A-A+

Com indicação pacificada, Wolney já é saudado como líder do PDT

Deputado cumpriu missão a pedido de André

Wolney QueirozWolney Queiroz - Foto: divulgação

Presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, na passagem recente por Pernambuco, à coluna, informou que, "até final do mês", se reuniria com a bancada federal para discutir a liderança da legenda na Câmara Federal. O dirigente fez isso esta semana. Na última terça-feira, foi à mesa com os parlamentares da sigla. Na pauta, a sucessão de André Figueiredo, atual líder da sigla. Ontem, um dia depois, o deputado federal Wolney Queiroz foi escalado por Figueiredo para cumprir a primeira missão da transição: representar o PDT na reunião no gabinete da minoria junto com representantes dos partidos de Oposição, dos movimentos sociais, das centrais sindicais e do movimento grevista dos petroleiros, dos caminhoneiros, do setor elétrico, dos Correios, das Casa da Moeda, bancários e outros segmentos que estavam presentes. Wolney foi, se apresentou como representante do líder, mas acabou saudado pelos presentes, segundo quem acompanhava a reunião, como líder.

Ainda à coluna, no último dia 7, Lupi, ao ser indagado sobre a liderança, devolvera: “Todo caminho leva para o líder ser Wolney”. O deputado tem negado, mas os últimos movimentos indicam que o martelo foi batido. Estaria faltando apenas a deliberação da Executiva Nacional, o que deve ocorrer no próximo dia 4. Na ocasião, deve ir à mesa ainda o debate sobre a liderança da minoria, que cabe ao PDT este ano. A liderança da legenda, no entanto, já estaria pacificada. Como a coluna cantara a pedra, Wolney Queiroz já vinha debruçado sobre uma articulação, desde dezembro do ano passado, em torno da da liderança. Ele, inclusive, tem a simpatia de André Figueiredo e de Lupi, mas pesa a seu favor ainda o fato de ser o decano da bancada, formada por 29 parlamentares. E será o primeiro deputado de Pernambuco a liderar o PDT na Câmara Federal.

 

 

Três documentos para garantir
Da reunião do PSB, na última terça à noite, quando foi batido o martelo sobre o nome de Alessando Molon para liderar a bancada, saíram três documentos: um indicando nome de Molon para ser líder em 2020, outro indicando Danilo Cabral para assumir a função em 2021 e um terceiro dando conta dos procedimentos e dos prazos que cada um vai cumprir e traçando um acordo de divisão dos espaços e estruturas da Casa em comissões especiais, lideranças....
Vacinado 1 > Danilo Cabral relatou, por várias vezes, que chegou a abrir mão da liderança, em 2019, em favor da permanência de Tadeu Alencar, tendo, ali, seu nome encaminhado para assumir este ano, o que acabou não se consolidando diante das circunstâncias que se seguiram. Dessa vez, deixaram tudo alinhavado.
Vacinado 2 > O rodízio na liderança do PSB na Câmara foi amarrado com o presidente do partido. Na negociação entre os grupos de Danilo Cabral e de Alessandro Molon, Carlos Siqueira foi fiador e avalista do acordo formal, assinado pela bancada por unanimidade.
Sem recuo >Líder do PSB, Tadeu Alencar realçou, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, que não há "possibilidade de nenhum recuo nessa posição" e assegurou que o entendimento formalizado em documento será "cumprido com muito rigor".
Construção > Em meio às costuras para as eleições municipais deste ano, o deputado federal Silvio Costa Filho, que preside o Republicanos em Pernambuco, filiou ao partido, esta semana, o ex-prefeito de Surubim, Dr. Flávio Nóbrega. O ato se deu em Brasília na presença do presidente nacional da sigla, Marcos Pereira, em sinal da relevância do novo quadro para a legenda. 

Veja também

Doria acusa Leite de estar reclamando e chorando sobre suspeita em prévias do PSDB
Prévias

Doria acusa Leite de estar reclamando e chorando sobre suspeita em prévias do PSDB

Câmara aprova projeto que institui o Estatuto da Pessoa com Câncer
Câmara dos Deputados

Câmara aprova projeto que institui o Estatuto da Pessoa com Câncer