovação de 56%.

A pesquisa foi feita entre 12 e 15 de abril e ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios. A margem de erro máxima estimada é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.

Made with Flourish
Made with Flourish
Made with Flourish
Made with Flourish

Veja também

STF derruba regras de sobras eleitorais
Sobras eleitorais

STF derruba regras de sobras eleitorais

Em concurso da USP, Moraes diz que "populismo digital extremista" usa métodos nazistas
Ministro do STF

Em concurso da USP, Moraes diz que "populismo digital extremista" usa métodos nazistas