Comissão à vista para sanear impasse da chapinha

Na Frente Popular, há os que defendem o nome Renildo Calheiros para coordenar o colegiado

Paulo CâmaraPaulo Câmara - Foto: Brenda Alcântara/Folha de Pernambuco

Nos bastidores da Frente Popular, estuda-se criar uma comissão pluripartidária para fazer as contas do que é melhor: sair todo mundo em um chapão ou separar os candidatos em duas chapas proporcionais. O colegiado, que está no radar de parlamentares aliados de Paulo Câmara, seria uma forma de pacificar o impasse que se deu após o PP, PDT, Solidariedade e PCdoB formarem uma chapinha visando à disputa para a Câmara Federal. Há quem advogue que, em meio a uma aliança grande, recorrer a uma coligação só reduz o número de deputados no páreo apoiando o governador. Um chapa pode ter, no máximo, 37 candidatos. Organizar mais de uma chapa proporcional, como defende uma ala, pode permitir multiplicar o número de candidatos pedindo voto para o governador para, por exemplo, 74. Há quem aponte que, dado o volume elevado de postulantes com mais de 100 mil votos na aliança do governador, com uma chapa só, "só os mais estruturados teriam chance, tornando a disputa desigual".

Nas coxias da Frente Popular, há os que defendem o nome do ex-prefeito de Olinda, Renildo Calheiros, para coordenar a comissão, caso ela venha a se consolidar. Na semana passada, o clima pesou na aliança do governador depois que Guilherme Uchoa Júnior, herdeiro do presidente da Alepe, Guilherme Uchoa, não foi aceito pelos membros da chapinha, em função da sua perspectiva de ter mais de 50 mil votos. Ontem, à coluna, o dirigente da Alepe observou que Renildo "conhece bem da matéria, é muito experiente". Referiu-se às chances de ele estar à frente da comissão. As costuras referentes à disputa proporcional são delicadas. O debate coloca em jogo o projeto eleitoral de cada deputado e é onde todo mundo tem um pouco de razão.

Ficaram de remarcar

O presidente da Alepe, Guilherme Uchoa, chegou a falar com o governador Paulo Câmara por telefone ontem. Mas os dois acabaram não se encontrando, como previsto originalmente, para tratar da chapinha. Uchoa fará uma cirurgia rápida na mão direita hoje e, ontem, estava cumprindo determinações médicas.

Voo >
Paulo Câmara embarcou, ontem, para Brasília, onde teria reuniões preparatórias do congresso nacional do PSB.

Gatilho > A cirurgia de Uchoa envolve o tendão da mão direita. A esquerda ele já operou há dois anos. Bem-humorado, brinca que seu celular nem WhatsApp tem e ele está com problema referente a uso de computador e celular, chamado de "dedo em gatilho".

Quem quer? > Decidido a deixar o PDT, Uchoa tem brincado: "Vou botar um anúncio: procura-se um partido. Não tem vende-se
uma casa? Vou por: procura-se partido para deputado com muito voto".

Climão >
Membro de um dos partidos que integram a chapinha, em reserva, adverte: "Se (Guilherme) Uchoa vier com arrogância, não vai resolver nada. Pelo contrário, vai prejudicar mais ainda".

Manuela D´Ávila e João Paulo

Manuela D´Ávila e João Paulo - Crédito: divulgação

Aí pode! > Quando Marina Silva passou por Pernambuco, na semana passada, o ex-prefeito João Paulo foi até ela dar um abraço. O petista tem boa relação com Júlio Lóssio, que filiou-se à Rede. No Carnaval, João Paulo posou para fotos ao lado de Paulo Câmara e, na última sexta, prestigiou Manuela D'Ávila. No último caso, não ecoaram críticas dentro do PT diante da fotografia.

 

Veja também

Relatório do impechment de Witzel é entregue ao Tribunal Misto
Brasil

Relatório do impechment de Witzel é entregue ao Tribunal Misto

Bolsonaro pede voto para Russomanno em São Paulo e dá apoio constrangido a Crivella no Rio
POLÍTICA

Bolsonaro pede voto para Russomanno em São Paulo e dá apoio constrangido a Crivella no Rio