Com guarda-chuva, ministro da Educação nega bloqueio de verbas do Museu Nacional; veja vídeo

Dados apontaram que o bloqueio orçamentário anunciado pelo presidente envolve verbas destinada ao Museu Nacional

Ministro da Educação Abraham WeintraubMinistro da Educação Abraham Weintraub - Foto: Reprodução/Twitter

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, divulgou um vídeo nesta quinta-feira (30) em que nega que o governo tenha reduzido verbas destinadas à recuperação do Museu Nacional e atribui a decisão à bancada federal do Rio de Janeiro.

No vídeo, publicado em sua página no Twitter, munido de um guarda-chuva e com gestos que imitam o clássico "Singing in the rain", Weintraub diz que "está chovendo fake news". "Novamente um veículo de comunicação das pessoas que estão de mal com a vida tenta macular a imagem do MEC", afirma.

"Essa última fake news alega que a paralisação da recuperação do Museu Nacional, aquele que o reitor da UFRJ não conseguiu explicar, estaria sendo feito pelo MEC. Fake news", disse ao citar reportagem publicada nesta quinta-feira (30) pelo jornal Folha de S.Paulo.

Leia também:
Ministro da Educação diz que professores coagem estudantes a participarem de atos
Ministro da Educação pergunta se deputados sabem o que é carteira de trabalho e causa confusão


Nesta quarta, dados divulgados pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil (Andifes) em diferentes veículos apontaram que o bloqueio orçamentário anunciado pelo governo do presidente Jair Bolsonaro envolve verbas destinadas à reforma do Museu Nacional no Rio de Janeiro, atingido por um incêndio em setembro do ano passado.

Segundo os dados, os R$ 55 milhões destinados à restauração do museu sofrerão cortes de 21,63%. Dessa forma, as verbas para a reforma ficariam em 43,1 milhões de reais.

Nesta quinta, no entanto, Weintraub negou que os cortes tenham relação com o governo. "O que acontece é que havia emendas parlamentares de R$ 55 milhões para recuperar o museu. A bancada do Rio de Janeiro resolveu reduzir em R$ 12 milhões, sobrando R$ 43 milhões para as obras. Nada a ver com o MEC", afirma.

"Mas mesmo que não tivessem reduzido e o dinheiro estivesse prontamente disponível para ser gasto, o projeto ainda não está protocolado e não daria para começar as obras. Mais uma mentira. Não para de chover no MEC", completou, girando o guarda-chuva.

Essa é a segunda vez que Weintraub tenta usar metáforas para contestar informações associadas à pasta. No início do mês, Weintraub usou chocolates para contestar o impacto do bloqueio de verbas na educação. A cena gerou memes e críticas nas redes sociais.

Assista ao vídeo:

Veja também

Senador pede investigação de empresa que vendeu R$ 15 milhões em leite condensado ao governo
GOVERNO FEDERAL

Senador pede investigação de empresa que vendeu R$ 15 milhões em leite condensado ao governo

Armando Monteiro Neto diz que sua filiação a um novo partido segue em aberto
PERNAMBUCO

Armando Monteiro Neto: filiação a partido segue em aberto