A-A+

Com racha, Tadeu prevê solução para liderança do PSB depois do dia 3

"Isso é uma construção política, não é uma investidura automática"

Tadeu Alencar Tadeu Alencar  - Foto: Jose Britto/ Folha de Pernambuco

Leia também

• Rithely revela ansiedade em reestreia pelo Sport

• Confira a previsão do tempo para este domingo em Pernambuco

• Coronavírus: aeroportos transmitem mensagem da Anvisa a partir desta sexta-feira

Líder do PSB na Câmara Federal, o deputado Tadeu Alencar diz que não há prazo para definição do nome que assumirá a liderança do partido em 2020. Admite, no entanto, que havia um compromisso seu de estar com isso resolvido até o próximo dia 3, o que acabou não sendo possível em função do recesso. "As pessoas ficam muito afastadas, tem gente fora do País, viajando, não se consegue ter uma discussão mais organizada. Isso vai terminar sendo resolvido no retorno, a partir do dia 3", pondera Tadeu à coluna. Há dois nomes no páreo e um deles é de Pernambuco, Danilo Cabral. O outro é Alessandro Molon, do Rio de Janeiro. Tadeu ainda não declarou apoio a nenhum dos dois, mas avisa que vai declarar. De antemão, considera que "nenhuma dessas soluções violenta o sentimento da bancada". Mas adverte que isso é "uma construção". Considerando a pluralidade do PSB na Câmara e as variedades regionais, Tadeu grifa o seguinte: "Não posso dizer que vai ter que ser um companheiro do meu estado".

Nos bastidores da Câmara, deputados dizem não ser novidade o fato de o líder não se posicionar a favor de Danilo. Tadeu reage assim: "Se eu estivesse apoiando Molon, claramente não estaria buscando entendimento". E assinala: "Isso é uma construção política, não é uma investidura automática". Com a bancada dividida, Tadeu, à coluna, observa que "lista de assinaturas é bom para não usar". E avisa: "Se calhar de o nosso líder ser Danilo Cabral, eu vou ficar feliz que a solução tenha se dado nessa direção". Diz que a solução só será possível "se houver esforço de construção política". E calcula: "Ganhar com maioria pequena não é bom para quem ganhar". Tadeu assegura que não irá se posicionar em função de o candidato ser "de Pernambuco ou de fora". E realça não se tratar isso de um "acordo territorial". Destaca que sempre defende interesses do Estado "de maneira enérgica", mas sublinha que, "nesse particular, ou se leva em conta a pluralidade, ou vamos ser líderes de uma parte da bancada e devemos ser líderes do conjunto e não de uma parte".

 

Memória distante
Em torno da questão da liderança do PSB na Câmara, pairam teses de socialistas, nas coxias, vinculando o episódio à articulação de 2014, quando o nome de Tadeu Alencar enfrentou resistências na sigla para ser indicado por Eduardo Campos como candidato à sucessão.
Zero dificuldade > Tadeu descarta que tenha dificuldade de votar em Danilo Cabral: "Zero dificuldade". Mas lembra que há pessoas "que me apoiaram de maneira efetiva, que foram para linha de frente (na disputa pela liderança), tem um grupo que defende essa solução (Alessandro Molon). E não porque tenha dificuldade em apoiar Danilo, mas porque essa seria solução boa para o momento".
Servindo de... > A Prefeitura de Macapá vai usar Jaboatão como referência para implantar um sistema de monitoramento da gestão. Ontem, Anderson Ferreira recebeu, no Complexo Administrativo, o secretário de Planejamento da capital do Amapá, Paulo Mendes.
...exemplo > Mendes disse que a escolha de Jaboatão se dá porque o “município já é visto como um caso de sucesso”. Para o auxiliar, “Jaboatão está à frente quando se fala em inovação em gestão municipal”. A cidade, segunda maior do Estado, já recebeu prêmio da ONU por Excelência em Gestão Pública.
Mais guardas > Caruaru começou o ano com 136 guardas municipais nas ruas. A prefeita Raquel Lyra já deu posse a 100 guardas por concurso público. Pretende melhorar a segurança, mas também o ordenamento do trânsito e o cuidado com o patrimônio público. 

Veja também

Presidente anuncia apoio para 750 mil caminhoneiros comprarem diesel
Combustível

Presidente anuncia apoio para 750 mil caminhoneiros comprarem diesel

Projeto no Congresso prevê medidas que podem bloquear Telegram, aposta de Bolsonaro para 2022
Redes sociais

Projeto no Congresso prevê medidas que podem bloquear Telegram, aposta de Bolsonaro para 2022