Coaf aponta pagamento de título de R$ 1 milhão por Flávio Bolsonaro

A informação foi dada na noite deste sábado (19), pelo Jornal Nacional; Coaf não identifica o favorecido pelo pagamento

O pagamento de R$ 1.016.839 foi de um título bancário da CEFO pagamento de R$ 1.016.839 foi de um título bancário da CEF - Foto: Pillar Pedreira/Agência Senado

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf ), em seu relatório sobre movimentações atípicas na conta de Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), identificou um pagamento de R$ 1.016.839 de um título bancário da Caixa Econômica Federal.
A informação foi revelada pelo Jornal Nacional neste sábado (19). O Coaf não identifica o favorecido pelo pagamento e não há outros detalhes, como data.

Após o Coaf identificar movimentações suspeitas na conta de Fabrício Queiroz, ex-assessor parlamentar de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj ), o Ministério Público do Rio de Janeiro pediu um novo relatório ao órgão, dessa vez sobre o filho de Bolsonaro.

O novo relatório aponta que Flávio, hoje deputado estadual e eleito senador, recebeu em sua conta bancária 48 depósitos em dinheiro entre junho e julho de 2017. Os 48 depósitos em espécie foram feitos no autoatendimento da agência bancária que fica dentro da Alerj sempre no valor de R$ 2.000.

Leia também:
Flávio Bolsonaro visita o pai no Alvorada após revelação de depósitos suspeitos
Planalto age para que suspeita sobre Flávio Bolsonaro não se torne crise de governo
Coaf aponta 48 depósitos suspeitos na conta de Flávio Bolsonaro


Na quinta (17), o ministro Luiz Fux, que está de plantão no STF, concedeu liminar (decisão provisória) suspendendo a investigação do Ministério Público do Rio, até que Marco Aurélio volte do recesso e decida sobre a competência da corte. A defesa de Flávio Bolsonaro argumenta que o Supremo tem de analisar se cabe assumir o caso, pois ele foi eleito e diplomado senador, tendo direito a foro especial em algumas investigações criminais.

Além disso, sustentou que o Ministério Público produziu provas ilegalmente ao solicitar ao Coaf seus dados bancários depois de confirmada sua eleição e sem autorização judicial. A Promotoria, porém, pediu as informações sobre Flávio em 14 de dezembro e foi atendida no dia 17 -um dia antes de ele ter sido diplomado senador, o que pode enfraquecer essa alegação.

Segundo especialistas ouvidos pela Folha de S.Paulo, a reclamação de violação do sigilo bancário não encontra respaldo na lei e na jurisprudência brasileira. A lei brasileira permite a comunicação entre o Ministério Público e o Coaf, e questionamentos similares ao de Flávio foram rejeitados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Flávio Bolsonaro diz estar indignado
Procurada, a defesa de Flávio Bolsonaro informou que irá se pronunciar em momento apropriado. Flávio disse neste sábado que está tranquilo e indignado ao ser questionado pelo jornal O Globo em um voo entre Brasília e São Paulo Flávio afirmou que vai falar na hora certa e que vai rebater os pontos um a um.


Veja também

Com apoio da oposição, manifestantes fazem carreatas por impeachment pelo país
Impeachment

Com apoio da oposição, manifestantes fazem carreatas por impeachment pelo país

Carreata no Recife pede impeachment de Bolsonaro e vacinação para todos
BLOG DA FOLHA

Carreata no Recife pede impeachment de Bolsonaro e vacinação para todos