Começamos a reverter a corrupção, diz Bolsonaro nos Emirados

Segundo o presidente, dá para fazer uma politica de maneira diferente da que se fazia há pouco tempo

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Madoka Ikegami / Pool / AFP

O presidente Jair Bolsonaro disse que o Brasil vinha sendo prejudicado por "um ambiente de negócios terrível" e uma corrupção que "falava muito alto", que afastou investimentos estrangeiros.

A declaração foi feita neste sábado (26), no primeiro dia de visita aos Emirados Árabes Unidos, onde fica até a manhã de segunda.

"Nós começamos a reverter tudo isso aí. A mostrar que dá para fazer uma politica de maneira diferente da que se fazia há pouco tempo", disse o presidente ao responder a perguntas sobre resultados concretos da viagem.

Segundo ele, a mudança na imagem do país não será de uma hora para a outra, mas "dessa maneira devagar, demonstrando confiança, fazendo o dever de casa".
Entre essas lições ele citou a reforma da Previdência, aprovada nesta semana pelo Congresso. "Ela por vezes até parece uma quimioterapia, mas se faz necessária. Não podemos sucumbir, peguei o Brasil arrebentado economicamente, fiz questão de dizer que quem entende de economia é o [ministro da Economia] Paulo Guedes, e ele está fazendo um excelente trabalho."

Leia também:
'Posso ser um presidente sem partido', diz Bolsonaro em meio ao racha do PSL
Bolsonaro convida chineses a participar de mega leilão de petróleo
Para Bolsonaro, manifestações no Chile são atos de terrorismo

Bolsonaro também citou "todo o apoio do Parlamento", e disse que a reforma administrativa é uma prioridade do governo. Reafirmou que o fim da estabilidade para os servidores devem valer apenas para novos funcionários.

Depois da visita ao monumento militar, o presidente foi a um shopping center das redondezas do hotel em que está hospedado, onde comeu um hambúrguer e tomou um sorvete, segundo o relato de auxiliares.

Os Emirados são a terceira escala de viagem presidencial que começou pelo Japão, continuou pela China e deve ainda passar pelo Catar e pela Arábia Saudita.
Nos países árabes, o foco deve ser atrair investimentos para as rodadas de privatização e obras de infraestrutura.

Sem a presença dos ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, as negociações da área econômica estão sendo coordenadas pelo chefe da assessoria especial de assuntos institucionais, Caio Megale.

Veja também

PGR pede que Supremo apure eventual crime de homofobia de Milton Ribeiro
Investigação

PGR pede que Supremo apure eventual crime de homofobia de Milton Ribeiro

Domingo marca o início oficial de campanha eleitoral. Confira a agenda dos candidatos a prefeito
blog da folha

Domingo marca o início oficial de campanha eleitoral. Confira a agenda dos candidatos a prefeito