Coaf erra e multiplica por 100 patrimônio de Sérgio Cabral

Peemedebista tem R$ 385 mil depositados no fundo do Bradesco, e não R$ 38,5 milhões

Agendão de concursos e seleçõesAgendão de concursos e seleções - Foto: Lehi Henri / Arte FolhaPE

Um erro do Coaf, vinculado ao Ministério da Fazenda, levou a Justiça Federal a informar de forma errada os recursos do ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) depositados num fundo de investimento.

Leia mais:
Justiça bloqueia R$ 38 milhões de Sérgio Cabral achados em fundo de investimento


O peemedebista tem R$ 385 mil depositados no fundo do Bradesco, e não R$ 38,5 milhões. O erro foi revelado pelo blog do colunista Lauro Jardim, do jornal "O Globo".

O valor consta do relatório do Coaf enviado ao Ministério Público Federal e baseou o novo pedido de bloqueio de bens de Cabral. No fim de novembro, os bancos informaram que ele tinha apenas R$ 454 depositado em conta.

O valor foi transcrito pelos procuradores bem como pelo juiz Marcelo Bretas em sua decisão.

Na prática, o erro tem pouca influência no andamento do processo. Após a identificação pelo Coaf, a Justiça determina o bloqueio dos bens. A instituição financeira informaria, então, o valor correto depositado no fundo de investimento.

Cabral é acusado de obter propina em obras estaduais, num valor estimado de R$ 224 milhões.

Veja também

Governo dos EUA espera 'seriedade' de Bolsonaro na Cúpula do Clima
Meio ambiente

Governo dos EUA espera 'seriedade' de Bolsonaro na Cúpula do Clima

Tribunal de Contas absolve Dilma Rousseff no caso da refinaria de Pasadena
DECISÃO

Tribunal de Contas absolve Dilma Rousseff no caso da refinaria de Pasadena